segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Estatística Roxa

  “Eu acho que paguei o preço por te amar demais
enquanto pra você foi tanto fez ou tanto faz.
  Magoando pouco a pouco me perdendo sem saber e quando eu for embora o que será que vai fazer?” ♫♫♫♫

 Quando eu morava no quintal da casa da minha vó Tímira presenciei muitas brigas de casais.

  Em uma delas estava brincando e um tio saiu correndo feito louco, nisso uma faca de cozinha caiu uns dois metros longe de mim.
  Minha tia tinha jogado nele.
  O casal brigava com certa frequência, ainda bem que esse meu tio quando as coisas engrossavam saia correndo.
  Meu pai era mais violento.
  Se minha tia fosse casada com um homem igual meu pai, a possiblidade de assassinato seria algo a considerar.

  Vamos analisar alguns números:

“O ano de 2014 fica marcado pela morte de 42 mulheres em ambiente doméstico.
  Destas, 35 morreram às mãos dos atuais ou ex-maridos, companheiros ou namorados.
  As outras sete mulheres foram também assassinadas em ambiente doméstico, mas pelo pai, tio ou sogro, enfim, por outras pessoas que não o antigo companheiro.” [CM Jornal]

“Mais de 143 pessoas morreram por dia, em média, vítimas de homicídios dolosos (com intenção de matar) no país em 2014.
  Ao total, foram 52.336 assassinatos registrados, número 3,8% superior ao de 2013 (50.413).
  Houve ainda 2.061 latrocínios (roubos seguidos de morte) no ano passado.
  Além disso, 2.368 pessoas morreram em confrontos com a Polícia Militar.” [G1]

“Quatro em cada cinco pessoas assassinadas no Brasil são homens!
  Segundo os dados oficiais do Governo colhidos pelo Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM/Datasus/MS), em 2010 tivemos um número absoluto de 52.970 homicídios no Brasil.
  Desse total, foram assassinados 48.493 homens e apenas 4.477 mulheres.
  Ou seja, houve quase 11 vezes mais homens sendo assassinados do que mulheres.
  Em termos percentuais, os homens representam aproximadamente 91,5% do total de vitimados, enquanto que as mulheres, apenas 8,5% desse total.” [Sexo Privilegiado]

  De posse desses dados podemos deduzir muitas coisas, uma delas é que:

   Homens são mais violentos que as mulheres.

  Por isso matam mais e morrem mais.
  A morte de mulheres não é fruto do machismo como martelam em nossa cabeça insistentemente.
  Não há um índice elevado de morte entre as mulheres em oposição à morte de homens.
  Não há um “feminicídio”.
  Homens mais violentos matam indiscriminadamente, seria estranho que não matassem mulheres.
  Confesso que quando resolvi pesquisar esperava encontrar pelo menos 40% de mortes entre as mulheres.
  Na minha mente fica claro que temos que combater a criminalidade em geral.

  Com melhor trabalho de investigação e captura.
  Muito mais vagas de presídios.
  Justiça mais célere.
  Penas mais duras.

  Essa ideologia, doutrina, paranoia (não sei como definir) de destacar crimes contra minorias como se a violência fosse algo focalizado em alguns grupos precisa ser repensado.

  “Eu ainda custo a acreditar nesses números, se alguém tiver dados diferentes me avise.
  Por favor, uma vida é sempre uma vida, mas 42 mulheres (foi o que encontrei) mortas por seus companheiros em 1 ano diante de mais de 50 mil assassinatos ... me parece que estamos concentrando nossa atenção em uma unha encravada e ignorando um câncer.” [A Farsa da Matança de Mulheres]
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Muitas mulheres apanham de seus parceiros isso é um fato então vamos a essa estatística roxa hematoma.

  Bem ... iriamos.

  A violência contra mulher pode assumir diversas formas que não é uma agressão sociopática de natureza sexual e perversa no sentido psicanalítico do termo, até formas mais sutis como assédio sexual, discriminação, desvalorização do trabalho doméstico de cuidados com a prole e maternidade.” [Wikipédia]

 Notem que é algo tão subjetivo e abrangente que comporta qualquer número estratosférico.
  Foi o que encontrei nesse tipo de estatística.
  Certa vez minha esposa cortou o cabelo bem curtinho, eu não gostei e disse a ela, foi violência!
  Claro que eu e minha esposa já discordamos de várias coisas em relação a nossas filhas ... foi violência!
  Se eu elevar o tom de voz com minha esposa, não importa o motivo, é violência contra a mulher.
  Minha esposa gritar comigo, tudo bem, ela é mulher pode.
  Minha esposa me criticar como pai ou marido, tudo bem, ela está sendo sincera... discutindo a relação.
  Enfim, por esse prisma ideológico, 100% das mulheres sofrem violência.
  Se você se interessar por uma mulher, convida-la para sair e ela disser não, esse é o limite, se convida-la pela segunda vez é assédio.
  Se uma funcionaria comete um erro, tome muito cuidado, mantenha sempre um sorriso no rosto e meça muito bem suas palavras.
  Troque a palavra “erro” por “engano” e antecipadamente peça mil desculpas por apontar o engano dela, se ela quiser você mesmo corrige o “engano” enquanto ela toma um café na cantina da empresa para desestressar...

  Se você tiver um cargo de chefia e alguma funcionaria se insinuar para você ... esse é um campo minado de alto risco.
  Qualquer coisa que der errado ou não tão certo quanto ela pretendia, vai ser a palavra dela contra a sua imagine qual tem mais valor.

  De todas as estatísticas que li acho razoável considerar que 30% das mulheres no mundo sofrem agressão por seus pares, mas isso incluindo aqueles povos “estranhos”.

  No Ocidente “Judaico Cristão” (na minha percepção) 15% das mulheres sofrem agressão de fato.

  Isso chutando bem alto.
  A grande maioria dos homens que eu conheço não são diferentes de mim quanto a violência.
  Eu considero covardia bater em alguém mais fraco não importa se é homem, mulher ou gay.
  Eu nem me imagino batendo na minha esposa, mas também não me imagino tratando minha esposa ou qualquer outra mulher como um ser frágil, indefeso, digno de todo louvor e de toda glória...

  O que a estatística roxa faz é colocar discussões naturais entre casais como violência contra a mulher.

  Se eu aceitar 100% das coisas que minha esposa faz como certo e indiscutível não haverá discussão.
  Se minha esposa aceitar 100% do que eu faço como certo e indiscutível não haverá discussão.

  Entendam que por esse prisma um componente do casal tem que ser perfeito e diante disso o outro se anular totalmente.
  Alguém em sã consciência acredita que isso seja possível!?
  Briga de casal é algo absolutamente normal, não transformemos isso em uma guerra dos sexos.

  Lembrei de uma situação constrangedora entre eu e minha esposa.

  Nós ainda éramos namorados e ela estava em um dia de extrema irritação.
  Eu não acredito nessa lenda da TPM, embora faça piadas a esse respeito.
  Todos nós passamos por dias ou fases de extrema irritação, tem dias que eu acordo com raiva do mundo, no meu caso a raiva é eu não ter 1 Bilhão de dólares na minha conta.
  Não é pelo dinheiro em si, mas pela liberdade que isso me daria.
  Trabalhar no que eu quisesse, dormir sempre que me desse sono, ter grande flexibilidade de horários, não me preocupar com nenhuma conta...
  Durante o dia todo minha mente é bombardeada por textos, seria tão bom apenas sentar em um lugar confortável e escrever, escrever, escrever...
  Não tenho a ilusão que ser rico me tornaria pleno de felicidade, não acredito em felicidade plena.
  Mas esses dias de fúria seriam mais suportáveis.
  Enfim, nunca fiquei 30 dias sem acordar em alguns deles extremamente irritado e acreditem nunca menstruei ...

  Só sei que que minha namorada estava extremamente irritada, ela até tinha seus motivos ... quem não os tem?

  Quem é homem e teve um relacionamento longo sabe do que estou dizendo imagino que as mulheres também.
  Tem dias que um demônio parece possuir o corpo da mulher, você olha e não encontra aquela pessoa meiga e delicada pela qual você se interessou.
  Só sei que ela falava, falava, falava e aquilo estava me deixando louco.
  Não lembro bem, mas para desestressar fui fazer um pouco de musculação com pesos que eu tinha em casa, isso deve ter a irritado ainda mais, eu não estava lhe dando a devida atenção.
  A gota d’agua foi ela pôr o dedo na minha cara, em um momento de descontrole eu dei um empurrão e ela foi parar na parede.
  Visivelmente assustada ela percebeu que era melhor recuar.
  Ainda bem.
  Se ela viesse para cima de mim, provavelmente eu sairia correndo como fazia meu tio.
  Eu sairia correndo não só daquela situação, mas também do relacionamento.
  Sempre tive pavor de casar com uma mulher histérica como em parte era minha mãe.
    Meu pai não era tão violento quanto outros homens que já observei, tem homem que é torturador, sádico.
  O incrível é que tem mulher que gosta desse tipo de homem, mas não vou falar nesse texto dessa “estranha loucura”.
  Claro que absolutamente nada justificava meu pai bater na minha mãe, mas se minha mãe fosse menos irritadiça ansiosa (não apagasse fogo com gasolina) talvez nem apanhasse.
  Eu não sou igual meu pai, eu não queria ser igual meu pai, eu não queria ao meu lado uma mulher que despertasse o monstro em mim.

To be continued...




Anterior          <>        Próximo

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Estatística Rosa

  Desigualdade: mulheres brasileiras trabalham 'de graça' desde 19 de outubro 2015.
  Segundo o IBGE, a diferença média entre os salários de homens e mulheres no país, para quem trabalha 40 horas por semana, é de 20,32%.
  Como trabalham os mesmos 365 dias, é como se esse finalzinho do ano fosse de graça. Elas só recebem pelo trabalho de 291 dias – completados no último dia 18. A partir daí, passaram a trabalhar sem receber por isso. [Luiza Bandeira/BBC]

  Porque você compra uma peça similar para seu carro e não uma original?
  A similar vai manter seu carro funcionando e custa menos.

  Se a similar custasse o mesmo que a original não faria sentido adquirir uma similar.
  Geralmente a original dura mais e tem maior precisão, em resumo é mais eficiente.

  Você mulher pode estar em um cargo de gerência justamente porque custa menos e mantém as coisas funcionando.

  Se a empresa tiver que te aumentar em 20% “talvez” seja preferível contratar um homem.
  Faça o teste, é fácil, peça um aumento de 20%, se a empresa achar que você vale de certo irá pagar, senão vai contratar outra mulher que esteja satisfeita com o salário atual.
  A maioria das mulheres não irão se arriscar preferem ficar com esse discurso feminista e tentar ganhar tudo na "isonomia".
  Com as leis de Mercado certas táticas não se sustentam, mas estamos muito contaminados com a doença do “politicamente correto”.

  Visivelmente homens têm no geral mentes mais lógicas e com isso tem mais facilidade para progredir nas carreiras melhor remuneradas, por isso ocorre a diferença salarial.
  Os que fazem esse tipo de estatística colocam na balança executivos com altíssimos salários o que obviamente não representa a grande maioria dos trabalhadores masculinos.
  As mulheres tem todo o direito de não achar que homens tem no geral uma mente mais lógica, mas isso não pode ficar só no achismo, elas tem que provar.

  Nos cursos de exatas não tem nenhum empecilho para inscrição de mulheres, estudem se mostrem mais eficientes que seus pares e o salário é consequência.
  Uma mulher poderia ter desenvolvido o Facebook , mas não desenvolveu.
  Uma mulher poderia ter desenvolvido o Google, mas não desenvolveu.
  Querer no grito ganhar igual os fundadores dessas empresas não há lei de mercado que possibilite isso.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
    “Se alguém te pedisse para trabalhar de graça até o final do ano (Novembro e Dezembro), você aceitaria? Provavelmente não.
  Mas é o que de certa forma ocorre com as mulheres, na visão de um grupo de ativistas por igualdade de salários, que, levando em conta a diferença salarial entre homens e mulheres na Grã-Bretanha (14,2%), calculou que as britânicas "pararam de receber" neste ano na segunda-feira passada, dia 9.” [BBC]

  Essa matéria da BBC é coerente e lógica, vamos ver se resiste a uma análise mais profunda?

  Se uma mulher é tão eficiente quanto um homem fazendo a mesma função de certo deve ganhar igual, se é mais eficiente deve ganhar mais.
  Eu defendo que sempre que for possível estabelecer metas objetivas parte do salário deveria ser por produtividade.
  No setor que minha esposa trabalha é possível estabelecer metas objetivas, vamos a esse exemplo real.
  Minha esposa revisa em média 500 peças por noite.
  Há funcionárias e funcionários que revisam em média 400 peças e ganham o mesmo salário que minha esposa.
  Pela matéria da BBC minha esposa em relação aos funcionários que revisam 400 peças poderia parar de trabalhar dia 1 de outubro.
  [Observe que não estamos colocando sexo na equação estamos lidando apenas com produtividade.]
  Para colocar sexo na equação eu teria que ter acesso a produção de todos os funcionários.
  Verificar se há mais homens produzindo 400 peças por dia enquanto há mais mulheres produzindo 500.
  Por curiosidade perguntei quem minha esposa sabia que produzia mais.
  Ela falou sobre um colega que revisa 700 peças.
  Esse homem em relação aos que produzem 400 peças poderia ter parado de trabalhar no dia 1 de Abril.
  E quanto à qualidade?
  Minha esposa ganhou em Outubro um almoço para a família na Churrascaria Trevisan.
  Esse prêmio é dado a quem alcança um padrão alto de qualidade.
  O homem das 700 peças já ganhou vários desses almoços... muitos dos que produzem 400 nunca ganharam.
 
  Fica claro que exercer a mesma função não pode ser confundido com ter a mesma eficiência.

  Igualarmos salários sem levar em consideração a eficiência/mérito é algo pra lá de injusto.
  Mas por força da “lei” somos obrigados a isso, isonomia salarial é a bandeira de todo e qualquer sindicato brasileiro.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  No meu emprego/setor é mais difícil analisar a eficiência.
  Há um rodizio de postos, mas vamos fazer um exercício de subjetividade, será interessante.

  Suponhamos que no próximo natal a supervisora diz que só dois funcionários irão ficar na central de visitas (o normal/eficiente são 4) eu serei um deles e posso escolher quem irá trabalhar comigo.
  Tem mulheres eficientes no meu turno de trabalho, mas eu escolheria alguém entre os homens.
  Fabiano, Juracy, Felipe ou Giovani.
(Estão presentes no meu turno de trabalho e são treinados nesse setor)

  Não tem absolutamente nada a ver com força física, trabalhamos em um hospital não em casa de shows, delegacia ou presidio.
  Os rapazes são mais completos, operam bem o computador, tem bom conhecimento geral, resolvem os problemas com mais agilidade.
  Se nenhum homem estivesse disponível aí sim eu optaria por uma das mulheres.
  Calma, não fiquem indignados nem me chamem de veadinho ... HAHAHAHAHAHAHH!
  Se vou estar em uma situação difícil é lógico que eu escolha quem pode dividir melhor a responsabilidade comigo.
  No meu conceito, ser macho não é sinônimo de buscar sofrimento.
  Se sinto frio coloco blusa.
  Se estou com dor vou ao médico.
  Se sinto vontade de chorar, choro.
  Se posso escolher alguém mais eficiente para trabalhar ao meu lado ... é o que faço.

  Com 95% de probabilidade (na minha percepção) se uma das mulheres do setor fossem colocadas na mesma situação escolheriam um desses homens e só na indisponibilidade deles optariam por outra mulher.
  Por favor, essa é a situação atual do meu setor, não quer dizer que sempre foi assim ou que sempre será assim.
  Os homens que estão presentes no meu horário e tem treinamento são eficientes, claro que poderiam ser “marmotas”.

  Também não estou dizendo que as mulheres trabalham mal.
  Algumas são muito boas para triar pessoas, mas não operam o computador com eficiência.
  Outras operam bem o computador, mas não conseguem se impor com os visitantes.
  Outras operam bem o sistema, sabem se impor, mas não são habilidosas em resolver problemas.
  Com a equipe completa eu não ligo para quem esteja ao meu lado, cada um fica na posição que desempenha melhor e tudo dá certo.
  Mas em uma situação de crise eu preciso de pessoas mais completas independente do sexo.
♦♦
  Com relação as mulheres, agora analisando toda minha vida profissional, vão muito mais ao banheiro e demoram muito mais... isso é tempo, será que está incluso na estatística rosa?
  Se a mulher tem direito a 15 minutos de café, ela sai 5 minutos antes para ir primeiro ao banheiro e quando ela volta do café ... “espera aí que eu venho já só vou ao banheiro...”

  Outra coisa é que se as mulheres tem acesso ao telefone e não há nenhum controle passam uma enormidade de tempo ligando para casa.
  Mesmo estando em serviço mulheres querem o controle total do que está acontecendo no lar.
  Ligam para saber se alguém já almoçou, se outro chegou, se vai chover e quem vai fechar a janela...

  Pelo menos 20 minutos de banheiro a mais que os homens e o uso do telefone (dependendo da disponibilidade) alcança fácil outros 20 minutos.
♦♦
  Quanto a salários, mais um vez não observo nada a ver com sexo.
  No serviço público tem de tudo.
  Tem os que conseguem atestado por qualquer coisa e ganham sem trabalhar.
  Não importa a falta de funcionários, as pessoas vão visitar seus parentes e amigos e precisam ser atendidas, nisso quem vai trabalhar tem que tapar qualquer buraco.
  No meu caso ganho pouco porque o cargo para qual prestei concurso paga pouco, mesmo que eu faça o serviço de um cargo acima do meu.
  Quem ganha mais não tem redução de salário mesmo fazendo uma função abaixo da qual prestou concurso.
  Tem os funcionários antigos que incorporaram gratificações.
  Tem os aposentados que recebem dois salários.
  Tem os terceirizados que recebem em geral menos que os concursados para a mesma função INDEPENDENTE DE SEXO.
  E aqui tem mais um detalhe.
  O concurso que eu prestei em 2009 era aberto para ambos os sexos.
  Todos os primeiros lugares foram de homens.
  “Que eu saiba”, apenas minha colega Sonia, entrou por esse concurso e foi a última a ser chamada.
  Logo, se há mais homens concursados no meu setor é fruto de ESTUDO em igualdade de condições.
  Eu não ganho mais que minha colega Sonia fazendo a mesma função.
  Ganho mais que um terceirizado homem ou mulher QUE NÃO PASSOU NO CONCURSO.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Igualar salários em nome do politicamente correto é uma grande roubada.
  O bom é estabelecermos metas bem objetivas sempre que possível.
  Exemplo:
  Se eu não falto nenhum dia no mês tenho direito a 8 folgas.
  Se eu não vou trabalhar por qualquer motivo inclusive médico eu tenho direito a 7 folgas.
  Acho justo é algo bem objetivo.
  Sinto muito pela pessoa que não foi trabalhar por conta de uma gripe ou outra coisa, mas ela não trabalhou ... é difícil explicar o obvio.
  Os colegas de trabalho de alguma forma tiveram que fazer o trabalho que era dela.
  Se o hospital recebeu 800 visitantes e tinha 4 funcionários foi “tranquilo”.
  Se tinha 3 funcionários foi sofrível.
  Se tinha 2 funcionários ... imagine o estresse, para ganhar o mesmo salário.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Hoje em dia vemos muitas mulheres diretoras com poder para promover pessoas.

  Elas relutam muito em promover um homem, só fazem isso quando não encontram nenhuma opção viável entre as mulheres.
  Se alguém tem medo da concorrência são as mulheres.
  Elas dizem que os homens são “machistas” por não serem tão obedientes.
  Oras, sempre que meu superior homem me deu uma ordem a qual não concordei deixei claro a minha discordância e porquê.
  Por vezes tive que cumprir a ordem assim mesmo, outras o chefe concordou com meus argumentos e fez alterações.
  Com mulher é diferente (sem generalizações) você fala sim senhora para tudo ou é um rebelde machista!!
  Você homem não concorda com a ordem só porque ela é mulher...

  Eu tenho um diretor homem e já discutimos em reuniões, continuamos amigos e nos respeitando.
  Muitas das coisas que eu pedi fui atendido, outras eu entendi a situação difícil dele, ele é uma engrenagem no sistema, seu poder é grande, mas menor que de muitos outros.

  Como os homens são mais agressivos/ousados tudo indica que nessas “estatísticas amplas” os salários aparecerão maiores.
  O homem arrisca mais nos negócios e na vida e por vezes dá certo.
  O homem pede aumento, não recebe, vai atrás de quem pague melhor ou tenta negócio próprio.
  Há mais homens nos topos dos negócios, mas também há mais homens alcoólatras na sarjeta da vida, essa estatística ninguém quer ver ou finge que não vê.

 “A análise dos dados recolhidos revela que 82% da população de rua é formada por homens.
  Mais da metade (52%), têm entre 25 e 44 anos de idade.
  Quanto à raça, 39,1% se declararam pardos, 29,5% se disseram brancos e 27,9% se identificaram como negros.” [UOL]


"Todo mundo vê as pingas que eu bebo, mais ninguém vê os tombos que eu levo."

  
  Todo mundo merece respeito, mas não dá para todo mundo ocupar o topo da pirâmide.
  Eu sou um loser (perdedor), não fico culpando ninguém pela minha incompetência e/ou falta de sorte.



Anterior          <>        Próximo 

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Jiddu Krishnamurti

  “Onde há escolha não há liberdade porque a escolha resulta justamente do nosso estado condicionado.”  [Jiddu Krishnamurti]

  No tipo de filosofia tão subjetiva praticada por Jiddu podemos trilhar inúmeros caminhos meio ao gosto do freguês.

  Vou falar a primeira coisa que me veio à mente quando li esse pensamento.

  Onde não há escolha há liberdade!?

  É quase inacreditável, mas muitos se convenceram disso.
  Ser livre é não ter muitas opções.
  Aceitar Jesus como filho unigênito de Deus é o único caminho, você é “livre” para adora-lo, caso não faça isso arderá no fogo do inferno, mas não vou falar de religião, vamos por outro caminho.
 
  Karl Marx criticava à prisão/condicionamento mental provocado pelo feitiço da mercadoria.
  Se te oferecem 5 sabores diferentes de sorvete essa diversidade do produto enfeitiça sua mente o levando a experimentar os 5 sabores, aumentando o consumo, um dos motores da sociedade capitalista.
  Se tem só um sabor você não tem escolha “se libertando” do consumo.
  Você já notou que quanto maior a variedade de comida mais você come?
  Se em uma festa tem só um tipo de salgado você se empanturra com ele e para de comer.
  Mas se tem vários tipos você vai experimentando, vai consumindo, depois ainda tem o bolo que geralmente é doce.

A variedade te enfeitiça.

  Pense em uma gostosa macarronada, delícia né?
  Ainda não encontrei alguém que não goste de macarrão.
  Mas imagine comer só macarrão com molho de carne e tomate todos os dias, só isso.
  Seu apetite diminui bastante.
  Claro, você gasta energia, mais cedo ou mais tarde sentirá fome e se só tem macarrão para comer é isso que irá fazer, mas comerá só o necessário, diminui o consumo.

  Isso não te lembra um Ascetismo forçado?
  Se você não tem força mental para consumir o mínimo possível nós criamos um sistema que te induza a isso.
  Seu filho gosta de carne, mas você é vegetariano.
  Se você não consegue convencer seu filho a ser vegetariano basta não comprar mais carne.
  A hora que ele sentir fome só terá frutas, verduras e legumes para comer.

  Como acabar com a inveja a respeito de casas?
  Construir casas todas do mesmo tipo e cor.
  Porque você vai ter inveja da casa do vizinho se ela é muito parecida com a sua?

  Se tivesse apenas um tipo de celular produzido em alguma estatal fatalmente o consumo desse produto diminuiria.
  Porque você vai comprar um celular novo se ele não traz nenhuma inovação e tem o mesmo designe que o que você já tem.

  Perceba que em teoria estamos construindo uma sociedade fraterna, igualitária, sem inveja, sem ambição.
  As pessoas com “tudo em comum”, comunismo.
  Pessoas com “tudo igual”, igualitarismo.
  Os que já tem um caráter franciscano/ascético se adaptarão bem e os que não tem são forçados a se comportar como se franciscanos fossem, não tem opção.
  A não ser que você seja do partidão, daí claro que você tem direito a “benesses” do Estado para tomar conta da vontade de tanta gente...
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
   Nós fomos condicionados a demonizar certos sentimentos como inveja e ambição.

  Mas inegavelmente esses sentimentos nos fazem buscar coisas.
  Seu colega tem um smartphone tão legal, te dá uma ponta de inveja que te faz ambicionar ter um igual ou melhor.
  Como esse texto trata de pessoas honestas, você não vai roubar seu colega, você vai trabalhar mais e poupar mais para atingir seu objetivo.   
  A inveja e ambição nos tira daquela mesmice, daquela zona de conforto.

  Numa sociedade Liberal/Capitalista inevitavelmente os cidadãos serão mais ambiciosos, inovarão mais, perseguirão mais a eficiência e produtividade.
  Os cidadãos ascéticos/franciscanos terão respeitada sua opção pelo básico.

  Então chegamos a esse outro lado da questão.
  Para consumir precisamos primeiro produzir.
  Produzir 5 sabores de sorvete gera mais empregos que produzir apenas 1.
  Também forma uma economia mais complexa.
  Se esses sorvetes são de frutas naturais temos 5 cadeias de produção.
  Torna a economia mais estável, se der problema na cadeia de produção de uma fruta ainda tem mais 4.

  Claro que um consumismo ensandecido deve ser evitado, mas eu observo que nós humanos nos adaptamos melhor a uma sociedade de consumo que a uma sociedade ascética.

  Ter à disposição 5 sabores de sorvetes é do agrado da maioria das pessoas mesmo que elas não venham a consumir.
  Variedade de comida é agradável a todos.
  Eletrônicos cada vez mais eficientes são do agrado da maioria.

  Aqui colocamos em xeque o pensamento de Jiddu.

Liberdade plena não existe.
(Isso já sabemos)

  Mas se eu posso escolher entre 5 sabores ou experimentar todos eles ...  como ser limitado a um único sabor pode me fazer menos preso ou mais o livre?
  Não fomos condicionados ao consumo, gostar de variedade parece algo natural em nós.
  Tentam nos condicionar ao ascetismo.

  E mesmo que a existência de um único sabor de sorvete me libertasse da “escolha” não me libertaria de um provável condicionamento.
  Alguém decidiu por mim qual o único sabor que terei acesso.
  De qualquer forma estou preso à vontade/condicionamento de alguém.

  Gaiolas são gaiolas, mas quem trocaria uma de 5 metros quadrados por outra de um metro e ainda assim se sentiria mais livre?

  “Muita gente neste mundo é independente mas pouquíssimos são livres” [Jiddu Krishnamurti]

  “Todos desejamos ser famosos mas no momento em que desejamos ser algo já não somos livres." [Jiddu Krishnamurti]

  Você observa a obsessão de Jiddu por um conceito estranho de liberdade.
  Para você ser livre não deve desejar nada ou só o suficiente para sua sobrevivência (olha o ascetismo aí gente.)
  “Pouquíssimos são livres”, de certo Jiddu e alguns iluminados.
  E aqui vemos mais uma semelhança com o Comunismo.
  Tem essa casta superior do partido único e do grande líder que sabe o que é melhor para todos ... os iluminados.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Minha sequência sobre Jiddu vai ficando por aqui.

  No geral não entendo a admiração de tantos ocidentais por “gurus” indianos, é um povo que procria como coelhos, até hoje tem divisões por castas, uma cultura que é difícil achar algo para admirar.
  A Cultura em parte é reflexo dos pensadores mais influentes da nação, para o bem ou para o mal.

   Os pensadores indianos praticam uma Filosofia “enfeitada”, repleta de subjetividades onde cada um interpreta como mais lhe apraz... sempre colocando muita “paz e amor”.

  Quem quer ler um Maquiavel:
  Nasceu em Florença/Itália em1469.

    “Os homens esquecem mais rapidamente a morte do pai do que a perda do patrimônio.”

  O pai está morto, nada vai mudar isso.
  A vida continua e viver na pobreza é extremamente desagradável.
  Não é um pensamento enfeitado/bonito, mas corresponde a uma realidade observável inúmeras vezes.
  Perceba que Maquiavel é muito mais instigante, provocador, nos leva ao profundo de nossos desejos inconfessáveis de bom e de mau... um autoconhecimento.
  Nesse caso a ambição chega a ser algo pragmático.
  Em uma ideologia do “verdadeiro amor” esquecer o pai só acontece com quem não é capaz de amar.
  Em um pensamento “maquiavélico” eu amei meu pai enquanto vivo, agora a vida dele acabou e a minha continua.
  Mais cedo ou mais tarde minha vida também será encerrada, por enquanto ... que eu faça bom uso da saúde e do dinheiro.

"É perigoso libertar um povo que prefere a escravidão". [Maquiavel]

  Alguém lembrou do Iraque?
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Krishnamurti, fala bastante sobre autoconhecimento, mas esse é um assunto muito requentado, Sócrates e Platão já falavam sobre isso de maneira brilhante.

“Conhece te a ti mesmo.”

  A Grécia nos deixou uma forte herança cultural e cientifica, indianos e seus gurus não.
  O Iluminismo ocorrido na Europa nos deixou uma forte herança econômica, indianos não.

  Quando você quiser evoluir Filosoficamente comece pelos pensadores europeus a boa base está ali.

  Se eu não tivesse uma boa bagagem filosófica europeia até ficaria encantado com os gurus indianos e similares ainda bem que comecei com Sócrates:

  “Na velhice o prazer do sexo é substituído pelo prazer da ternura, compreensão, companheirismo, é onde as duas pessoas realmente vivem uma sexualidade plena e responsável.”

  “Só sei que nada sei, e o fato de saber isso, me coloca em vantagem sobre aqueles que acham que sabem alguma coisa.”

  “Nenhum cidadão deve ser um amador em matéria de treinamento físico.
  Que desgraça é para o homem envelhecer sem nunca ver a beleza e a força do que o seu corpo é capaz.”

  “Não posso ensinar nada a ninguém, eu só posso fazê-lo pensar.”

  “Um rosto bonito vale uma passagem para o deleite, uma alma bonita, vale um bilhete para a eternidade.”

  “As pessoas precisam de três coisas: prudência no ânimo, silêncio na língua e vergonha na cara.”

  “O início da sabedoria é a admissão da própria ignorância.”

   “Se a morte fosse mesmo o fim de tudo, seria isso um ótimo negócio para os perversos, pois ao morrer teriam canceladas todas as maldades, não apenas do seu corpo mas também de sua alma.”

  “As almas de todos os homens são imortais, mas as almas dos homens justos são imortais e divinas.” [Sócrates]
  Até quando Sócrates filosofa subjetividades nos enche de esperanças, grande Filosofo! Divino!
 ▬▬▬//▬▬▬


   Jiddu não gostava de ser classificado como filósofo, guru ou mesmo pensador, qualquer “titulo” aprisiona, é um condicionamento.
  Mas quando vemos a adoração de seus simpatizantes é difícil não classifica-lo como:
 

  GURU é um professor no hinduísmo, budismo, e sikhismo, que possui um profundo entendimento da alguma linha filosófica, o guru também é visto em religiões indianas como um guia sagrado à auto realização.

Anterior          <>        Próximo 

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Verdades Convencionais

   “A verdade não pode ser trazida para baixo; é o indivíduo que deve fazer o esforço de ascender até ela."
[Jiddu Krishnamurti]

Lembrei de Charles Chaplin:

  “O assunto mais importante do mundo pode ser simplificado até ao ponto em que todos possam apreciá-lo e compreendê-lo.
  Isso é - ou deveria ser - a mais elevada forma de arte.”   

   Buscar a verdade em qualquer assunto é sempre importante.
   Não se trata de trazer para baixo a verdade, mas simplifica-la a ponto que a maioria das pessoas possam entender.

   É o que faço, me acho muito bom nisso.

  A verdade para eu é a melhor resposta para o momento, se no próximo momento aparecer uma resposta mais satisfatória ela passa a ser a verdade.
  Há verdades que consideramos imutáveis, não esperamos que elas mudem com o tempo.
2 + 2 = 4
  Jiddu diria que isso não é uma verdade porque ela é baseada em uma convenção.
  Alguém convenceu outros a aceitarem o símbolo “2” como representando um par de coisas, logo, sua mente ao aceitar esse símbolo está presa a idéia de alguém.
  É verdade o que Jiddu prega, mas não sei que tipo de mundo poderíamos construir se não entrássemos em um acordo sobre símbolos.
  O objetivo dos símbolos é facilitar a comunicação uma vez que não temos o poder de ler mentes.
  Até os animais dito irracionais tem seus sinais.
  Como nosso cérebro é mais sofisticado desenvolvemos uma gama muito maior de símbolos o que nos permitiu trocar e somar conhecimentos até chegarmos em nossa fabulosa tecnologia atual.

  Se um dia encontrarmos uma civilização extraterrestre inteligente de certo ela deve ter seus cálculos matemáticos com símbolos totalmente diferentes dos nossos.

  Em nossa própria civilização os números arábicos demoraram a ser um consenso.
  Por menos estudo que você tenha deve conhecer pelo menos os números romanos que são diferentes dos arábicos.
I, II, III, IV, V.  Números romanos
1, 2, 3, 4, 5.    Números arábicos

  Chegamos à conclusão que uma verdade plena não pode ser encontra nem em uma simples equação matemática: 2+2=4

  Mas é verdade que usando essa convenção nossa comunicação fica mais eficiente.
  Da minha parte não vejo motivos para desconsiderarmos essas verdades convencionais.
  Muitos pensadores fazem um drama com isso, eu os chamo de pensadores do "tudo é tudo e nada é nada" é o tipo de filosofia que anda em círculos sem nos levar a lugar algum.
  Sempre que um pensamento não envolve questões morais não vejo porque não adotá-lo como verdade mesmo que seja uma convenção.

O fogo queima.”

  Veja que tudo nessa afirmação é uma convenção.
  Começamos pelas letras que são símbolos.
  Convencionamos chamar uma reação química existente em nosso planeta de fogo e a sensação que ela provoca de calor.
  Dependendo da intensidade do calor ele esquenta, derrete, queima.

  E se o pensamento envolve valores morais?
  A verdade fica bem mais variável/questionável depende da cultura.

  “Para crimes hediondos devemos aplicar a pena de morte.”

  Essa afirmação será verdadeira em povos que tem a pena de morte em sua legislação e será falsa em países que não tem.
  De qualquer forma, considerarmos as verdades convencionadas nos leva a uma solução/decisão.
  Filosofar que tudo é tudo e nada é nada nos faz meditar em círculos insolúveis.
  Alguém comete um crime hediondo e pega uma pena branda porque podemos com malabarismos filosóficos considera-lo vítima da sociedade.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Se alguém me diz que está amando e sendo correspondido eu lhe dou os parabéns.

  Se não está sendo correspondido dou meus pêsames...HAHAHAHAHAHAAHAHH!
  Se apaixonar por quem só nos quer como amigo ou nem isso é osso.
  Eu nunca vivi essa situação, sempre fui correspondido.
  Como eu era muito tímido o que acontecia é que eu agia como aqueles cãozinhos que correm atrás do carro, quando o carro para não sabem o que fazer...
  Não tinha papo, não tinha assunto, não tinha atitude daí virava apenas amigo.

  O que convencionamos chamar de amor é em linhas gerais um interesse profundo/romântico por outra pessoa.

  Eu sei o que uma pessoa quer dizer quando diz que está apaixonada.

  Veja que coisa terrivelmente enfadonha:

Você: Sinto amor por aquela mulher.

Jiddu Krishnamurti:  Sabe, de fato não temos amor – essa é uma coisa terrível de se perceber.
  De fato não temos amor; temos sentimento; temos emocionalismo, sensualidade, sexualidade, temos lembranças de alguma coisa que pensamos que era amor.
  Mas de fato, brutalmente, não temos amor.
  Porque ter amor significa não ter violência, nem medo, nem competição, nem ambição.
  Se você teve amor, nunca dirá, "Esta é minha família."
  Você pode ter uma família e lhe dar o melhor que pode; mas ela não será "sua família" que está em oposição ao mundo.
  Se você ama, se existe amor, existe paz.
  Se você amasse, educaria seu filho não para ser nacionalista, não para ter apenas uma profissão técnica e tratar apenas de seus pequenos assuntos; você não teria nacionalidade.
  Não haveria divisões de religião, se você amasse.
  Mas como essas coisas de fato existem – não teoricamente, mas brutalmente – este mundo hediondo, mostra que você não tem amor.
  Mesmo o amor da mãe por seu filho não é amor.
  Se a mãe realmente amasse seu filho, você acha que o mundo seria assim?
  Ela cuidaria que ele tivesse o alimento correto, a educação correta, que fosse sensível, que apreciasse a beleza, que não fosse ambicioso, ganancioso, invejoso.
  Então a mãe, conquanto ela possa pensar que ama seu filho, não ama.
  Então não temos esse amor.

  Jiddu eleva o amor a um patamar tal que nenhum humano é capaz de alcançar, logo, você acredita que está sentindo amor, mas não está sentindo “nada” que se aproxime dessa situação.
  Na parte que destaquei em azul você sai do nada e vai para uma visão do tudo.

  “Se a mãe realmente amasse seu filho, você acha que o mundo seria assim?”

  Eu vivo escrevendo sobre a importância de pais responsáveis, mas crítico os que não são, não generalizo essa condição
  Eu defendo que a maioria dos pais cuidam bem dos seus filhos.
  A grande maioria das mães que conheço amam e cuidam bem de seus filhos.
  Olhamos indignados para crianças que pedem coisas nos sinaleiros, mas não esqueçamos que a esmagadora maioria não vive essa situação.
  Jiddu atribui um poder as mães que eu não consigo observar.

  “Ela cuidaria que ele tivesse o alimento correto, a educação correta, que fosse sensível, que apreciasse a beleza, que não fosse ambicioso, ganancioso, invejoso.”

  A primeira parte é uma coisa que eu como pai posso prover.
  A parte em amarelo vai além de minhas possibilidades, eu posso aconselhar, dar exemplo, mas o caráter de minhas filhas é algo inerente a elas.
  O que eu acho bonito pode não ser do agrado da minha filha.
  Eu posso me contentar em morar em um barraco na favela, mas minha filha pode querer algo a mais.
  Minha filha pode achar que o amor é tudo enquanto eu acho que para casar é preciso ter condição financeira aceitável.
  Sem contar que eu também fui filho.

  Se os filhos fossem um reflexo exato dos pais os comportamentos iriam se repetindo sem mudanças por infinitas gerações.

  Vamos a uma filosofia mais objetiva, pragmática.
  Quando uma pessoa fala pra você que está apaixonada, na “verdade” ela está compartilhando com você algo que ela está sentindo.
  Apenas escute e deseje boa sorte, felicidades.
  Talvez ela esteja pedindo sua ajuda para uma aproximação, se possível ajude.
  Se você sabe que a pessoa que ela pretende é compromissada e está bem no atual relacionamento, avise, não deixe criar expectativas.

  Veja que há vários procedimentos eficientes para ajudar seu colega o incentivando, alertando ou apenas compartilhando de sua alegria.

  Eleva-lo ao entendimento do que é o “verdadeiro amor” ... é altamente broxante, um meditar em círculos sem chegar a lugar nenhum e nem prestar algum conforto ou auxilio.
  Quando alguém disser que está apaixonado esqueça Jiddu, ouça Leo Jaime:

                            E até o tempo passa arrastado
                       Só pra eu ficar ao teu lado
                       Você me chora as dores de outro amor
                       Se abre e acaba comigo
                       Nessa novela eu não quero ser
                       O teu amigo, que amigo!
                       É que eu preciso dizer que te amo
                       Te ganhar ou perder sem engano
                       Eu preciso dizer que te amo
                       Tanto ♫♫♫♫




  “No universo tudo procede por vias indiretas. Não existem linhas retas.”
[Ralph Waldo Emerson] 

  Houve uma fase em minha vida que Waldo Emerson foi meu pensador preferido.
  Eu devorei seus livros, mas ao tentar colocar sua filosofia em pratica foi decepcionante.
  Foi com ele que identifiquei esse tipo de pensador que classifico como “Tudo é tudo e nada é nada”.
  É uma filosofia bonita, parece profunda ... pena que não corresponde à realidade observável. (Sem generalizações)

  Eu observo a vida e procuro uma teoria que a explique.

  Pensadores como Ralph e Jiddu criam uma teoria e querem que a vida a explique.

  Nesse pensamento Emerson afirma que não existe linhas retas.
  Caraca, para onde eu olho vejo linhas retas (segmentos de retas para os mais exigentes)
  Sim, eu entendo o que Emerson quer dizer.
  Tudo é uma reação em cadeia.
  Mas para me deliciar com um pedaço de pão não preciso “desperdiçar energia” relembrando toda sua cadeia produtiva antes de come-lo.
  Eu sei do trigo, sei do seu beneficiamento, sei da agua, do trabalho do padeiro ... mas quando estou com fome “a linha reta” de comer o pão me basta.

  Eu sei que uma linha reta é feita de infinitos pontos e que se olharmos em um microscópio veremos que eles não estão perfeitamente alinhados.
  No entanto uma régua embora não seja perfeita serve as minhas necessidades, tem a sua UTILIDADE.
  Suponhamos que você queira desenhar a planta do imóvel onde pretende morar, mas se recusa a fazer isso enquanto não encontrar a régua perfeita.
  O imóvel é uma necessidade, a régua perfeita é um capricho/utopia.
  Mesmo que você conseguisse a régua perfeita e linhas perfeitas, o engenheiro não tem como construir paredes perfeitas.

  Imagine que em um ciclo natural da vida você queira casar e ter filhos, mas se recusa a fazer isso enquanto não encontrar o parceiro perfeito o amor verdadeiro...
  Em busca da verdade verdadeira as pessoas adiam tanto as decisões uteis/objetivas nessa vida que a única esperança é que tenha outra vida.
  Vai “tentar” viver em outra vida o que pode estar vivendo nessa, mesmo que não seja com toda perfeição desejada.

  Por favor, não estou dizendo que esse tipo de filosofia é um “lixo”.
  Como escreveu Paulo Coelho: “Até um relógio quebrado está certo pelo mesmo duas vezes no dia.”
  Apenas gosto da Filosofia mais objetiva, pragmática.

  Um relógio mais eficiente.



Anterior          <>        Próximo