quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Brasil vs Estados Unidos

  “A mente do homem é como um depósito de idolatria e superstição; de modo que, se o homem confiar em sua própria mente, é certo que abandonará a Deus e inventará um ídolo, segundo sua própria razão.”
[João Calvino]

      


  “Entendo” Calvino, embora não aprecie a maneira como expôs esse pensamento.
  O ponto que me incomoda é o final: “segundo sua própria razão”.
  É difícil explicar, vou tentar.
  Notei que nós humanos temos uma tendência a idolatria.
  Acontece que a idolatria não é racional, logo, não pode ser fruto de uma razão seja coletiva ou individual.


  IDOLATRIA é um amor excessivo, uma admiração exagerada ... ficar cego por uma paixão.

  A “idolatria” que falo nesse texto é aquela bem abrangente, não se limita a adoração de uma estatueta, pessoa ou símbolo. 
  Alcança também doutrinas/ideologias.

  Sua doutrina/ideologia está sempre certa, não cabe questionamento.
  Quem “sugerir” alguma falha ... não entendeu direito, precisa “estudar mais”.

  Perceba que o “idolatra” não consegue seguir nem sua própria razão.
  Digamos que ele sabe/entende que 2 mais 2 é 4, mas se sua ideologia diz que é 3 ou 5 ... a ideologia deve estar certa.

  Debatendo com ateus observo muito isso.
 [Dar exemplos da idolatria religiosa seria muito fácil, pouco provocativo].

  Ateus admiram Darwin e a teoria da evolução.

  Essa teoria deixa bem claro que os animais melhor adaptados (inclusive da mesma espécie) predominam sobre os menos adaptados.
  Se as mentes que admitem a possibilidade de sermos espíritos predominam e comandam as maiores nações não resta dúvida de qual tipo de mente é melhor adaptada.
  Dois mais dois dá 4, mas o ateísmo diz que “nós não entendemos direito”.

  Sempre que ateus chegaram ao poder foi instituído o culto à personalidade.
  Pinturas, fotografias, estatuas ... do “grande líder” são espalhadas por toda parte.
  Como Calvino diz:
 
 “...abandonará a Deus e inventará um ídolo, segundo sua própria razão.”

  Eu corrigiria o pensamento assim:

  “...abandonam a ideia de um deus e inventam um ídolo segundo sua própria crença.”
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Tenho uma mente satisfatoriamente racional, incompatível com a idolatria.

  Um comentarista disse que idolatro os americanos.
  Por enquanto não me vejo idolatrando nada nem ninguém.

  Vou dar 3 exemplos de coisas que considero nós brasileiros mais evoluídos culturalmente que os americanos.
  Não quero entrar em complexidades culturais me limitarei a coisas facilmente pesquisáveis. ​​

1 -  A primeira coisa que me vem à mente é o porte de armas.
  Considero nossa legislação sobre armas rigorosa demais, mesmo assim é preferível ao excesso de facilidade na legislação americana.
  Não vejo lógica em permitir um cidadão ter arsenal em casa.
  Lembremos o óbvio, a função primordial do produto arma é MATAR.
  Se a região está em guerra justifica ter arsenal, em tempos de paz NÃO.
  Se o cidadão é colecionador ... eu pensaria em muita burocracia/controle, considero esse um hobby de muito risco para a vizinhança, é o mesmo que o cidadão querer colecionar fogos de artifícios.
  Uma pistola simples por cidadão adulto considero que atende as necessidades de autodefesa.
  Devidamente registrado, a concessão do porte seria simples.
  Todo mundo é inocente até prova o contrário.

2 - Férias
  Os americanos NÃO tem em sua legislação trabalhista uma previsão de férias.
  É feito um acordo de cavalheiros entre empregador e empregado.
  Em média americanos tiram 2 semanas de férias por ano, quando tiram.
  É algo cultural, quem tira férias longas é tido como alguém que prejudica a equipe.
  Fora isso, nesse mesmo acordo de cavalheiros, o empregado se dá o direito de faltar um dia ou outro sem necessidade de justificativa.
  Por algum motivo não dá para ir trabalhar ... não vai, claro que isso é esporádico.

  CONSIDERO TER DIREITO A 30 DIAS DE FÉRIAS ALGO MUITO CIVILIZADO.

  Trabalhar é muito importante, cada um tem que fazer a parte que lhe cabe para que tenhamos acesso a tantos bens e serviços.
  Coloco em igual grau de importância o período férias.
  Tenho vários argumentos para defender esse procedimento mas vamos ao principal.

  Podemos morrer a qualquer momento pelas mais diversas causas.

  Se a morte não acontece quando jovens ... nunca sabemos como estará nossa saúde na velhice.
  Quero dizer que mais vale férias bem curtidas enquanto você tem boa saúde e disposição que apostar todas suas fichas em uma longa férias (aposentadoria) na terceira idade que pode nem chegar.


3 - SUS 
  Os americanos não tem nada parecido com nosso sistema de saúde, mas deveriam.

  Doença é uma coisa muito triste, não me importo que boa parte dos impostos vá para atender pessoas doentes.

  Já vi vários filmes e documentários sobre famílias americanas que vão literalmente a falência por conta de algum de seus membros precisar de atendimento médico um pouco mais complexo.
  NÃO, não gosto do exagero brasileiro de querer que o SUS pague absolutamente qualquer tratamento por mais caro que seja, entretanto no que diz respeito a assistência médica me sinto mais seguro no Brasil que nos Estados Unidos.
  Sou pobre, se eu fosse rico não faria diferença, no Brasil temos uma medicina bem avançada para quem dinheiro não é problema.


  Fica claro que NÃO idolatro a cultura americana.

  Realmente acredito que nós brasileiros podemos construir uma nação muito boa pra vivermos.
  É evidente que essas coisas levam tempo.
  Nenhuma nação dorme subdesenvolvida e acorda magicamente desenvolvida.

  Vamos melhorar o que temos de bom, copiar de outros povos o que está dando certo e nos manter distantes das grandes furadas.
 (Marxismo, Militarismo, Teocracias e Ditaduras)

  





4 - Educação Superior ... há um nefasto empate técnico.
 (Na minha opinião claro)

  Os resultados americanos são indiscutivelmente melhores, mas... não gosto do sistema americano, é muito caro fazer faculdade lá, é outra coisa que acaba com a economia de muitas famílias.

  Não me importo que o dinheiro dos impostos subsidiem os estudos de bons alunos pobres.

  Por outro lado, no sistema brasileiro, a gratuidade para pessoas que podem pagar é algo que desafia qualquer lógica...






.