quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Imbecilidade Social

 “A mulher foi o segundo erro de Deus.” [Niet]

  HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAAHAHAH!
  Niet é venenooooso... 

  Eu discordo de Nietzsche.
  Segundo a Bíblia Deus já vinha “errando” há muito tempo.
  Deus criou Lúcifer e incontáveis anjos caídos, a humanidade foi só um erro a mais... eu prefiro falar uma “experiência” a mais.
  Mas não quero falar de religião vou usar esta provocação de Niet para analisar nossa sociedade atual e amarrar esse texto aos dois anteriores.
  Em Veja SP li uma reportagem sobre o Parque Santo Antônio um dos lugares mais violentos de São Paulo, escolhi um depoimento entre muitos.

  “Daniela” toca viola em uma orquestra local, faz reportagens para uma revista de bairro e fala sobre as mazelas do Parque Santo Antônio sem perder o largo sorriso.
  Aos 20 anos, Dani acabou de dar à luz André.
  Ela já é mãe de “Márcia”, de 3 anos.
  Planeja se casar em janeiro do ano que vem.
  O rapaz, um amigo de infância, não é pai de nenhum de seus dois filhos.
  “Ele foi meu primeiro amor”, derrete-se.
   A jovem vai levantar mais um andar em cima da laje da casa, que tem dois pavimentos, onde mora com a mãe.
  O local não tem computador, mas a menina troca mensagens com as amigas através de seu smartphone com acesso pré-pago à internet.
  “Só tenho perfil no Facebook”, conta. “Orkut é coisa de pobre.”
  O estigma de morar em uma região violenta abala a autoestima.
  “Sempre alguém quer saber como é viver em um local tão perigoso.
  A minha resposta sincera: é insuportável.” [Veja SP]

  Sei lá, quando você acha uma situação insuportável não faz de tudo para muda-la para melhor?
  Isto é uma inteligência básica muito próxima do instinto, se minha mão está em um objeto muito quente eu faço de tudo para tirar minha mão dessa situação prejudicial a ela, tirar dessa situação “insuportável’.

  Eu, por exemplo, sempre achei que meus pais tiveram mais filhos do que tinham condições de criar, imaginem se agora eu fizesse a mesma coisa, como eu posso criticar meus pais e seguir o mesmo caminho!?

  Oras, se eu repito o erro de meus pais eu sou uma pessoa muito hipócrita ou muito burra, alguém incapaz de corrigir algo que eu mesmo defini como erro.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
 Pensem comigo:
 A garota da reportagem nasceu em 1992, sabemos que na década de 80 a ocorrência da AIDS nos obrigou a falar coisas relacionadas ao sexo abertamente.
  Palavras proibidas como camisinha passaram a fazer parte de campanhas publicitarias exibidas em horário nobre.
  Ou seja, uma mulher com 16 anos em 2008 não tem como alegar ignorância em relação como evitar a gravidez, com pouco esforço ela tem acesso gratuito a anticoncepcionais.

  Se o Parque Santo Antônio é um lugar tão ruim para viver não vejo em que ficar gravida aos 16 anos irá melhorar a situação.

  Ela diz que tinha um grande amor de infância, mas transou e teve filho com outro homem e aos 19 anos repetiu a dose, ficou gravida novamente!
  É esperta para tocar viola na orquestra, é esperta para fazer reportagens para revista do bairro, é esperta para preferir Facebook ao Orkut, é esperta para transar com um homem que não ama, mas se tratando de filhos é uma vítima da sociedade!!!

  O rapaz que irá casar com ela suponho que tenha mais ou menos a mesma idade por ser amigo de infância.
  Um cara de uns 22 anos casando com uma mulher de 20 que já tem duas crianças de outro homem, olha, sinceramente, se fosse meu filho eu ficaria muito triste, iria ser um desgosto para mim.

  Eu tenho duas filhas se uma delas com 22 anos fosse casar com um cidadão de 20 anos já pai de dois filhos eu lamentaria muito.

  A não ser em uma situação sui generis eu considero esta pessoa muito irresponsável.
  Errar uma vez acontece, mas duas com uma coisa tão grave quanto por uma criança no mundo...
  Um casal tão jovem provavelmente terá mais uns 2 filhos inchando ainda mais a população do Parque Santo Antônio e a culpa pela péssima qualidade de vida é de quem?
  Da sociedade capitalista burguesa!
  Ah, fala sério!
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Claro que a Daniela tem liberdade para tocar sua vida como achar que deve, desde que não cometa nenhum crime.
  Acontece que como no caso dos pequenos agricultores do texto anterior não venham me dizer que Daniela é uma folha em branco e ao colocar filhos no mundo está fazendo algum grande favor para sociedade.
  Infelizmente seus filhos vieram ao mundo com uma grande desvantagem social, pena que ela não tenha se preocupado com seus filhos, só pensou em revirar o zóinho.

  Eu implantaria nesses lugares como o Parque Santo Antônio escolas e creches em período integral para que as crianças fossem bem alimentadas e estudassem bastante, não gosto da ideia de dar dinheiro para mulheres iguais a Daniela como não gosto da ideia de financiar invasões do MST e chamarmos isso de “justiça social”.

  Não me subestimem, claro que não estou escrevendo esse texto para “danielas” da vida, pais e mães irresponsáveis são quase um caso perdido para mim, não gasto texto com eles, se eu pudesse lhes aplicaria alguma injeção e os deixaria estéreis, só teriam filhos com autorização judicial, um homem ou mulher trazer uma criança ao mundo e não lhe dar uma assistência aceitável é repugnante.
  Escrevo esse texto para garotos e garotas de 14 anos, escrevo esse texto para minhas filhas, escrevo esse texto para você e sua ilógica noção do que seja JUSTIÇA SOCIAL.
  Os cidadãos ajuizados e responsáveis serem obrigados através dos impostos a dar casa, comida e boa vida aos sem juízo e irresponsáveis é uma imbecilidade social.

  Sou a favor de uma rede de proteção bem básica para o indivíduo não passar fome, ter ao menos um albergue onde ficar e assistência médica, fora isso, se quiser mais QUE CORRA ATRÁS e dentro da lei senão sou a favor de penas duríssimas.

  Para as crianças boas escolas, educação de qualidade e a ESPERANÇA que não sejam tão irresponsáveis quanto seus pais...


"Neguinho", de 18 anos: no mundo do crime desde o início da adolescência (Foto: Mario Rodrigues)


Fim de semana no parque Santo Antônio ♫♫♫♫♫


Anterior          <>        Próximo



Postar um comentário