segunda-feira, 6 de abril de 2015

Nilo Peçanha

“O sindicato defende o sistema de cotas para negros no serviço público, essa população que por 358 anos foi vítima da escravidão e, depois da lei áurea, sempre sofreu com racismos e desigualdades que a formação histórica brasileira lhe impôs. [Jornal do Sindicato]

   Vamos meditar sobre nossa formação histórica.


   Desde 1891 é permitido o voto de qualquer homem alfabetizado.
  O Brasil era um país pouco alfabetizado então poucos votavam independente da cor.
   É de supor que poucos negros fossem alfabetizados, mas se analisarmos a história registrada verificamos que não havia segregação racial nas escolas, nada impedia uma criança ou adulto negro de se alfabetizar, nesse sentido o Brasil era bastante moderno para época.
  O voto para mulheres brancas ou negras só foi permitido em 1932.

  Fica claro que negros PARTICIPARAM da nossa “formação histórica”.

   É o mesmo caso das mulheres que dizem que a sociedade é machista como se os homens educassem sozinhos todas as crianças.
   As crianças passam muito mais tempo com as mães que com os pais, se as mulheres educam crianças “machistas” porque não assumem sua PARTICIPAÇÃO!?

  Eu conheço muito sobre história da humanidade e fico surpreso como a sociedade brasileira não soube e não sabe aproveitar mais esse fator favorável a nós.
  Em vários países realmente houve grande segregação racial, mas por todos os ângulos que olhamos não vimos isso no Brasil.
  Não estou dizendo que tudo foi maravilhoso, mas comparado ao que ocorreu em países como Estados Unidos ou África do Sul nós nos comportamos de maneira muito evoluída/civilizada talvez por influência da cultura dos nossos colonizadores portugueses que eram muito mais sociáveis, se misturavam mais.

  Parece até que nosso povo ficou com inveja da segregação ocorrida em outros países... vai entender o ser humano.

  Com a fama das teorias defendidas por Darwin ocorreu um movimento eugenista no mundo inteiro e o Brasil não ficou de fora, mas as ações aqui foram light.

   “Monteiro Lobato defendia a eugenia, a humanidade precisava de poda, assim como a vinha.
  O Brasil foi o primeiro país da América do Sul a ter um movimento eugênico organizado. A Sociedade Eugênica de São Paulo foi criada em 1918.
  Não há solução para os males sociais fora das leis da biologia." [Só pode haver Um]

  A “poda” para Lobato e simpatizantes era favorecer a procriação e vinda do homem branco europeu o qual Darwin “sugeria” que era o ápice da evolução humana.
  O movimento eugenista no Brasil queria um “branqueamento” da população evitando a chegada de mais negros.
  Os negros que já estavam aqui seriam lentamente absorvidos geneticamente pelo maior contingente de brancos.
  Aqui no Brasil não foi adotada nenhum tipo de “solução final” segregando e/ou exterminando negros.

  Nós criamos culturalmente esse monstro ideológico onde um negro não progride no Brasil por conta da ação de uma elite branca que ninguém consegue apontar exatamente quem é ou foi.

  Nesse texto estou lhe dando “historicamente” alguém e uma elite branca para cobrar alguma coisa... Monteiro Lobato e simpatizantes da Eugenia.
  Vamos ver se esse movimento foi forte o bastante para impedir que negros participassem de nossa formação histórica?
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
Olhem que interessante a história de Nilo Peçanha

  Nilo Peçanha era um mulato de família pobre que chegou a presidência em 1909.

 Como podemos dizer que uma sociedade é altamente preconceituosa e segregacionista se ela elege um negro!?
  Nilo Peçanha passava das “6 da tarde”, pelos critérios atuais teria direito a cotas.

  Nilo não gostava de divulgar sua origem pobre ou descendência negra.
 
  Se Nilo Peçanha tinha vergonha de sua origem pobre e de sua descendência negra... é algo de sua personalidade e da época, não sei muito bem o que dizer.
  Levemos em consideração que a Monarquia acabou no Brasil em 1889 naquela época a moda era ser “nobre” ter bom “berço”.
  No Brasil atual a moda é o político nascer pobre, Marina e Lula propagandeiam com grande alarde a infância pobre.
  Aécio, se tivesse como, esconderia sua infância em família de muitas posses.
  Dilma cresceu na classe média alta, você não viu seu marqueteiro divulgar com ênfase isso.
  Se Nilo Peçanha concorresse hoje de certo colocaria em destaque sua infância pobre e descendência negra.

  A maioria de nós tem vergonha/lamenta alguma coisa.

  Algumas vergonhas nós superamos outras não.
  Eu tinha vergonha de morar em casa de fundos, hoje tenho imóvel próprio, lamentaria muito se não tivesse.
  Depois de tanto trabalho não ter ao menos uma propriedade seria vergonhoso para mim.
  Tem gente que não liga, não dá a mínima, eu não sou melhor ou pior que elas é uma questão de personalidade.
  Algo que vai além da época e influencias culturais.
  Eu gosto de ter meu cantinho no mundo, um lugar para chamar de meu.

  Meu pé cresceu rápido, primeiro que meu corpo, eu tinha vergonha dos meus pés.
   Felizmente meus pés pararam de crescer no tamanho 44 e como eu tenho 1,81 hoje não me parece tão desproporcional, mas eu preferia calçar 41 ou 42.

  Minha mente hoje funciona bem diferente, mas uma “vergonha” que tenho é meu salário/emprego.

  Sei lá, minha situação econômica é aceitável, mas por tudo que lutei acho que merecia ter um cargo e salario mais destacado em nossa sociedade.
  Eu sou um recepcionista, porteiro, segurança, ouvidoria, saco de pancada de quem está insatisfeito com o atendimento do SUS...
  NÃO, o serviço não é indigno, é algo útil e necessário.
  É como o caso do imóvel, eu lamentaria muito se não tivesse meu apartamento próprio, mas não seria o fim do mundo ter que pagar aluguel, apenas seria muito desagradável.
  Não ter conseguido uma situação profissional melhor não é o fim do mundo, mas é extremamente desagradável.
  Até escrevi um texto sobre isso: I'm Loser
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
 Mas voltando ao Jornal do Sindicato:

 “COTA NÃO É PRIVILÉGIO É REPARAÇÃO.”

  A Lei Aurea foi assinada há 127 anos, alguém que “viveu” como escravo deve estar hoje com uns 144 anos porque em 1871 tinha sido assinada a lei do Ventre Livre.
  Como não conheço ninguém com essa idade vamos pular para 1950.

  Alguém que nasceu em 1950 tem hoje 65 anos, não foi impedido de estudar, trabalhar ou votar se não teve pais organizados financeiramente vamos culpar quem se não a sorte...azar no caso.
  
   A qual reparação alguém que nasceu em 1950 (ou antes) tem direito!?

  De lá pra cá você não vê nada que impedisse uma família ajuizada e estruturada progredir... na medida do possível.
   Você não vê nenhuma lei impedindo um homem ou mulher de qualquer cor ou crença abrir uma empresa.
    No regime militar o brasileiro não podia votar para presidente e alguns outros cargos, mas para prefeitos, deputados e vereadores votava.
   Quanto a abrir empresas não tinha nenhuma restrição oficial ou social com relação a cor de pele.

  “Nilo Peçanha chegou na idade escolar. Seu pai era conhecido na cidade como "Sebastião da Padaria".
  Nilo cursou o primeiro grau estudantil em sua cidade natal, completou os estudos na capital fluminense e se formou em direito pela Faculdade de Direito do Recife, em Pernambuco.” [Wikipédia]

  Estamos falando de 1890!
  Me parece que se estabeleceu essa cultura do COITADISMO no povo brasileiro.
  Deixa ver se consigo ser mais claro.

  Eu nasci em uma família desestruturada, poderia ficar culpando o governo por meus pais terem casado sem boas condições para terem filhos.

         Poderia me deixar ser consumido pela raiva, pelo ódio, pelo “lado escuro da Força...”


  Toda minha energia podia ser direcionada em culpar o governo por não ter educado direito meus pais ou cobrar alguma coisa dos meus vizinhos ajuizados, ou ainda culpar uma “organização social” nefasta a mim... não pense só em negros, mas em índios, homossexuais, mulheres, estrangeiros, nordestinos, drogados, menores ou maiores infratores...todos que se dizem “minoria” e “injustiçados”.

  Eu preferi estudar, trabalhar e quando casasse planejar uma família bem estruturada.
  Eu vivo bem, se não estou melhor tem mais a ver com azares da vida do que com alguma dívida ou perseguição da sociedade.

  Lembrei desse texto/debate:

   “A choradeira no brasil se dá por causa das injustiças sociais em altíssima escala e essa dívida há de ser cobrada não somente nessa geração, más ainda nas próximas, até que as imperfeições que houver não acometam mais os negros numa escala mais elevada do que os de qualquer outra raça ou etnia. ”  [Comentarista no G+]

  Esse pensamento é o pensamento da maioria, se enchem de culpa em um masoquismo inexplicável.
  O duro é que são pensamentos cheio de boas intenções, mas muito maléficos...segundo um raciocínio LÓGICO.

  Passam para o garoto(a) negro que ele nunca vai conseguir nada se não tiver a caridade dos “brancos” ou tomar deles usando um revolver.

  Eu quero passar para o garoto negro que ele não precisa de esmola e muito menos da violência.

  Nascer pobre torna as coisa mais difíceis para todos.

  Trabalhe, estude e “seu lugar ao Sol” acontecerá na maioria das vezes, não estou falando de ficar rico, mas de ao menos ter condições de vida satisfatórias.

  O garoto negro não é inferior, mas pensadores com “boa intenção” os tratam como se fossem e a infelicidade é que muitos se convencem disso, realmente acreditam que não adianta estudar ou se dedicar a algum talento porque alguma sociedade “monstruosa” sempre lhe negará uma oportunidade.”  [Pais e Filhos]
 ☼☼☼☼☼☼
  É senhoras e senhores essa cultura da Culpa e do Coitadíssimo de alguma forma tem que ser colocada em xeque.
  A Internet é uma das melhores invenções de todos os tempos, uma ferramenta que realmente passa o passado a limpo.
  Poderíamos ter muito mais brasileiros buscando uma evolução, batalhando pela excelência em sua profissão/vocação.
  Poderíamos ter muito mais casais planejando/cuidando para que seu filho nascesse em boas condições de alimentação, educação, moradia.
  Mas preferimos alimentar monstros ideológicos devoradores do nosso futuro.

  Optamos pela civilidade primeiro que muitos povos, em algum momento desviamos para mediocridade, você não acha que é hora de voltarmos a civilidade?

  É preciso olhar o Passado, o que ficou para traz, verificar o resultado no Presente e seguir em frente.

  O retrovisor é indispensável no carro, nem que seja uma câmera como nos dias atuais, entretanto olhar para frente é fundamental.
  No caso do Brasil nós fundamentalmente olhamos o retrovisor de outros países onde ocorreu forte segregação racial... é ou não é coisa de doido!?
  Nem ao menos olhamos para o retrovisor certo!

   “Se queres conhecer o passado, examina o presente que é o resultado; se queres conhecer o futuro, examina o presente que é a causa.” [Confúcio]





  JOVEM DE FEIRA DE SANTANA É ACEITA EM NOVE UNIVERSIDADES DOS EUA.

  GEÓRGIA SEMPRE MANTEVE FOCO NO QUE QUERIA. "ELA ABDICOU DE FESTAS, PASSEIOS, CONVERSAS COM AMIGOS E SE DEDICOU AOS ESTUDOS", lembra o pai da estudante, o comerciante Jorge Sampaio.


 "O tempo dela é com livros e na internet, estudando e pesquisando. Foi assim que ela criou o kit de saúde, ainda na puberdade, pois a tia teve a doença e ela se interessou em criar soluções", revela Sampaio. [A tarde]

  Vida longa e próspera Geórgia Gabriela da Silva.

  Parabéns, muitas felicidades!



Anterior          <>        Próximo