domingo, 25 de dezembro de 2011

Cresça!

  "Sem competição, ainda seríamos organismos unicelulares."  [House]
$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$
  Uma proposta básica de muitas ideologias é acabar com a competição, "acabar com a luta entre classes".
  A fraternidade seria irrestrita e ilimitada afinal somos todos irmãos.
  É engraçado ouvir isto porque em casa somos 5 irmãos e quando crianças um queria fazer menos tarefas que o outro e ganhar mais benefícios que o outro.
  Qual a melhor maneira de evitar que uma industria compita com outra, oras, tirando a industria das mãos da iniciativa privada, o Estado deve ser dono de toda propriedade, assim acabamos com a competição.
  Se uma pessoa tiver uma idéia, um pensamento diferente da outra, fatalmente haverá competição para decidir qual idéia é melhor logo a solução é que todos pensem igual centralizando totalmente toda mídia impressa falada ou filmada.
  Você quer saber o que pensar? 

  Procure um órgão do Governo, assista a TV do Governo, assine os jornais e revistas do Governo.
  O Comunismo e a Teocracia nos prometem o fim da luta entre classes eliminando as classes.


=======================
  Fica assim: 

  Tem um clero conhecedor de todas as verdades e um povo totalmente obediente ao clero.

  No Comunismo tem o partidão conhecedor de todas as verdades e um povo totalmente obediente ao que determina o partidão.


  Por estes dias vi uma reportagem sobre um grupo de engenheiros que desenvolveram o carro flex.
  A idéia trouxe muito capital para a empresa que eles trabalhavam, se não me falha a memória foi a Bosh e acredito que também os engenheiros foram alçados para a classe AAA se já não estavam nela.
  Eu já tive um modelo de carro a álcool com um carburador todo corroído e vou dizer uma coisa, eu adoro este grupo de engenheiros...HAHAHAHAHAHAHAHAHHAHA!
  Os ricos ficam mais ricos, a industria nacional vira uma referência, muitos empregos, muito trabalho, muitos contratos novos e se a rica Bosh ficou mais rica, os pobres do Brasil ficaram menos pobres.
  Já perceberam que todo mundo tem celular? 

  Já perceberam que aquelas TVs com 2 cm de espessura que era uma coisa de ficção cientifica esta cada vez mais presente nos lares?
 Tente comprar um aparelho de vídeo cassete novo e sinta como é difícil.
 É senhoras e senhores, no Capitalismo o rico cada vez fica mais rico, mas o pobre ajuizado cada vez fica menos pobre, tem acesso a cada vez melhores recursos, se tiver sorte e algum talento pode até ficar rico também.


 
Só a competição nos provoca a melhorar nossa tecnologia, nos provoca a buscar melhores respostas filosóficas.


  Teocracia e Comunismo são farinhas do mesmo saco, esta igualdade exagerada que eles defendem não é natural em nossa espécie uns tem talento, outros tem sorte, outros tem os dois, outros nenhum dos dois. 

  Não é justo? 
  É, não é justo, mas esta é a realidade observável, cresça, pare de brincar de viver.
  O Capitalismo pode ser melhorado. Teocracia e Comunismo são causas perdidas é inacreditável que ainda percam tempo com isto.
  Se você esta na classe D, tem tudo para chegar a C, se esta na C pode tentar chegar na B, não perca seu tempo tentando acabar com as classes, não somos todos iguais, não nascemos todos nas mesmas condições financeiras, intelectuais ou espirituais.
  TENTE MELHORAR DE CLASSE!
  Os avanços pela melhora da produtividade Capitalista são tão grandes que hoje em um país como o Brasil estar na classe C esta longe de ser o pior dos mundos, o indivíduo tem acesso a uma variedade alimentar e uma tecnologia que nem reis do passado dispunham.
  O Capitalismo nem ao menos te obriga a lutar, se já esta cansado, relaxe, faça igual eu, fique apreciando a paisagem fazendo as coisas mais por prazer que ficar enlouquecido atrás de dinheiro.
  Eu até posso lutar por alguma coisa, mas eu escolho minhas lutas, não vou ficar aceitando lutas do Partidão ou da Igreja.
  Vida longa e próspera a Democracia e ao Capitalismo.
  Que nós sejamos honestos, trabalhadores e tenhamos muito JUÍZO.
  Quando pensar em competição monte mentalmente uma dessas corridas como a São Silvestre. 


  Porque você não consegue correr como o pelotão de elite devemos acabar com a corrida?

  Oras, correr faz bem, mesmo que você chegue entre os últimos com certeza teve seu condicionamento físico melhorado, fez amigos, se divertiu, a corrida é antes de tudo uma grande festa, dá para ver pelas imagens.
  Tá, mas você gosta mesmo do sedentarismo...tudo bem! 

  Ninguém vai na sua casa te obrigar a correr a meia maratona. O fato de você não gostar de corrida é suficiente para que acabemos com a São Silvestre!?
  Então esqueça esta balela de luta entre classes.
  Lute para melhorar de classe se assim o desejar, eu sinceramente lhe desejo boa sorte.
  Mas claro que estar no pelotão de elite, no AAA como os engenheiros do carro flex não é para todos, montar uma empresa como a Bosch é para menos indivíduos ainda, isto é motivo para acabarmos com as grandes empresas privadas?
   Bom eu não tenho nenhum projeto tão bom quanto o de carros bicombustível  nem ganhando sozinho na mega sena conseguiria comprar uma empresa igual a Bosch, mas comprar um carro flex eu consigo
me parece que os ricos ficaram mais ricos, mas eu fiquei menos pobre, é, para eu tá de bom tamanho...





BESALIEL BOTELHO

  Era uma vez o carro de um combustível só.
  No início dos anos 80, o engenheiro eletrônico Besaliel Botelho ficou indignado ao ver, pela TV, um taxista ateando fogo ao próprio carro em protesto pela falta de álcool. Naquele tempo, no Brasil, um carro rodava com álcool ou com gasolina, era um ou outro. À frente de um grupo de sete engenheiros da filial brasileira da multinacional fabricante de autopeças Bosch, Botelho pensou em um carro capaz de se desviar tanto do desabastecimento de álcool quanto dos aumentos de preço da gasolina. Para isso, debruçou-se no desenvolvimento de um software para gerenciar a mistura dos dois combustíveis, independentemente das proporções dos componentes. Em 1994, as engenheiros concluíram o primeiro protótipo de um "flex fuel", um Chevrolet Omega. Para testá-lo, a equipe rodou 200 000 quilômetros. O primeiro carro flex em série só apareceu em 2003, transformando o Brasil na vitrine mundial do método alternativo (houve outras experiências nos Estados Unidos, mas sem o mesmo sucesso). Hoje, quase metade da frota de veículos do Brasil é de carros bicombustíveis.




anterior                       <>                                próximo

Postar um comentário