quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Maldade Continua

  “Até Deus tem um inferno: é o seu amor pelos homens.”
  [Nietzsche]

  “E viu o SENHOR que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente.
   Então arrependeu-se o SENHOR de haver feito o homem sobre a terra e pesou-lhe em seu coração.
   E disse o SENHOR: Destruirei o homem que criei de sobre a face da terra, desde o homem até ao animal, até ao réptil, e até à ave dos céus; porque me arrependo de os haver feito.”
  [Gênesis 6:5-8]


  “A paixão é má conselheira.”

   Se Deus existe espero que não seja como relata a Bíblia.
   Entretanto como tantos acreditam que Deus é tal qual descrito na Bíblia ... vamos flutuar por essa possibilidade.
  Observem que o Deus Bíblico é muita histérico, muito passional.
  Fica irritado com alguma coisa diz que vai acabar com tudo, mas volta atrás, no entanto já destruiu muitas coisas, cidades inteiras, proporcionou grandes massacres.
  Os freudianos diriam que Deus é “Borderline”

  “O Síndrome de Borderline, também conhecido por transtorno de personalidade limítrofe, é uma doença psicológica grave que provoca oscilação de humor, medo de ser abandonado pelos amigos e comportamentos impulsivos.” [Tua Saúde]

  Lembro de ter escrito um texto onde desejava que Deus apenas gostasse da humanidade, um Deus apaixonado é muito perigoso.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
“A paixão é má conselheira.”

  Vejam meu caso, eu tenho uma dificuldade enorme para idolatrar qualquer coisa ou ser, isso me facilita analisar tudo com um bom grau de isenção.

  Porém, segundo a Bíblia, essa independência mental ofende a Deus e provavelmente serei lançado no fogo do inferno.
  O amor de Deus é uma coisa asfixiante eu o adoro de todo meu coração ou serei lançado ao inferno.

  Eu não me imagino fazendo o mesmo para minhas filhas.
  Vamos dizer que minha filha se case com alguém que eu não tenha muito apreço, nem por isso eu deixarei de desejar o melhor para ela, se eu não puder ajudar não irei atrapalhar.

  A Bíblia nos descreve um Deus magoado, ofendido, triste, arrependido e tudo por causa do seu amor pela humanidade!

  Nietzsche “parece” estar certo, mas eu defendo que o inferno de Deus é seu narcisismo, sua extrema necessidade de ser adorado.

  O Deus Bíblico parece aquele homem obcecado por uma mulher que diz: “Se ela não for minha não será de ninguém.”

  Deus vai além, se não o adorarmos até em pensamento ficaremos eternamente sendo torturados por Lúcifer!
  Considerando que Deus seja como diz a Bíblia ele próprio já se lançou em um inferno.
  Chega a ser irônico, a dureza da pena que ele aplicar em nós será experimentada por ele.
  Tão passional como é não ficará em paz sabendo que a grande maioria da humanidade preferiu ficar no inferno.
  O amor não é algo que podemos exigir, por vezes temos que nos contentar com o respeito e a amizade.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  “E viu o SENHOR que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente.”

  Todos sabem que eu defendo que há humanos maus, mas a grande maioria de nós é pacifica, “peca” mais por omissão que por ação.
  Muita da nossa omissão vem de ideologias delirantes.

  A criança no sinaleiro é culpa sua, não de um casal irresponsável.
  O drogado é culpa sua, o usuário não teve escolha.
  O Brasil não ser desenvolvido é culpa do imperialismo Americano ou da colonização portuguesa.
  Somos vítimas inocentes de políticos, eles não são povo, são alienígenas...


  Com debates de melhor qualidade podemos destacar ideologias mais eficientes, que correspondam mais a uma realidade observável.
  Quero dizer que essa “maldade continua” é mais uma ideologia delirante dos antigos, aqueles que escreveram a Bíblia.

  Quem não conhece aquela senhora que cuidou e cuida razoavelmente bem de sua família, mas adora uma fofoca sobre os vizinhos?
   Se você olhar para ela e ver só seu gosto pela fofoca de certo verá um ser desprezível.
  Mas a fofoca é só um gosto “questionável” em sua vida e os efeitos na vizinhança não são tão maléficos, democraticamente ela fala mal de todo mundo
  Por vezes nem fala mal, apenas espalha um fato, um acontecimento.
  Se a garota do 381 está saindo com o garoto do 582 a vizinha fofoqueira está comentando um fato e não inventando uma maldade.
  Sim, a vizinha poderia olhar só para sua própria vida e deixar os outros em paz, mas...

“Quem for perfeito que atire a primeira pedra.”

  Se você me julgar apenas pelos meus questionamentos Religiosos, me verá como um verdadeiro anticristo, um ser desprezível a serviço do mal, “que meus pensamentos e imaginação são continuamente maus.”
  Caraca, eu não escrevo só sobre religião, mas claro que tem que ser um assunto dominante, se a Filosofia não se ocupar de política e religião irá se ocupar de quê?
  Sou um pacato cidadão pagador de impostos, cuido razoavelmente bem de minha família, tento ser um bom profissional na Empresa, meus vizinhos não devem ter grandes queixas de mim... enfim não tenho como ser perfeito, mas estou longe de ser desprezível.
  Meus questionamentos sobre tudo são bastante razoáveis e SINCEROS.

  O cidadão que abusa da cerveja deveria beber um pouco menos, mas daí a ser desprezível, alguém constantemente mau...é muito exagero.

  A população humana quase sempre esteve em crescimento, quando não esteve foi por fenômeno natural como o período glacial, algo totalmente fora do nosso controle.
 Se somos tão auto destrutivos porque nossa população nunca parou de crescer?

  Gosto de história nunca observei uma humanidade 100% má e nem 100% boa.
  Somos crianças, estamos aprendendo a viver.
  Existe muitas pessoas más, no entanto observo que a maior parte da população é formada de pacatos cidadãos.

  Um dos grandes problemas é que os antigos “falando em nome de Deus” transformaram tudo em pecado: Sexo, bebida, fofoca, jogo... condenaram qualquer forma de PRAZER.

  Não nos deixarmos dominarmos pelo prazer é um princípio básico da busca pela sabedoria, mas aboli-lo de nossas vidas é uma grande ESTUPIDEZ.


  Se for para viver sem nenhum prazer...prefiro nem viver!



Anterior          <>        Próximo