domingo, 29 de dezembro de 2013

Bolsa Friedman

  “A sociedade que coloca a igualdade à frente da liberdade irá terminar sem igualdade e liberdade.”  
[Milton Friedman]
      
  Não somos iguais em nossas habilidades e algumas habilidades são mais valorizadas que outras de acordo com a situação e época.

   


  Achamos justo que um apresentador como o Silvio Santos ganhe melhor que outro apresentador não tão bom quanto ele.
  Achamos justo que o Neymar ganhe mais que um jogador não tão bom quanto ele.
  Porque não estendemos esse senso de justiça para outros profissionais?
  Porque um policial ou professor muito eficiente não pode ganhar mais que um policial ou professor pouco eficiente e mais ainda, porque não podemos demitir um professor ineficiente?
  Mas não vou falar hoje sobre MERITOCRACIA, deixarei de lado a análise das habilidades individuais para nos concentrarmos nas situações desiguais que nascemos.

  Na vida há inúmeras situações horríveis passar fome é uma delas.
  Sem comer ninguém vive, logo, se o indivíduo permanece vivo é porque alguma coisa está comendo.
  A fome que fala esse texto é difícil de entender para quem nunca passou, é como tentar explicar o orgasmo ou o amor para quem nunca sentiu.
  Eu mesmo [na infância] já tive bem pouco para comer, mas sempre tinha alguma coisa.
  Lembrei agora de uma vez que ganhamos uma boa quantidade de feijão preto de péssima qualidade, sabe como é, não existe melhor tempero que a fome.
  Para completar o quadro nossa panela de pressão não segurava pressão...

  Pobre é cheio dessas coisas que tem o nome, mas não o funcionamento.
  Garrafa térmica que raramente tem café e quando tem ela não mantem aquecido é só decorativa, foi ganha de alguém ou até encontrada no lixo.
  Cobertor transparente, é aquele cobertor tão usado que dá para ver do outro lado, tem o nome de cobertor, mas não seu funcionamento como deveria ser, os rasgos aumentam cada vez que seu dedão enrosca neles ... aconteceu muito comigo.

  Voltando ao feijão, além de ser ruim era mal feito mesmo assim eu comia... bem, comi até quando meu organismo suportou.
  Um dia estava comendo com bem pouca vontade, não suportava mais aquilo, do jeito que mandei mais uma colherada para o estomago ele literalmente jorrou tudo que eu já havia comido.
  Lembram daquela cena clássica do exorcista quando a garota vomita em jatos?
  Apenas troque a gosma verde por uma gosma preta.
  Aquele feijão saiu com tanta força que levou até minha alma , fui exorcizado de mim mesmo pelo feijão preto.
  Só sei que fiquei anos sem nem poder olhar para feijão preto por melhor qualidade que tivesse.

  Ainda bem que quando você lê a palavra fome deve no máximo chegar naquela situação corriqueira de ser 15 horas e você ficar com “fome” até a janta, lá pelas 19 horas.
  Para esse texto fazer sentido você vai ter que ir muito, mas muito além disso, use sua imaginação.

  Você está com fome as 15 horas porque no almoço conseguiu pouca comida e as 19 horas sabe que não terá melhor sorte.

  Você não suporta mais feijão preto?
  Tudo bem, coma só arroz.
  Nós achamos bizarro a alimentação de outros povos como comer insetos, cachorros...crianças.
  Mas quem teve um contato com a fome, mesmo superficial como eu, consegue entender muito bem... ou talvez seja mais um desses dons meus que não servem para nada.
  Eu consigo perceber um sentimento e multiplica-lo dezenas de vezes, a dor do próximo passa a ser a minha dor, medicina para eu é uma profissão impossível.
  Por isso gosto de ver sorrisos, nada melhor que multiplicar sentimentos bons.

  Em tempos de guerra você literalmente não tem nada para comer e “só consegue pensar nisso, faz qualquer coisa por comida”
[Essa é a chave desse texto]

  Na primeira guerra a fome foi tanta que as pessoas cozinhavam sapatos de couro e comiam para conseguir alguma proteína.
  Você já viu a cena em desenhos antigos como Pica Pau e aposto que não sabia de onde ela vinha.

  Por vezes nem é guerra, alguns regimes de governo são tão ineficientes que provocam tragédias alimentares.

   “Coreia do Norte enfrenta acusações de canibalismo devido à fome no país.
   Em um dos casos, um senhor desenterrou o próprio neto e canibalizou o corpo da criança para não morrer de fome.
  Uma terceira pessoa, “enlouquecida pela fome”, diz o jornal, ferveu o próprio filho para se alimentar.” 

  A fome enlouquece, desperta nossos instintos mais selvagens.

  Quando estamos com fome não conseguimos raciocinar direito, só pensamos em conseguir alimento.
  Você pode se sujeitar a um trabalho muito duro em troca de um prato de comida.
  Se é mulher pode aceitar transar por qualquer trocado.

  Matar e roubar passa a ser altamente justificável.

  A fome leva o ser humano a um estado de primitivismo mental que convém evitar.

  Quero dizer que mesmo que não seja por fraternidade a LÓGICA sugere que não deixemos pessoas passarem fome.
  Quanto mais pessoas na miséria, mais difícil é manter uma situação social de CIVILIDADE.
  A miséria, a extrema pobreza são situações muito perigosas.
  Se você mantem um gatinho sem comer ele fica super estressado e sem esperança vai usar o pouco de energia que lhe resta para te atacar, no início “se você for insensível” acha até graça, o gatinho não tem força para lhe fazer algum mal.
  Mas muitos gatos na mesma situação viram tigres que não tem nada a perder.

  Entenda que garantir uma renda mínima as famílias para que elas não passem fome é LÓGICA PURA.

  Exigir que crianças frequentem a escola para que quem sabe sejam mais eficientes que seus pais faz todo sentido do mundo
  Acumulamos CONHECIMENTO suficiente para não termos mais dúvidas quanto a isso.

  Aqui entramos na parte útil da ambição e amarramos esse texto ao anterior.

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Ainda bem que a maioria de nós somos egoístas e ambiciosos, isso torna o Bolsa Escola/Família uma porta de saída em si mesmo.

  Com tantos prazeres e facilidades que a vida moderna oferece é evidente que 70 reais por mês não são suficientes.
  Superada a necessidade básica de se preocupar com comida o indivíduo irá PENSAR em outras formas de ganhar mais dinheiro.

  O governo precisa desenvolver meios de detectar esse indivíduo que já não precisa da renda mínima e suspender o benefício.
  Essa coisa de contar com o “bom samaritano” é INEFICIENTE.
  Benefícios devem ser pagos a quem realmente precisa, é o nosso dinheiro dos impostos.

  Paralelo a isso lembremos que a família é obrigada a manter as crianças na escola, isso deve ser duramente fiscalizado.
  Sei que precisamos lutar por um ensino fundamental de melhor qualidade, mas mesmo nossa escola insatisfatória é melhor que submeter a criança desde de cedo a duros trabalhos na roça ou mendicância em semáforos.
  Se a criança for ao menos bem alfabetizada, conseguirá por conta própria vislumbrar novos caminhos, novas possibilidades de ascensão econômica e social.

  

  A ambição humana garante que o Bolsa Escola facilite a vida dos mais aptos que por uma infelicidade nasceram em situações degradantes ou de pais muito irresponsáveis.

  E sim.

  Inevitavelmente haverá muitos sem ambição suficiente para abrir mão dessa rede de proteção da sociedade.

  Ainda assim é lógico mantê-los bem alimentados, não precisa muito mais que isso, não podemos dar muito mais que isso.
  É lógico que se mesmo sem trabalhar eu posso ter um bom padrão de vida garantido pelo “Governo” ... me sujeitar ao estresse do trabalho não é muito encorajador.

  Acontece que o Governo não tem dinheiro, esse dinheiro que o Governo administra é fruto da arrecadação de impostos, é o meu o seu dinheiro ganho com muito suor tendo a “obrigação social” de garantir boa vida para quem não se comporta tão responsavelmente quanto nós.

  É justo que se eu trabalho mais, sou mais competente, tenha uma melhor qualidade de vida?
  Sim, eu considero justo, não somos todos iguais.

  E aquele incompetente que teve sorte na vida ou nasceu em berço de ouro?
  Se você é religioso questione a Deus, se é ateu se conforme com o Acaso... vamos desejar mal ou prejudicar as filhas do Silvio Santos só porque elas nasceram filhas do Silvio Santos!?

  Cuidado com a inveja desmedida, é uma grande loucura.




  


  "Nossa tarefa como Governo é garantir a existência de uma ambiente que LIBERTE as habilidades criativas de nossos povos para que eles mesmos criem riqueza e promovam o desenvolvimento." 
[Nelson Mandela]

   Se eu fosse definir a vida de Mandela em uma única frase seria:
  "Um Comunista/Socialista que entendeu a superioridade pratica do Capitalismo/Democracia."






anterior                                <>                                     próximo

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Bolsa Escola

  Com participação ativa da esposa Ruth Cardoso, o Bolsa Escola foi criado no Governo Fernando Henrique dentro da rede de proteção social que consistia na junção de vários programas assistenciais.

  


  [Esse texto é apenas uma preparação para o próximo, portanto ele parecerá sem sentido, mas não se engane, ele é a base de muitos pensamentos que serão expostos, um tipo de “chave do entendimento”.]

AMBIÇÃO

a) Desejo desmedido pelo poder, dinheiro, bens materiais, glórias, cobiça:
“Só conseguiu ser rico porque sempre teve ambição.”

b) Obstinação intensa para conseguir determinado propósito; vontade de alcançar sucesso; pretensão.
 “Tinha a ambição de um dia ser cantor.”


  Aqui no Abismo dos Pensamentos a Ambição não é necessariamente má.

  Ambição em excesso é loucura, mas inúmeras virtudes tornam-se loucura se praticadas em excesso.

  Tem uma pessoa próxima que “aparentemente” não tem ambição nenhuma.
 [A maioria de nós conhece pessoas assim, tente lembrar de alguma.]
  Não tem conta em banco, carteira assinada... mora onde dá.
  Se seus biscates não rendem o suficiente para dormir em um quarto ele dorme na rua. (Isso já aconteceu)
  Seus biscates são de serviços braçais, ajudante de pedreiro ou pintor.
  Não é um “vagabundo” é uma pessoa que suporta trabalhar.
  É honesto, nunca fiquei sabendo de nada que o desabonasse no item honestidade.
  O considero alcoólatra, por vezes bebe até cair, cerveja e cachaça consomem todo dinheiro que ele consegue. (Não usa drogas)
  Até pouco tempo atrás conseguia se manter sóbrio durante o serviço, mas isso já não é mais observado.
  Para dar uma força minha esposa o contratou para um serviço de pintura, mas teve que desistir, o trabalho estava demorando demais porque na maior parte do tempo estava bêbado.
  Como ele é “praticamente” um parente não dá para dizer se sempre se comporta assim.
  Sabem como é, tem pessoas que abusam da amizade.
  Seu amigo pede dinheiro emprestado a você e “em nome da amizade” nem se preocupa em pagar, com alguém que ele não tenha tanta amizade paga o empréstimo.
  Talvez ele tenha sido mais irresponsável porque acreditava que em “nome da amizade” minha esposa nunca o dispensaria.
  Acontece que eu e minha esposa aprendemos muito bem a separar negócios de amizade.
      
  Para não alongar muito o texto vamos a questão que nos interessa.

  Ele é “homem”, “branco”, “hétero”, “paulista”, “bem alfabetizado”.

  O exemplo dele é muito bom porque foge de todos aqueles tipos que a sociedade freudiana acredita que temos “dividas históricas”, defende que temos que resgatar “séculos de exclusão social”.
 [Mulher, negro, gay, índio, nordestinos e de outras regiões pobres, analfabetos e pessoas de baixa escolaridade]

  Nosso analisado poderia arranjar um emprego qualquer, ter algum rendimento garantido no final do mês, o que ele fizesse fora do trabalho seria problema dele ... desde que não fosse algo criminoso.
  Mesmo com um salário baixo poderia morar em alguma pensão bem humilde.
  Pra quem não liga de dormir na rua ou em albergues, qualquer cantinho seria satisfatório ... claro, isso usando a lógica, o bom senso.
  Entretanto nosso analisado gosta de viver como vive, cada dia é um dia, sem grandes pressões ou preocupação com o futuro.

 “Deus sabe o que faz e no final dá tudo certo.”

  Não é irônico que o jeito do analisado viver é a “fórmula mágica” de muitos manuais de autoajuda?

  Sei, você vai dizer que ele bebe demais, mas os livros de autoajuda dizem que você deve buscar o que lhe satisfaz?
  A bebida o satisfaz!
  Ah! Mas os livros de autoajuda dizem que você tem que ter disciplina.
  Concordo, para ter disciplina você tem que usar a Lógica, o Bom Senso, não pode se entregar totalmente ao medo ou ao prazer.

  Percebeu como voltamos a “essência” da lógica/bom senso?

  BOM SENSO uns tem, outros não tem, muitos podem desenvolver, mas TEM QUE QUERER.
      
  Nosso analisado não tem ambição?
  Não podemos afirmar isso, ele gosta de dinheiro, se ganhasse na loteria ficaria feliz da vida; como a maioria dos hipócritas que criticam o acumulo da capital, mas querem acumular capital. 

  Quando consegue algum trabalho [é um bom pintor] não cobra barato não.
  Acontece que não noto nele uma ambição suficiente para mantê-lo em uma vida “digamos” mais regrada.

  Eu sou preguiçoso, se pudesse não sairia de casa.
  Mas eu AMBICIONO CONFORTO, minha ambição é grande o suficiente para me tirar de casa, me fazer trabalhar pelo menos com carteira assinada, ter um dinheiro certo no fim do mês, para que eu possa “sem MEDO curtir o PRAZER de ficar em casa.”

  Nosso analisado está na casa dos 50 anos, a debilidade física começa aparecer mais intensamente nessa fase, ainda mais para um indivíduo que vive cada dia sem se preocupar muito com saúde/prevenção.
  Não é difícil prever o futuro do nosso analisado.
  Enquanto tiver saúde suficiente vai sobrevivendo.
  E quando a saúde o incapacitar?
  Conseguindo permanecer vivo será morador de rua, perambulando por albergues, se alimentando da caridade das pessoas.

  Não, o analisado não teve uma infância terrivelmente sofrida.
  Sua mãe morreu cedo, seu pai se casou com outra, ele não aceitou, já tinha idade para sair de casa e saiu.
  Jovem, saudável, bem alfabetizado poderia ter uma história comum a maioria de nós.
  Classe média baixa ou alta, nossa vida mediana longe da riqueza e igualmente longe da miséria.
  Porque essa vida “sem lenço sem documento”?
  É um opção dele, um gosto dele temo que aceitar ou pelo menos respeitar.
  Como entende muito bem de pintura e é talentoso poderia ser um bem sucedido trabalhador autônomo, conheço tantos assim que ganham muito mais que eu que não tenho talento algum.
 
  Na situação inversa do nosso analisado temos aquelas pessoas que juntaram uma fortuna enorme, tem tudo do bom e do melhor e mesmo assim continuam a querer acumular riquezas, sem dar a devida atenção a necessidade de outras pessoas.

    No entanto para meditar sobre o Bolsa Escola/Família o tipo de indivíduo que nos interessa é a média da população ao qual eu me enquadro e que somos a grande maioria.

  Nossa ambição não é desmedida e nem insatisfatória.

  To be continued...

  





 
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬     
👩 “No final pode até haver uma melhora no lado financeiro da vida dessas pessoas, mas a maioria vai sempre estar de certa forma dependente desses tipos de auxílios.
  Ao invés de aprender pescar fica esperando o peixe aparecer.”
[Comentarista no G+]         
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Quero deixar claro que:

  SOU A FAVOR DO BOLSA ESCOLA, A MISÉRIA É INADMISSÍVEL.

  Observo que a maioria das pessoas tendo ao menos o que comer irá atrás de uma profissionalização melhor.
  Sem contar que as crianças não devem pagar com a fome o erro ou irresponsabilidade dos pais.

  Quem desenhou esse modelo de “renda mínima” foi o “capitalista” Milton Friedman.

  Nunca entendi tratarem Lula como o “pai do Bolsa Família”, ele apenas continuou com algo que estava dando certo e batizou com outro nome uma vez que seu programa de governo era o Fome Zero que não deu em nada.
  O mérito de Lula foi continuar o que FHC já tinha iniciado, estruturado e estava em plena execução.

  Vejam a história do programa:

 Bolsa Escola ou ainda bolsa-escola é um programa de transferência de renda com condicionalidades brasileiro.
  Foi idealizado originalmente em proposta realizada por Cristovam Buarque enquanto reitor e professor da UnB no ano de 1986, cujo objetivo era pagar uma bolsa às famílias de jovens e crianças de baixa renda como estímulo para que essas frequentassem a escola regularmente.

  Foi implantado em janeiro de 1995 em Campinas, seguindo a própria proposta de Cristovam Buarque, durante o governo do prefeito José Roberto Magalhães Teixeira / PSDB.
  Posteriormente, com um diferença de apenas 5 dias, foi implantado em Brasília pelo Governo do Distrito Federal, então chefiado por Cristóvão Buarque / PT.
  A lei de Campinas foi aprovada na Câmara Municipal em 6 de janeiro de 1995 e regulamentada em 18 de abril, quando os primeiros benefícios começaram a ser pagos.
  Já em Brasília, o decreto foi assinado em 11 de janeiro de 1995 e os primeiros benefícios começaram a ser pagos em maio.
  Finalmente, o Bolsa Escola federal foi implementado em 2001 pelo governo de Fernando Henrique Cardoso.
  Chegou a beneficiar mais de 5 milhões de famílias em todo o Brasil quando, em 2003, foi incorporado ao Programa Bolsa Família pelo presidente Lula.”

  Outro programa social/econômico excelente gestado no Governo FHC foi o de Participação nos Lucros e Resultados.
  O considero mais eficiente que o Bolsa Escola, um complementa o outro.
  O PT conseguiu estragar o Bolsa Escola pelo excesso de populismo barato e baixa fiscalização.
  Quanto ao PLR ... o PT não se interessou em aprimorar o programa, torna-lo mais efetivo ... infelizmente.

  Preferiu isenções fiscais para frigoríficos, montadoras, empreiteiras, congelamento de preços da Petrobras e Eletrobrás ... populismo barato que nos custa tão caro. 😞



domingo, 22 de dezembro de 2013

Sobre Inocência

   “Nunca abandone suas três grandes e inabaláveis amigas:
   Intuição, Inocência e Fé.
  [Autor desconhecido]



 
Superestimar Atribuir a algo ou alguém qualidades ou características acima das reais.

  Já escrevi bastante sobre superestimar a Fé.

 “Com Fé pode-se, tudo até mover montanhas”. 
 
  É comum ler postagens onde se você tiver Fé pode andar sobre as águas.
  O autor da postagem nunca conseguiu fazer isso, nunca presenciou alguém fazer isso, mas você só não faz se não quiser, se não tiver Fé o bastante.
  Basta ter a Fé mágica que o autor do post não tem...simples, simples.

  Superestimam a Intuição, Einstein foi mais provocativo.

  “Albert Einstein uma vez disse que “a intuição nada mais é que o resultado da experiência intelectual anterior”.

  Mas esse texto é sobre a “idolatria a inocência”.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Quem nunca viu aqueles posts onde criança é tudo de bom, verdadeiros anjos da sabedoria na Terra?

  Um internauta disse que todos os adultos deveriam voltar a ser crianças, o mundo ficaria bem melhor assim.

  Ele não estava sozinho nessa opinião, dezenas de pessoas positivaram seu post dizendo que deveríamos voltar a inocência da infância e a vida na Terra seria um paraíso.
  Caraca!
  Não sei onde estão essas crianças tão sabias e maravilhosas.
  Crianças querem sempre ser o centro das atenções e acabam sendo quando bebês porque realmente precisam de muita atenção e são cativantes.
  A medida que vão crescendo e tendo que assumir suas responsabilidades NÃO lidam muito bem com isso, gritam, esperneiam fazem birras.
  Não quero me estender sobre essa parte da análise, esse texto não é sobre crianças e sim sobre “inocência/ingenuidade”, PUREZA DE SENTIMENTOS.

  Quem acredita que crianças são anjos da sabedoria que prove sua tese as deixando comandar a casa.
  Da minha parte, quando vejo pais dominados por suas crianças é deprimente.

  

  Outros são tão hipócritas, defendem igualmente que crianças são anjos da sabedoria ao mesmo tempo que pregam na Internet a volta do espancamento infantil, vara de marmelo, cintadas, palmatória...dizem que a “tortura” fez com que fossem as pessoas “maravilhosas” que são hoje.
  Quem não é honesto e maravilhoso é porque não apanhou o bastante na infância!
  [Superestimam o passado, nele tudo era divino e maravilhoso, não havia criminosos, corruptos ou mau caráter de qualquer tipo...acredite quem quiser.]

_____________________
👨 “Havia mais inocência da minha geração, que não há na atual, pois esta geração dispõe de muito mais informações que a minha.”
 [Comentarista no G+]
_____________________

  Porque a “inocência” é algo tão desejável, sinônimo de uma vida melhor!?

  Acreditar que cegonha traz bebês é melhor que saber que eles acontecem a partir de uma relação sexual ou inseminação artificial?

 Tive uma infância muito pobre, pão com presunto era festa.
  Para minha filha pão com presunto...é pão com presunto, uma opção entre tantas outras.

    A inocência, a ingenuidade, tem seu charme, mas o conhecimento é mais eficiente mesmo que pareçamos mais “chatos”.
 [Isso para quem consegue medir a alegria das pessoas]


  Fiquei muito alegre quando ganhei minha primeira calculadora, minha filha ficou muito alegre quando ganhou seu primeiro celular que cá para nós é muito, mas muito melhor que minha calculadora, tem até uma calculadora incorporada.

  Como medir que minha alegria foi maior que a da minha filha?
  Como afirmar que minha infância foi melhor que da minha filha!?

  Se eu der uma calculadora para minha filha ela não vai achar nenhuma graça; por isso posso considerá-la chata?
  Ela CONHECE smartphones é natural que uma simples calculadora não lhe provoque grande alegria/emoção.
  Se alguém me desse hoje uma TV de tubo, sinceramente eu recusaria, só ocuparia espaço no apartamento.
  Não sou “inocente”, “ingênuo”, “SEI” que uma TV de LED é bem melhor.
 
  A primeira TV nova em casa foi eu que comprei.
  Durante o tempo que vivi com meu pai ele só comprou TVs bem usadas, quando houve a separação de minha mãe eu e ela só conseguimos comprar TVs bem usadas.
  As quebras eram constantes, os defeitos diversos.
  Tinha uma que o seletor de canais precisava ser escorado com um prendedor de varal para sintonizar o único canal disponível.
  Quando morei na Vila Boa Vista meu pai comprou uma TV tão antiga que dava até medo.
  Era de válvula, dá para acreditar?
  Demorava para ligar, fazia barulhos estranhos de uma bomba prestes a explodir e era feia, muito feia.
  Tinha uma caixa enorme para uma tela pequena, parecia um robô monstro de ficção cientifica.
  Não usamos muito, em pouco tempo ela quebrou várias vezes, meu pai não pagou e a TV voltou para loja de consertos.
  Saudades daquelas TVs antigas?
  Tudo que acontece em nossa infância e não nos faz “mal traumático” deixa alguma saudade.

  Defendo que não é saudade do objeto, da situação e sim da própria infância.




  A TV que marcou minha vida foi a primeira nova que comprei, a primeira a cores, com controle remoto.
  Era uma Mitsubishi, nunca deu defeito, depois de anos comprei uma de 29 polegadas, a Mitsubishi de 20 polegadas ficou obsoleta, mas ela continuou alguns anos comigo a coloquei no quarto.
  Certa vez uma funcionaria estava para casar meio às pressas, não tinha nada em “casa” [iria morar no fundo da casa da sogra].     
  Ela lamentou não ter nem uma TV, naquele momento percebi que minha querida Mitsubishi poderia fazer alguém muito alegre, lhe dei a TV, ela ficou radiante de alegria.

  O que já não é satisfatório para nós pode trazer muita satisfação aos outros, afinal o tempo passou e a TV era só um objeto, não algo a ser cultuado.

  Foi bom chegar com o objeto TV em casa, mas o memorável foi comprar algo tão desejado e bom, uma sensação maravilhosa, uma coisa tão simples que meus pais não conseguiram me dar estava eu ali realizando por conta própria.
  É evidente que as TVs que tenho em casa hoje são bem melhores, em termos de eficiência não dá para sentir saudades da Mitsubishi.

  É importante você perceber que certos saudosismos do passado se referem mais a saudade de nossa infância e juventude e nos iludimos “personificando” em um objeto.

  Rodar bambolê é uma coisa extremamente boba, mas ter 12 anos é inesquecível.

  Quando você tem 12 anos tudo é possível, tem uma vida para construir, tudo de bom pode acontecer.
  Se você é baixinho ainda pode crescer.
  Se você é bonito pode ficar grande e forte.
  Se sua aparência não é muito boa crescendo pode melhorar.
  A gostosa espera dos beijos, dos namoros, do sexo, de encontrar o amor da sua vida.
  Namorar, casar, ter filhos, ficar rico e famoso, ser um profissional de destaque... “tudo” é possível, nossa vida está em aberto.
    
  Vejo muitas postagens fazendo previsões sombrias para nossas crianças, uma delas dizia que nossas crianças munidas de tabletes e celulares não terão do que sentir saudade!!
  A infância e juventude sempre deixam saudades, até quando não são muito boas.
   Minha filha lembrará com saudades de seus DVDs e passeios, seu primeiro celular, seu primeiro tablete ... que são bem mais interessantes que rodar bambolê, soltar pipa com cerol ou prender pássaros em gaiolas.


“Na infância, nosso futuro é um sonho.
Na juventude, nosso futuro não tem futuro.
Quando adulto, nosso futuro é a realidade.
Na velhice, nosso futuro é uma tragédia.”
[Lapalce Rodrigues]


  Na infância, nosso futuro é um sonho – Tudo é possível.

  Na juventude, nosso futuro não tem futuro - Para o jovem a juventude é eterna, não tem as amarras do tempo.

  Quando adulto, nosso futuro é a realidade – Lá pelos 30 nos conformamos que muitos sonhos não serão realizados.

  Na velhice, nosso futuro é uma tragédia – Doenças que nos atingem, mortes de pessoas próximas.


Qual o sentido da vida?





anterior                                <>                                     próximo

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

FORA DAQUI!

“Minha aura clara, só quem é clarividente pode ver.”
 [Gilberto Gil]

_________________________
 👩 "Cada um faça o que quiser de sua vida e da palavra de Deus, depois cada um terá mesmo que arcar com as consequências de suas escolhas, então, que assim seja."
[Comentarista no G+]
________________________
     
  Humm... segundo a “Bíblia” (palavra de Deus) não é bem assim.​​


  Você não é salvo por obras, quem é um escolhido já está com o nome escrito no livro da vida desde a fundação do mundo.

  Por esse ponto de vista é complicado afirmarmos que de fato temos algum poder de escolha.

 
  É o que já disse várias vezes sobre Eva, estava escrito que ela comeria o fruto se Lúcifer estivesse no Éden.
  Deus tinha uma escolha, permitir a presença de Lúcifer ou não.
  Eva só tinha capacidade para seguir o roteiro.

  Crentes ignoram propositadamente o significado da palavra onisciência.

  Onisciência saber absoluto, pleno; conhecimento infinito sobre todas as coisas.
  Saber divino, universal, uno, intuitivo, independente, infalível e eficaz.

  Se Deus de Abraão sabe tudo ... sabe tudo.
  É difícil explicar o óbvio.
  Porque eu William nasci tão questionador?
  Porque Deus me fez assim, escreveu que eu teria essa personalidade, não tenho escolha estou preso ao roteiro.

  Entretanto a provocação desse texto é outra...

  Embora seja algo terrivelmente injusto já nascer “condenado” simplesmente porque algum deus escreveu assim, aceitando essa hipótese bíblica tem um problema ainda maior.

  O indivíduo se achar um escolhido quando tudo indica que não.

  O cidadão não tem muita sorte na vida, para conseguir alguma coisa é muito trabalho e sacrifício.
  Alguns a sua volta tem excelentes oportunidades e o cidadão mesmo sendo justo, bom, trabalhador fica só com migalhas.

  Se você não é um escolhido aqui na Terra, porque seria no céu!?

  Um Silvio Santos tem muito mais chance de ter o nome no livro da vida que você ou eu pobres de maré de si.


▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Eu aposto que essas historinhas dos antigos são só contos da carochinha na maior parte do tempo.

  O evangélico passa toda sua vida acreditando que Abraão é o cara e ele nem existiu ou sua história foi muito diferente do que a que chegou até nossos dias.

  Aceitando a hipótese que alguma espiritualidade “nos administra” é mais “lógico” acreditar que para alcançar algum tipo de salvação (um lugar melhor no pós vida) basta se esforçar para ser bom independente de qualquer doutrina ou religião ou algum pacto divino feito por “Deus” com algum indivíduo.

  Todos somos chamados e cada um pode optar pelo bem ou pelo mal.

  Deus separaria um mundo muito eficiente para os bons e deixaria os maus vivendo em mundos infernais, mas sempre com possibilidade de optarem pelo bem.

  Muitos antigos, de outras crenças, escreveram sobre essa “salvação” pelas obras.
  O Hinduísmo é a religião mais antiga conhecida.
  Ele prega basicamente que a sociedade precisa de todos os tipos de “profissionais” e esses se dividem em “castas”.
  Você inicia em uma casta bem baixa e pelas obras, nas encarnações seguintes, vai subindo de casta.
  Se optar pelo mal pode também estacionar em uma casta ruim ou regredir a uma pior.

  Apesar de nós do Ocidente termos ojeriza pelo sistema de castas ... para um pensamento primitivo ... é muito mais coerente que a “predestinação cristã” outro pensamento primitivo.

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
   “Você terá que prestar contas a Deus!”

  Quando alguém nos “ameaça” com essa frase, passa a impressão que o indivíduo está de acordo com os preceitos divinos e nós estamos ignorando ou burlando as leis.
  Se o indivíduo morrer naquele dia estará com sua consciência limpa e tranquila diante do julgo suave de Deus, porque obviamente o sujeito está certo e nós estamos errados.

  Em que o sujeito acredita estar certo?

  Eu poderia dar inúmeros exemplos, mas vou dar um exemplo batido que todos já conhecem.

  Ele está certo que aceitar Jesus como filho de Deus é o único caminho e se você tiver alguma dúvida sobre isso “terá que se acertar com Deus!”
  Esse “acerto” é só uma figura de linguagem porque fatalmente você já está condenado.
  A conversa com Deus será só uma burocracia protocolar.
  Você acredita de todo seu coração que Jesus é o único caminho então está salvo. (Seu nome provavelmente está no livro da vida)
  Se tiver alguma dúvida é o suficiente para ser mandado eternamente para o inferno.
  “Deus é sim, sim ou não, não.”
  Sua Fé é quente ou fria.
  Mais ou menos, morno, frio...essas “opções” mantem sua alma na perdição.

  Eu estou na perdição porque tenho dúvidas.
  O cristianismo é um bom caminho, mas não consigo acreditar que um bom cidadão hindu, islâmico, budista ... vá para um lugar pior por não ser cristão.

  [Não vou ficar explicando os próximos números a vocês, se alguém não entender, por hora apenas “aceite”.]

  Digamos que a humanidade tenha 6 mil anos.
  (Para falar o “idioma” do judaísmo/cristão mais radical)

  Aceitemos que Adão e Eva viveram no Éden por 300 anos.
  Após a queda do homem Deus demorou cerca de 3700 anos para enviar Jesus.
  Depois de 4 mil anos temos o ano Zero da era cristã.
  É muito tempo, evidentemente surgiram outras crenças, outras religiões...OUTROS CAMINHOS.
  Egípcios e gregos desenvolveram outras crenças.

  Depois da vinda de Jesus houve uma organização espiritual?

  Veremos que não.

  “No verão de 325, os bispos de todas as províncias foram chamados ao primeiro concílio ecumênico em Niceia.
  A religião cristã nesses tempos era majoritária unicamente no Oriente.
  No Ocidente, era ainda minoritária, especialmente entre os pagãos, vilas rústicas.
  Daí o nome de pagãos para os gentios.
  [Paganismo (do latim paganus, que significa "camponês", "rústico") é um termo geral, normalmente usado para se referir a tradições religiosas politeístas.]

  “Embora algumas obras afirmem que no Concílio de Niceia discutiu-se quais evangelhos fariam parte da Bíblia, não há menção de que esse assunto estivesse em pauta, nem nas informações dos historiadores do concílio, nem nas atas do concílio que chegaram a nós em três fragmentos: o Credo dos Apóstolos, os cânones, e o decreto senoidal.
  O Cânone Muratori, do ano 170 d.C., portanto cerca de 150 anos anterior ao concílio, já mencionava os evangelhos que fariam parte da Bíblia.
  Outros escritores cristãos anteriores ao concílio, como Justino Mártir, Ireneu de Lyon, Papias de Hierápolis, também já abordavam a questão dos evangelhos que fariam parte da Bíblia.”


   Observem que não foi só Jesus vir e todo um mundo novo foi iniciado.
  Antes da conversão de Constantino o Cristianismo no Ocidente era pouco difundido.
  Acredito que todos concordamos que 325 anos é bastante tempo para desenvolver novas crenças outros caminhos.
  Os normandos (Vikings) eram politeístas.


  Calma que tem mais complicação.

  Quando o Cristianismo graças ao Império Romano estava suficientemente forte para dominar o mundo...nasce Maomé.

  Maomé com a benção de Deus [O anjo Gabriel apareceu para ele] iniciou a religião Muçulmana que foi dominante no império Otomano
  Isso aconteceu 245 anos depois do Concilio de Niceia.

  Em paralelo surge o Império Persa onde a religião dominante era o Zoroastrismo.


  Do ponto de vista “metafisico” fica claro que se somos administrados por outros seres eles propositadamente promovem um “rodizio de impérios”.
  Devem ter um propósito o qual desconhecemos.

  Do ponto de vista “materialista” ...

  Observem a correlação direta entre império Dominante X Religião Dominante.

  Você pode ser cristão simplesmente porque os portugueses eram cristãos na época de nossa colonização.
  Americanos são cristãos porque os colonizadores ingleses eram cristãos.
  Não dá para dizer que os USA são um império [se olharmos para os moldes antigos], mas em termos de influência econômica e cultural podemos “subjetivamente” dizer que sim.

  Perceba que você brasileiro e outros povos latino americanos só conheceram “Impérios Cristãos”, você é cristão por força da tradição.
  Se tivesse nascido no império Otomano provavelmente seria muçulmano.
  Se tivesse nascido no império japonês ou chinês seria budista/xintoísta.

  Vamos a mais complicação.

  Como a Bíblia é muito confusa, suas interpretações deram origem a muitas correntes no Cristianismo.
  O Cristianismo Católico é diferente do cristianismo Protestante que é diferente do cristianismo Ortodoxo.
[Isso para ficar no geralzão]

  Diante de tantos caminhos, tantas ramificações como não ficar em dúvida!?

  Como ter certeza que o “império que eu vivo” é o dono da verdade?

  Você que nasceu no Brasil aceita Jesus como o único caminho porque foi uma TRADIÇÃO herdada de seus pais que herdaram dos pais deles, que herdaram dos avós...

  Se você não questiona a sua tradição recebida porque quer obrigar o hinduísta ou islâmico a questionar a dele!?

  E quem igual eu questiona é um blasfemador, “Vai se acertar com Deus!”

  Em um comentário interessante foi me perguntado:

👩 “Quero ver qual argumento irá usar quando estiver diante de Deus.”

  De certo uma criatura insignificante como eu não terá essa honra, mas se eu tivesse argumentaria:

  Sou um ser imperfeito fiz o melhor que pude, o Senhor como ser perfeito deixou muito a desejar, complicou demais as coisas.

  Para nós criaturas que ousamos pensar só nos resta fazermos o melhor que pudermos e torcer para que se existir um Deus ele seja INTELIGENTE ou ao menos MISERICORDIOSO.

  Deixe-nos viver em paz ou nos ANIQUILE.

  Depois da morte física o abençoado/misericordioso ESQUECIMENTO.

  


Fogo eterno prá afugentar
O inferno pra outro lugar
Fogo eterno prá consumir
O inferno, FORA DAQUI!
Todo mal, toda dor, toda violência, toda falta de amor... FORA DAQUI!








anterior                                <>                                     próximo