sexta-feira, 8 de março de 2013

Mantos da Ilusão

  “André Luiz é o nome atribuído pelo médium e filantropo brasileiro Francisco Cândido Xavier a um dos espíritos mais frequentes em sua obra psicografada.

  Algumas obras psicografadas atribuídas a André Luiz já foram adaptadas para o teatro, televisão e cinema; mais notoriamente o best-seller Nosso Lar, com um filme de sucesso lançado no Brasil em 2010.
  André Luiz teria sido um médico em sua última encarnação e muitas das obras psicografadas atribuídas a ele possuem diversas informações biológicas complexas.
  Em artigo publicado na revista científica Neuroendocrinology Letters em 2013, cientistas compararam conhecimento médico recente com doze obras psicografadas por Chico Xavier atribuídas a André Luiz, identificando nelas várias informações corretas altamente complexas sobre a fisiologia da glândula pineal e que só puderam ser confirmadas cientificamente cerca de 60 anos após a publicação das obras.
  Os cientistas ressaltaram que o fato de que o médium possuía baixa escolaridade e não era envolvido no campo da saúde levanta questões profundas sobre as obras serem ou não fruto de comunicação espiritual.”

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Me sentia meio que obrigado a ler autores “importantes”.
  Entenda isso como autores lidos por muita gente.

  Claro que li Francisco Xavier e conheci o “personagem ou manifestação” André Luiz.

“Nunca se esqueça de que todas as vantagens ou benefícios que desfrutemos da vida são empréstimos de Deus.”
 [André Luiz]

   Ler André Luiz hoje em dia seria extremamente entediante, tão enfadonho quanto ler aquelas mensagens açucaradas postadas nas redes sociais.
  Quando li não foi tão insuportável porque eu estava naquela fase de “pensamento positivo”, “livros de autoajuda”, “quem planta o bem colhe o bem” ...
  Mas a vida não foi muito carinhosa comigo.
  Eu acho que minha Fé, meu pensamento positivo ... foram experimentados o suficiente para trazer algum resultado.
  Na pratica, analisando com uma visão mais lógica os resultados, toda aquela mentalização e se cercar de frases bonitas era uma grande perda de tempo.
  Nada para mim era fácil, tudo se complicava do nada.
  Acho que já escrevi o quanto o serviço militar foi traumatizante para mim.
  Tantos colegas foram dispensados e eu precisando trabalhar para o sustento da minha família não consegui escapar.
  Só faltou eu falar que era gay para ser dispensado.
  Mas “mentir é feio” não importa o motivo, “Deus está vendo”.
  Pense positivo, jejue, ore, confie...
  Fiz tudo isso e o “universo NÃO conspirou a meu favor.” 😩
  É evidente que isso não foi suficiente para eu desistir da Fé, do pensamento positivo, das frases bonitas, dos livros de autoajuda.
  Eu passei a considerar que o serviço militar era um plano de Deus para minha vida: “Senhor, que seja feita a sua vontade.”

  Olhando hoje eu reconheço um manto da ilusão.

  Sim, o serviço militar me trouxe muitos conhecimentos e experiências [O que não traz!?], entretanto era algo indispensável para o meu “sucesso na vida.”?
  Considerando que não sou alguém de sucesso a dedução é óbvia.
  Por tudo que trabalhei, por tudo que lutei sou um loser.

 Tantos rapazes são dispensados de serviço militar e vivem bem sem esse tipo de experiência porque na minha vida tinha que ser algo essencial, uma “vontade de Deus”, percebem a minha ilusão?
  Minha Fé, meu pensamento positivo tinham que dar certo.
  Mesmo o serviço militar sendo um grande transtorno/maleficio em minha vida eu me convenci que era algo para meu bem...

 Qualquer benefício que você tenha é um empréstimo de Deus e os malefícios!?

  Na frase/pensamento de André Luiz até a caridade fica sem sentido.
  Deus “me empresta” algum dinheiro e espera que eu dê aos pobres, mas porque ele já não dá direto para o pobre através de um bom emprego ou políticas sociais sustentáveis e eficientes.
  Nosso prefeitos, governadores, presidentes poderiam ser homens abençoados por Deus.
  Se alguém de boa índole chega ao poder é um benéfico de Deus, quando algum corrupto ou ineficiente chega ao poder é obra dos homens ou de Lúcifer?

  Servir o exército foi obra de quem?
  Eu fiz tudo para não servir, não foi minha vontade.
  Se foi obra de Lúcifer ... de que adiantou minha Fé!?
 
"Amar não é desejar.
  É compreender sempre, dar de si mesmo, renunciar aos próprios caprichos e sacrificar-se para que a luz divina do verdadeiro amor resplandeça".
[André Luiz]

  Amar é sofrer e se anular!?
  Um dos maiores problemas sociais que o Kardecismo provoca é esse desestimulo a buscarmos uma justiça terrena.
  Você tem que ter sangue de barata correndo nas veias e suportar qualquer mal que lhe façam sempre mentalizando a luz divina do verdadeiro amor.
  Se você perguntar a qualquer Kardecista sobre a pena de morte ele será radicalmente contra, se alguém é assassinado é porque está resgatando uma dívida de alguma vida anterior, logo é como se não houvesse crime é só um acerto de contas.
  Se você foi estuprada é porque estuprou alguém em alguma outra encarnação.
  Se seu filho foi morto em um latrocínio é porque você matou o filho de alguém em alguma vida passada.
  Percebe o manto da ilusão?

  “Declara Emmanuel, no prefácio de "Nosso Lar", que ele, "por trazer valiosas impressões aos companheiros do mundo, necessitou despojar-se de todas as convenções, inclusive a do próprio nome, para não ferir corações amados, envolvidos ainda nos velhos mantos da ilusão.”

  Uma grande revelação que daria mais credibilidade as histórias de André Luiz seria ele dizer quem foi na última encarnação, de preferência que fosse um nome fácil de localizar e comprovar informações.
  Mas André que revelou tantas coisas nunca disse precisamente sua identidade quando encarnado.
  Daí saiu com essa “explicação” de que não queria ferir corações amados, envolvidos ainda nos velhos mantos da ilusão.
  Caraca! Ele se revelar não retiraria esses mantos?
  De qual ilusão ele está falando, a ilusão da reencarnação?
  Mas se todos os “ensinamentos” de André estão fundamentados na reencarnação, ele deveria ser o primeiro a fortalecer essa teoria e não trazer mais dúvidas sobre ela.

  Francisco Xavier com suas psicografias tirava o “manto da ilusão” de muitas famílias recebendo espíritos que “se identificavam” como seus parentes.
  Lembram da Nair Belo?

 Lembro de uma entrevista onde ela agradecia ao Chico por uma conclusão que qualquer mente minimamente lógica poderia chegar sozinha.
  Chico a “ensinou” que a morte faz parte da vida e mesmo que um filho morra devemos continuar cuidando de nossa família, cuidando dos outros filhos...

  Que ensinamento maravilhoso em?
  Se não fosse o Chico quem pensaria nisso?

  Chico tirou o manto da ilusão da Nair Belo depois de 1 ano e meio de peregrinação dela a Uberaba.
  Depois de mais de 1 ano ela entendeu a REALIDADE que mesmo que alguém muito querido morra a vida continua.

  Nós Livre Pensadores com nossa mente Lógica nem precisamos que alguém querido morra para entendermos isso, mas se pessoas como a Nair Belo precisam ... fazer o que, temos que respeitar.

  Já com o “iluminado” André Luiz a identificação não poderia ser feita para proteção dos familiares!
  Será que André Luiz quando encarnado não tinha mãe e demais familiares para serem confortados?

  “Necessitou despojar-se de todas as convenções, inclusive a do próprio nome, para não ferir corações amados, envolvidos ainda nos velhos mantos da ilusão."

  Eu William Robson precisei me vestir de lógica e deixar de lado os mantos da ilusão.



  “Tudo o que fomos reflete-se em nossa vida atual.
 É a lei do retorno que nos devolve pelas mãos da justiça divina, tudo o que fizemos no passado distante ou próximo.
 A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória.”




anterior                       COMENTAR                               próximo