segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Fracasso do Ateísmo

“Ateus definirem a existência ou não existência de “interferências” nesse planeta baseados em livros sagrados escritos há milênios ... é no mínimo constrangedor.”
[William Robson]

  “(William)Você sabe o que é auge? Volta 800 anos atrás.”
[Comentarista no G+ sobre o auge do Cristianismo]
▬▬▬▬▬▬▬
  Ateus tem dois pilares básicos para atacarem o cristianismo, ridicularização da Bíblia e atrocidades da Inquisição.
 
1 - Ridicularização da Bíblia. 
  Ateus só reconhecem a “ideia de Deus” exposta na Bíblia.
  Se “Deus” (espíritos em geral) existisse seria tal qual descrito na história contada pelos antigos.
  Como o Deus Bíblico é indefensável do ponto de vista da justiça e bondade, ateus afirmam que ele não existe.
  Esse modo de agir dos ateus é constrangedor para um Livre Pensador.
  Não sei se conseguirei me fazer entender, vou tentar.

Religiosos fanáticos -  É constrangedor ver pessoas bem alfabetizadas e com bom nível de conhecimento defenderem que a Bíblia seja 100% a palavra de algum espirito justo e bom.

  Para eu é uma subversão da lógica que por si só sugere alguma interferência mental difícil de explicar.

Ateus fanáticos -  É constrangedor ver pessoas bem alfabetizadas e com bom nível de conhecimento defenderem que se Deus existe é tal qual descrito por pessoas que viveram 6 mil anos atrás (no caso do judaísmo) ou 2 mil anos atrás (no caso do cristianismo).

  Apoiar nossas hipóteses sobre existência de espíritos no conhecimento humano de 6 mil ou 2 mil anos é como querer observar ondas gravitacionais usando tecnologia e conhecimento de milênios atrás...

  Eu sou um Livre Pensador sintonizado com os conhecimentos e observações do meu tempo.
  Claro que conheço muito do passado, sei que antigos acreditavam que o Sol girava em torno da Terra.
  Não os ridicularizo porque realmente é essa a impressão que temos.
  Quero dizer que Ateus definirem a existência ou não existência de “interferências” nesse planeta baseados em livros sagrados escritos há milênios ... é no mínimo constrangedor.
  Vamos ao meu conhecimento de história para analisar a sugestão que o Cristianismo teve seu auge há 800 anos.

2 - Inquisição.

  Se voltarmos 800 anos temos: 2016 – 800 = 1216

  “A Inquisição é um grupo de instituições dentro do sistema jurídico da Igreja Católica Romana, cujo objetivo era combater a heresia.
  Começou na França a partir de 1250.
  Avançou para Espanha e Portugal.
  Um foco particular das inquisições espanhola e portuguesa era converter forçadamente judeus e muçulmanos ao catolicismo, em parte porque esses grupos minoritários eram mais numerosos na Espanha e em Portugal do que em muitas outras partes da Europa e em parte porque muitas vezes eles eram considerados suspeitos devido à suposição de que haviam secretamente voltado a praticar suas religiões anteriores.
  Estima que o número total de pessoas julgadas por tribunais inquisitoriais ao longo da sua história foi de aproximadamente 150 mil, dos quais cerca de três mil foram assassinadas - cerca de dois por cento do número de pessoas que foram a julgamento.”  [Wikipédia]

 O ano 1216 foi o auge do Cristianismo no planeta?

  Pelo que sabemos da história nem no período da Inquisição o cristianismo esteve em seu auge.

  Auge = O ponto mais alto; pico ou cume.
    Que se encontra no mais alto grau; que possui a maior intensidade; ápice ou apogeu: no auge da vida; no auge da profissão; no auge da tristeza.

  Podemos dizer que no período da Inquisição o Cristianismo esteve no auge do fanatismo e selvageria, esse argumento eu consigo defender.
  Não consigo defender o argumento que o Cristianismo vivia seu auge no planeta durante a Idade Média.
  O mundo não era só França, Portugal e Espanha.
  Nem a Europa se resume a esses 3 países.

  Observem os dados muito bem registrados:

 O Império Mongol (1206 1368) foi uma entidade política que existiu durante os séculos XIII e XIV e foi o maior império em área contígua da história.
  A partir de estepes da Ásia Central, que se estendiam da Europa Central até o mar do Japão, ao norte até a Sibéria, ao leste e ao sul até o subcontinente indiano, a Indochina e o planalto iraniano e, por fim, ao oeste até o Levante e da Arábia.”
  O império unificou tribos mongóis e turcas da Mongólia sob a liderança de Gengis Khan”

 O Império Otomano foi um Estado turco que existiu entre 1299 e 1922 e que no seu auge compreendia a Anatólia, o Médio Oriente, parte do norte de África e do sudeste europeu.
  Foi estabelecido por uma tribo de turcos oguzes no oeste da Anatólia e era governado pela dinastia Otomana.”

  Notem que há 800 anos o Cristianismo era forte só em partes da Europa, um resquício do Império Romano.

O auge do cristianismo é hoje.

  É a religião com mais adeptos no mundo, em segundo são os islâmicos e em terceiro os hinduístas.
  E os ateus?
  HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAAHH!
  O auge dos ateus foi a URSS.

  “A união soviética foi o primeiro Estado a objetivar a eliminação completa da religião e sua substituição pelo ateísmo universal.
  O regime comunista soviético confiscou propriedades religiosas, promoveu amplamente o ateísmo nas escolas, perseguiu crentes e investiu na ridicularização das religiões.
  O confisco de bens religiosos apoiou-se principalmente em denúncias de acúmulo ilegal de riqueza.” [Wikipédia]

Olhem que interessante:

  A Rússia por ser o centro nervoso da URSS deveria ser predominantemente ateia, afinal a URSS existiu até 1990, não faz muito tempo.
  Não faz 30 anos que o Estado Ateu Soviético deixou a Rússia e lá os ateus não chegam a 15%!!!!

  “A Constituição da Rússia afirma que o país é um estado laico, porém, a Lei do Parlamento russo (Duma) sobre a religião em 1997, afirma que as quatro religiões tradicionais da Rússia são a Igreja Ortodoxa Russa, o Islã , o Budismo (principalmente lamaísta ) e Judaísmo , de modo que todos têm o direito automático a pregar e praticar sua religião em público e em privado, enquanto outras religiões devem executar procedimentos de registro.” [Wikipédia]

   Para quem não sabe a Religião Ortodoxa é uma corrente do CRISTIANISMO.
  Nota-se um fracasso retumbante do ateísmo em uma nação que deveria ser a “casa” deles, a Rússia deveria ter o ateísmo como uma herança cultural.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Há muitos ateus na China porque são obrigados pelo Estado a ser.

  Em muitos países do Oriente Médio você é obrigado a ser islâmico.

  Não lembro de nenhum país atual onde você é obrigado a ser Cristão.
 [Quem lembrar pode postar, deve ser uma incidência baixíssima]

  Os países cristãos são os mais liberais em termos de religiosidade.
  Brasil, Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha, Canada ... você ora para quem quiser, é totalmente livre para ser ateu.
  O Cristianismo é a maior corrente religiosa a qual as pessoas aderem por traço cultural ou por livre e espontânea vontade.
  Se espalha pelos 5 continentes.
  A nação mais poderosa do nosso tempo é o Estados Unidos, uma nação majoritariamente cristã.
  Podemos considerar a China a segunda maior potência?
  A China investe muito em seu exército é potência nesse sentido.
  A economia da China é a maior do Planeta ... mas lembremos que são mais de 1 bilhão de habitantes, gente que come, bebe, se veste...

  Se colocarmos na balança o que mais importa que é qualidade de vida geral da população a China não se equipara nem ao Brasil.

  E a pergunta que não quer calar é:

  Se o partido Comunista da China desse total liberdade religiosa, por quanto tempo os ateus seriam maioria?
 
  “Crescimento significativo no número de católicos e protestantes inquieta o regime comunista chinês, temeroso de que os cristãos se dediquem a fazer política” [El País]

  Senhoras e senhores se o auge do Cristianismo não é agora ... então precisamos reescrever a história segundo a imaginação dos ateus...
  A questão se espíritos existem ou não fica até em segundo plano, o fato é que acreditar em espíritos é um pensamento muito superior (melhor adaptado).
  Ficamos com duas situações:

a) Acreditar em espíritos de alguma forma faz nos organizarmos mais eficientemente em sociedade.

b) Ou espíritos existem e protegem quem acredita neles.

  Uma situação não elimina a outra.

  Concluímos que o Homo sapiens e seus ancestrais eram “ateus” igual todos os outros animais, em algum momento recente o pensamento espiritualista surgiu e se fosse ineficiente não vingaria.
  Sapiens “religiosos/espiritualistas” seriam exterminados ou subjugados por Sapiens “não religiosos/materialistas”.
  O que observamos é que o pensamento espiritualista cresceu e predomina na humanidade.
 O ateísmo não é o novo é o antigo.
O ateísmo não é o futuro é o passado.



Anterior          <>        Próximo 


   Me aprofundar na Filosofia me fez ficar sem religião.
    Nunca estive tão longe da religião e minha distância é ainda maior com relação ao ateísmo.
    Mas já não estou tão solitário:

  “Quem se declara como sem religião é, sobretudo, jovem, com idade média de 26 anos.
  Eles não rejeitam valores religiosos, mas sim a institucionalidade ou até mesmo a mediação de sacerdotes ou de uma igreja.”  [Viva a nova geração!] 

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Propaganda Positiva

  “Em Nova York há várias estações de metrô que oferecem Wi-Fi gratuito.
  Ao selecionar a rede Wi-Fi você verá uma propaganda.
  Aceite esse anúncio, após o qual você será conectado à Internet.
 [visitenovayork.com.br]

  Em países desenvolvidos a iniciativa privada banca muitas coisas.

  Pode ser porque o dono ou principal executivo tem uma tendência filantrópica, mas geralmente é porque é bom para imagem da empresa, uma propaganda positiva.
  Eu não vejo absolutamente nada de errado em fazer uma propaganda positiva.
  A empresa precisa de você consumidor e quer estabelecer confiança, amizade, simpatia.

  Quando gostamos ou precisamos de alguém fazemos coisas para parecermos confiáveis, se possível damos presentes/agrados.

  Porque empresas no final de ano distribuem calendários?
  Será apenas por conta do “espirito natalino”?
  Se você gosta de acreditar nisso tudo bem, mas o calendário é uma propaganda boa e barata.
  Você vai olhar para ele diariamente e mesmo sem querer vai fixar na memória o nome da empresa que lhe deu.
  Se a folhinha é de uma pizzaria o nome e o telefone estão ali bem a sua vista caso queira fazer um pedido.

 Uma coisa nefasta que temos em nosso tempo é o imbecil incentivo à luta de classes.

  O dono da pizzaria é gente de carne e osso igual você.
  É possível que ele tenha herdado a pizzaria do pai ... e qual o problema nisso se ele continua fazendo um bom trabalho?
  Se uma de minhas filhas fosse um escritora de sucesso eu ficaria muito satisfeito.
  O dono(a) da pizzaria pode ser alguém que depois de anos trabalhando para uma empresa, juntou capital e conseguiu abrir a própria empresa é o que chamamos de empreendedor.
  Qual o motivo para ter ódio de alguém que monta uma empresa!?

  Gente, nós precisamos nos amar ... HAHAHAHAHAHA!
  Tá bom amar é forçar a barra, mas porque não sermos amigos/colegas/companheiros?
  No mínimo, independente da nossa classe social, devemos nos respeitar civilizadamente.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
Pessoa Física é a pessoa natural, isto é, todo indivíduo (homem ou mulher), desde o nascimento até a morte.

Pessoa Jurídica é a unidade de pessoas naturais ou de patrimônio, que visa à consecução de certos fins, reconhecida pela ordem jurídica como sujeito de direitos e obrigações; são 3 os seus requisitos: organização de pessoas ou de bens; licitude de seus propósitos ou fins; capacidade jurídica reconhecida por norma.

  Simplificando ao máximo possível.
  Pessoa física é você, eu, nós existimos de fato como seres vivos, legalmente somos identificados através do nosso CPF

  Pessoa jurídica é qualquer empresa que pessoas físicas criam, essas empresas são identificadas legalmente através do CGC.

  A “Pizzaria Mimosa” é uma pessoa jurídica, criada por seu dono que é uma pessoa física.

  O Bill Gates é uma pessoa Física, a Microsoft é uma pessoa Jurídica.

  Pessoas físicas e pessoas jurídicas são tão dependentes uma das outras que não é exagero dizer que são casadas no civil e no religioso.
  O Edir Macedo é uma pessoa Física, a Universal do Reino de Deus é uma pessoa jurídica. 

  Eu e minha esposa trabalhamos para empresas, o pão no nosso lar chega através delas.
  Minhas filhas, dependem do trabalho meu e de minha esposa.
  Fica claríssimo que “empregados e patrões” são fortemente interdependentes.
  Já passou da hora de amadurecermos esse relacionamento ... vamos discutir a relação?

  O que o faz pensar que Empresas e Empresários são seus piores inimigos!?

  Não existe uma Google andando por aí, as decisões são tomadas por pessoas físicas.
  Essas pessoas físicas querem ganhar dinheiro como qualquer um de nós.
  Para isso elas precisam prestar um serviço ou produzir algum produto que nos interesse.
  Além do mais medite comigo.
  Muitos brasileiros desejam ter um negócio próprio, isso não significa virar empresário!?
  Você pessoa física quer virar algo que detesta?

  Virar empresário quando você não herda um bom negócio não é nada fácil.

  Para juntar um capital inicial na maioria das vezes você trabalha em empresas ... não te parece estranho cuspir no prato que come?
  Eu não herdei nem um centavo, trabalhei anos em uma empresa que foi absorvida por outra maior, fui demitido, com o dinheiro do FGTS e algumas economias tentei virar empresário, mas as coisas não deram certo.
  Teve mês de eu trabalhar 15 horas por dia e no final ao fechar as contas tinha perdido 500 reais.
  Isso não aconteceu só comigo, acorde, observe quantas empresas vão a falência.
  Uma das coisas mais incomodas é que todos pensam que porque você tem um negócio é rico.
  A funcionária reclamava que ganhava pouco, se ela soubesse quantos meses ganhou mais que eu...
  Nesse tempo eu sentia saudades de quando trabalhava 44 horas semanais, com direito a férias, décimo terceiro, folga semanal, algum dinheiro garantido até o quinto dia útil do mês.
  Não tenho vergonha de dizer que um dia chorei muito, inundei-o capacete, não faz muito tempo, uns 3 anos.
  [Eu tinha publicado um texto pela manhã que me deixou muito fragilizado.]
  O momento me marcou porque tive que parar a moto, não conseguia enxergar mais nada.
  É algo extremamente bobo, nem eu sei dizer muito bem o que aconteceu.
  A empresa que trabalho atualmente fica no Bairro onde eu tinha o restaurante.
  Era sábado e eu estava indo tranquilo para o trabalho por volta das 12:30 h.
  No restaurante aos sábados eu fazia feijoada e aquilo dava um trabalho danado, a correria já começava na Sexta Feira.
  Passando por uma rua onde fiz entregas lembrei de um dos Sábados em que fiz feijoada para 80 porções e consegui vender meia dúzia.
   Mais um dia que você não precisava nem fazer as contas para saber que teve um enorme prejuízo.
   A feijoada estava deliciosa, as funcionárias comeram com gosto, os familiares para quem eu levei adoraram, eu mesmo comi com gosto, mas a maior parte foi para o lixo, um desperdício de estraçalhar o coração, desperdício não só de comida, mas de tempo, trabalho, dinheiro... que desespero!
 
   Ao lembrar daquele ser desesperado de alguns anos atrás, me veio esse choro de alivio ... ainda bem que passou... ainda bem que passou...

  Sabe o que é você estar moído por dentro e mesmo assim ter que ser só sorrisos com os clientes, ser educado com aquele funcionário que faz uma grande burrada, atender com civilidade aqueles vendedores que brotam feito mato, todos querem te vender alguma coisa.
  Como se não bastasse tinha os que pediam caridade, comida de graça, contribuições assistenciais ... afinal todos acreditam que pelo simples fato de você ter uma empresa está nadando em dinheiro e só não paga mais, não compra mais, não ajuda mais porque não quer, é um monstro mesquinho e ambicioso que só pensa em si.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Nós demonizamos as empresas e empresários.

  Lembro que a Parmalat certa vez patrocinou o Palmeiras que conseguiu montar um time muito bom.
  A marca passou a ser odiada por outras torcidas foi proposto até boicote a seus produtos.
  Isso desanimou outras empresas a patrocinar times de futebol, de que adianta agradar uma torcida e desagradar todas as outras, que po##a de Marketing é esse!?
  Sei lá, você que gosta de futebol deveria prestigiar qualquer empresa que patrocine seu esporte favorito independente de torcida, é isso que povos civilizados fazem.
  Eu nunca fui torcedor do Palmeiras, mas aquele time de Edmundo, Cafu, Roberto Carlos ... dava gosto de ver.
  Uma Samsung patrocinaria o Santos se isso fosse uma propaganda positiva para ela, se ela conseguisse a simpatia de todos os que gostam de futebol, mas se só vai agradar torcedores dos Santos e criar antipatia com todas as outras torcidas ... que po##a de Marketing é esse!?
  Na Europa você vê empresas patrocinando Futebol e são admiradas por isso.
  Aqui os patrocinadores são demonizados e todos perdem com isso.


  Recentemente a Schin fechou contrato com uma prefeitura para patrocinar o Carnaval na praia.
  Sua exigência era bastante razoável, só vender sua marca na área patrocinada, mas com tantos protestos acho que nunca mais fará isso.
  Se fosse uma experiência bem sucedida outras marcas de bebidas poderiam patrocinar festas em diversas praias.
  Nós poderíamos no próximo Carnaval ter ambientes muito bem cuidados e não iriamos pagar nada por isso com dinheiro de nossos impostos.
  Porque a Schin vai gastar dinheiro para divulgar negativamente a marca?
  Melhor investir na velha formula de colocar uma gostosona nos servindo cerveja.
  Uma verba que você poderia usufruir na praia com mulheres reais, vai para as empresas de propaganda com mulheres que você só terá em sua imaginação.
 
   Uma empresa patrocinar teatro e cinema não compensa porque temos a lei Rouanet, se pode deduzir do imposto porque tirar do faturamento?

  Nossas Universidades tem verdadeira ojeriza das empresas privadas, se uma empresa quiser construir uma quadra esportiva até pode, desde que só dê o dinheiro e fique totalmente anônima.

  Eu posso dar inúmeros exemplos.
  As Escolas de Samba do Rio de Janeiro são muito bonitas e caríssimas.
  Vamos supor que o Bradesco queira patrocinar a Portela em 2017.
  Isso seria um marketing positivo ou negativo?
  Com nossa Cultura atual seria extremamente negativo.
  Iriam falar que o Carnaval está mercantilizado, sujeito aos interesses da elite dominante burguesa, que se vendeu para o imperialismo econômico...

  Caraca! Na minha cabeça Carnaval é uma festa cara que apenas os participantes não tem como bancar.
  O dinheiro precisa vir de algum lugar as opções são:

 Máfia (lavagem de dinheiro).

 Dinheiro dos impostos.

 Propaganda de Empresas.

  Minha opção é óbvia e eu criaria até uma nova categoria para os jurados darem nota.
  O carro alegórico do Patrocinador.
  Sim, o Bradesco teria direito a ter um carro alegórico inserido no tema do enredo.
  E nada das TVs cortarem as imagens desse carro alegórico.
  Caraca! Se quem está pagando boa parte das contas não merece nenhum prestigio ... que país é esse!?

  As empresas bancam projetos as vezes por caridade, mas na maioria das vezes é para divulgar a marca, fazer propaganda.
  Aqui no Brasil a chance do marketing virar negativo é muito grande.
  Uma empresa “ingênua” começou a construir paradas de ônibus lindíssimas aqui em Campinas, a depredação era de dar dó.
  Fica feio você colocar sua marca de ônibus em paradas todas depredadas.

  Se você ainda não está convencido pense no YouTube.
  Para manter tantos vídeos é necessário uma plataforma grandíssima e caríssima o dinheiro tem que vir de algum lugar.
  O grosso da grana vem dos diversos anunciantes.

  Enquanto demonizarmos empresas e empresários é muito difícil (para não dizer impossível) nosso país ficar desenvolvido.




  “Caixa concede patrocínio de R$ 83 milhões a dez times de futebol.” [EBC]

  A Caixa é um Banco Estatal com o privilégio de monopólios, ela e o Banco do Brasil são os que menos precisam de alguma propaganda.
  Aqui no Brasil não basta aplicarmos dinheiro dos impostos em nababescos estádios de futebol.
  Achamos lindo Estatais bancarem clubes.
  Quem se importa com redes de esgoto, hospitais melhores, boas escolas ou polícia de qualidade?
  O importante é que temos o “melhor futebol do mundo”...



  “Inútil, a gente somos inútil!”   ♫♫♫♫

Anterior          <>        Próximo

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

O Grande Golpe

  “Se economistas e analistas erram tanto por que ouvimos suas previsões e atribuímos um caráter científico?”

  A Ciência, do latim scientia traduzido por "conhecimento”, refere-se a qualquer conhecimento ou prática sistemáticos.


  Uma das frases que mais escrevi nesse Blog é:
A vida não é exata.
  A ciência faz parte da vida e está sujeita a “variáveis”.
  Um conhecimento aponta uma probabilidade que pode até ser de 100%, mas e se a probabilidade for de 10% deixa de ser uma ciência/conhecimento?

  Vamos a um exemplo simples para depois expandirmos para o complexo.
  O sorvete é um liquido ou massa congelado.
  Temos a ciência que para o congelamento permanecer o sorvete tem que estar em um ambiente de zero graus ou menos.
  Se deixarmos o sorvete na temperatura média ambiente de São Paulo há 100% de probabilidade dele derreter.

  E se colocarmos no freezer a menos 2 graus?
  Há 100% de probabilidade de mantermos as propriedades do sorvete pelo menos por 6 meses.

  Note que ignorando o imponderável nossas “previsões” do que irá acontecer com o sorvete em determinadas situações são 100% seguras.

  Mas e se uma frente fria baixar a temperatura de São Paulo para zero grau em um dia de inverno? É difícil, pelo nosso histórico de temperaturas, mas não impossível, lembro de já ter chegado a 6 graus.

  E se acabar a energia elétrica que alimenta o freezer?
  Onde moro é bem raro acabar a energia, mas acontece.

  Vamos para o complexo.

  Li uma matéria que zombava dos economistas e analistas políticos os igualando aos astrólogos e videntes.

  Se fosse só um chiste eu não ligaria, mas não foi, a matéria realmente incentivava a não darmos a mínima atenção para análises políticas e econômicas.
  Pelo tipo de filosofia que prático me considero analista político e para ser um bom analista político é preciso conhecer muito de economia e história.
  Previsão em filosofia ou ciência não é naquele sentido mágico de ver o futuro está mais ligado a projeção/probabilidade.

  Fica mais fácil entender se olharmos para ciências “exatas.”
  Você quer ir à uma cidade vizinha que fica a 60 quilômetros da sua.
  Você pega seu carro e mantém uma velocidade média de 60 k/h.
  Podemos “prever” que a viagem demorará uma hora, isso é uma previsão/projeção.
  É evidente que na prática algum acontecimento pode aumentar ou diminuir esse tempo.
  Se você aumentar a velocidade média a previsão passa a ser errada?
  Eu defendo que não.
  A projeção foi correta e você alterou uma variável para mudar o resultado final.

  Se o pneu furar a previsão passa a ser errada?
  Eu ainda defendo que não, surgiu uma nova variável, o tempo razoável para troca de pneu é de 30 minutos.

  O interessante aqui é nós sabermos que em condições normais podemos chegar a esse destino específico em 1 hora, isso é um conhecimento, uma “ciência.”

  É desaconselhável tentar fazer esse percurso em 30 minutos pois precisaríamos desenvolver uma velocidade perigosa para condução do veículo.
  Para não termos nenhum imprevisto com relação ao carro uma boa manutenção mecânica é aconselhável.
  Temos a “ciência” que um pneu pode furar, por isso nossos carros tem estepe.

  E se o imponderável acontecer?
  Uma queda de barreira, um acidente que envolva seu carro ... daí a gente vê o que faz, não dá para sair de casa sempre esperando que o pior aconteça.

  Pois bem vamos a algumas projeções econômicas e políticas.

  Na velocidade atual do crescimento de nossa dívida podemos em poucos anos entrar em moratória.
  De posse dessa projeção certa (matemática básica) espera-se que o Governo tome as medidas necessárias.
  O governo ajusta de alguma forma a economia e a moratória não acontece.
  A projeção estava errada?
  Claro que não, ela foi importantíssima para os técnicos do Governo conseguirem um outro resultado.

  O que esperar do governo Dilma?
  Se houver a cassação da chapa o novo eleito, seja qual for ele, conseguirá uma governabilidade muito melhor que Dilma.
  Para ser eleito ele tem que conquistar o apoio de mais da metade do eleitorado, coisa que Dilma só por um milagre irá conseguir.
  A vitória de Dilma nas últimas eleições foi a base de mentiras, maquiagens fiscais.
  Espera-se que os candidatos a Presidente não tenham os nomes envolvidos no escândalo da Lava Jato.
  Entenda que a Lava Jato trata essencialmente dos desvios de dinheiro na Petrobras, Dilma estava ali no olho do furacão desde 2003 e nunca viu nada, não soube de nada!?

  “Em 2002 Dilma participou da equipe que formulou o plano de governo de Luiz Inácio Lula da Silva para a área energética.
  Posteriormente, foi escolhida para ocupar o Ministério de Minas e Energia.” [Wikipédia]

  Considerando que seja verdade que ela nunca soube de nada ... é uma pessoa muito desligada, incompetente ao extremo.

  Um outro presidente nos traria ao menos esperança.
  Não vejo no horizonte nada que que possa fazer subir a popularidade da Presidente ou uma melhora significativa da economia.
Mas vejo um novo golpe sendo arquitetado.
  Para o tamanho dos nossos problemas econômicas atuais é espantoso o volume de reservas que nosso Governo mantem no exterior.
  Um Governo sério, preocupado com a população, enviaria bons projetos ao Congresso Nacional mostrando o que temos que fazer para conseguir um equilíbrio fiscal, mudar nossa trajetória de endividamento.
  Esses projetos poderiam ser debatidos com calma por toda Sociedade, criando um consenso.
  A calma seria possível com a repatriação de cerca de 150 Bilhões de dólares das nossas reservas, uma quantia suficiente para resolver os “rombos” provocados pela incompetência administrativa e populismo.
  Claro que não adianta trazer esse dinheiro e continuar com nosso rombo fiscal, o Governo insistir em gastar mais do que arrecada.

  Você tem uma dívida no cartão de crédito porque gasta em média todo mês 10% a mais do que ganha.
  Sua dívida acumulada está em 2 mil reais, mas tudo bem, você tem 5 mil na poupança.
  O mais inteligente a fazer é sacar 2 mil reais da poupança, quitar toda sua dívida com o cartão de crédito e parar de gastar 10% a mais que a sua renda.
  Os 5 mil que você tem na poupança foram fruto de boas vendas de grãos e minério de ferro para China em uma situação que dificilmente irá se repetir, é quase como esperar que São Paulo apresente uma temperatura de zero graus, impossível não é, mas pouco provável.

  Onde está o golpe!?

  Porque o Governo não se empenha em fazer as reformas fiscais, trabalhistas, previdenciárias que tem que fazer e insiste apenas em aumentar impostos?
  A resposta é fácil, cortar gastos é impopular, tira votos.
  Uma boa maneira de cortar gastos sem perder votos é dar esse tipo de esclarecimento que eu estou dando a população, mas o Governo prefere promover a ilusão que pode tudo, quer passar uma impressão de onipotência a população, que diga-se de passagem adora um Estado Paizão.

  Claro que os técnicos do governo sabem que se não fizermos reformas urgentes nosso futuro econômico é sombrio, isso é facilmente previsível.
  Acontece que a prioridade desse Governo não é tornar o Brasil uma nação desenvolvida e sim se manter no poder a qualquer preço.
  E como isso será feito?
  Lá pelo segundo semestre de 2017 se apesar de toda manipulação do Congresso através da liberação de verbas parlamentares e distribuição fisiológica de cargos o Governo não conseguir aumentar substantivamente os impostos... ele tem a carta na manga das reservas.
  Dilma traz o dinheiro lá de fora, dá uma aquecida na economia para parecer que 2018 foi o ano da “superação”.
  O eleitor brasileiro que não se interessa por política e economia e só se interessa na possibilidade de conseguir crédito para comprar alguma coisa vai acreditar que o Brasil voltou a crescer e votar no candidato do governo.
  A “crise” não passou de sensacionalismo da “mídia golpista”. [Dirão os esquerdistas]

  Para quem quer realmente o desenvolvimento do Brasil, uma maneira é desde já alertar a população sobre o golpe em andamento.

  Espero que lá em 2017 quando Dilma começar a queimar nossas reservas em uma nova tentativa de maquiar a economia e fazer seu sucessor vendendo ilusões e mentiras o eleitor tenha a ciência que a rainha esta nua...



  Mas não se desespere, um país por pior que seja administrado não some do mapa.
  Veja o caso do Haiti.
  Veja o caso da Ucrânia.

  Veja o caso da Grécia:

  A GRÉCIA ESTÁ NA POSIÇÃO 100 DOS PAÍSES MAIS DIFÍCEIS PARA TOCAR UM NEGÓCIO, LÁ A INTERVENÇÃO ESTATAL É A REGRA: [Brasil está na posição 122]

►Durante anos, e tendo um PIB per capita muito inferior ao da Espanha, o salário mínimo grego era 50% maior que o espanhol.

►Durante a bolha, Atenas nem sequer sabia quantos empregados tinha em sua folha de pagamento.  Os sindicatos estimavam uns 700 mil, enquanto o governo falava de 800 mil.  Porém, se somarmos os contratos temporais, a cifra superou um milhão de pessoas em 2007, equivalente a 10% da população e a quase 20% da força de trabalho do país.

►Somando todos esses extras, os funcionários públicos gregos chegavam a receber, em média, mais de 70 mil euros por ano, enquanto os funcionários públicos alemães recebiam 55 mil euros anuais.

►Adicionalmente, também havia uma pensão vitalícia de 1.000 euros mensais para as filhas solteiras de funcionários públicos falecidos, entre muitos outros privilégios e regalias.

►A Grécia tinha quatro vezes mais professores que a Finlândia, o país que está entre as melhores notas nos exames de PISA que mensuram a qualidade educativa.  No entanto, essa superabundância de professores serviu apenas para jogar o país entre aqueles que têm os piores níveis de ensino da Europa. Muitos gregos que enviavam seus filhos para escolas públicas tinham de contratar professores particulares para reforço.

► Outro dado curioso é que a saúde pública grega era a que mais gastava com provisões e estoques, superando em muito a média da União Europeia.  Mas os gregos não eram mais doentes que o restante da Europa.  Motivo desses gastos? Um dos muitos escândalos que foram descobertos durante os últimos anos era a tradição entre médicos e enfermeiros de sair dos hospitais carregando todos os tipos de materiais higiênicos e sanitários.

    O povo que elege políticos ineficientes não deixa de existir, apenas não vive tão bem quanto poderia viver.

  Quanto pior a qualidade dos políticos eleitos, pior a qualidade de vida.
  Sempre lembrando que nada é perfeito, Canada e Austrália são nações eficientes o que não quer dizer que sejam isentas de problemas.
  É como poder escolher que seu bebê nasça normal, mas preferir que ele nasça com microcefalia.
  A vida continua, mas bem mais difícil, complicada...
  É como poder escolher ser uma Austrália, mas preferir ser um Haiti sem nem ao menos chegar perto do que é uma problemática Grécia.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  “Tem dias que a gente olha pra si e se pergunta se é mesmo isso aí que a gente achou que ia ser quando a gente crescer”
  [Lulu Santos]

  Eu fiz analises políticas e econômica, mas não limite esse texto a isso, escreva seu próprio texto sobre a análise de sua vida.
  Como você está projetando e construindo seu futuro?
  As projeções surgem da análise de fatos, ao observarmos para onde estamos indo podemos alterar alguma variável, mudar a direção ou criar novos fatos.
  Sem planejamento andamos às cegas.
  É como estar em um carro com os vidros todos embaçados, por melhor que seja o carro o desfecho pode ser trágico ou muito abaixo das expectativas.
  Enfim, reserve algum momento do seu dia para fazer análises, projeções, previsões.
  Se sua vida está em um rumo não desejado tente criar um novo fato.
  Namoro, emprego, casamento, amizade, ideologia, religião ... tudo deve ser analisado.
  Poucos sabem como eu da nossa impotência diante de tantas coisas, mas uma pequena mudança de rumo pode trazer um resultado bem melhor para nossa vida.

  Antes de vestir uma opinião analise seus fundamentos, deve ser triste lá no futuro você olhar para o seu passado e perceber que esteve nu na maior parte de sua vida.


Sei lá
Tem dias que a gente olha pra si
E se pergunta se é mesmo isso aí
Que a gente achou que ia ser
Quando a gente crescer
E nossa história de repente ficou
Alguma coisa que alguém inventou
A gente não se reconhece ali
No oposto de um déjà vu

Sei lá
Tem tanta coisa que a gente não diz
E se pergunta se anda feliz
Com o rumo que a vida tomou
No trabalho e no amor
Se a gente é dono do próprio nariz
Ou o espelho é que se transformou
A gente não se reconhece ali
No oposto de um vis a vis

Por isso eu quero mais
Não dá pra ser depois
Do que ficou pra trás

Na hora que já é! ♫♫♫♫♫


Anterior          <>        Próximo 

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Futuro do Capitalismo

   “Deus retribui ao homem de acordo com o que este faz, e lhe dá o que a sua conduta merece.”  [Jó 34:11]

  Os analistas acham pouco provável que ocorra um grande crescimento econômico mundial como ocorreu de 2002 a 2007, eu concordo, mas por motivos muito diferentes do que apontam os analistas.
   Eles em geral acreditam que as nações desenvolvidas estão sendo incompetentes em promover o crescimento.
   Eu defendo que a redução da população nos países desenvolvidos, diminui a atividade econômica, quanto menos gente menor a possibilidade de consumo.

  A diminuição da população da Terra é urgente e necessária precisamos promover e nos adaptar a isso.

  Quanto maior a quantidade de humanos, mais exploramos os recursos naturais desse planeta, claro que isso tende a um limite, é matemática básica.

  Os países desenvolvidos tem consumidores (vamos dizer) de amplo espectro, compram muito e diversificadamente, a diminuição desse tipo de consumidor afeta a economia.

  Os países subdesenvolvidos tem consumidores de baixo espectro.
  O crescimento populacional deles aumenta o consumo de alimentos e outros itens básicos o que não é suficiente para um grande crescimento econômico mundial, mas é o suficiente para consumir muitos recursos do planeta.
  Quanto mais carne é consumida, mais áreas para pecuária são necessárias.
  Quanto mais grãos são consumidos, mais áreas para agricultura são necessárias.
  Consumo de eletricidade, gás, petróleo, moradias, carvão, aço, ferro, madeira ... são itens básicos mesmo nos países mais pobres, tudo isso de alguma forma consome recursos do planeta.

  Vamos relembrar toscamente as duas últimas bolhas.

Antes de 2000 foram as empresas “ponto com” as pessoas apostavam tanto na valorização desse tipo de empresa que começaram a comprar feito loucos as suas ações, se a procura aumenta o preço da ação aumenta.
  Mas quais pessoas compram ações de empresas?
  Investidores de países desenvolvidos, consumidores de amplo espectro.
  Como hoje sabemos, esperamos mais da Internet do que ela poderia nos dar naquele momento.
  O preço das ações caíram e o sonho do lucro fácil acabou.
  Bolsas de Valores despencaram no mundo inteiro.

  A bolha que estourou em 2008 teve início no crédito barato para compra de imóveis nos Estados Unidos, as pessoas apostavam que as casas e apartamentos continuariam valorizando lhes garantindo um bom lucro com aluguéis ou revenda.
  Como sabemos hoje, a oferta de imóveis explodiu o preço despencou, o baixo critério para concessão de créditos fez com que muita gente não tivesse condições de arcar com as prestações.
  Os Bancos ficaram com os famosos créditos podres.
  Quem devia não tinha dinheiro para pagar; os Bancos retomariam os imóveis e venderiam para quem, a que preço?
  A quebra de grandes Bancos com intrincadas conexões globais criou uma bola de neve que afetou o mundo inteiro.
  Quem conhece o tipo de casas que são vendidas nos Estados Unidos sabe que elas em geral são muito superiores as nossas, são casas para consumidores de amplo espectro.

  Você observa que as bolhas se formam e explodem em países desenvolvidos, isso os esquerdistas gostam de alardear.
  Mas o outro lado da moeda é que grandes crescimentos econômicos mundiais também são impulsionados em países desenvolvidos.

  Na minha mente tem o seguinte quadro que aponta para o pequeno crescimento da economia mundial.
  A população consumidora que conta para um grande crescimento econômico mundial está diminuindo.
  E as bolhas que provocam um crescimento irracional por conta do efeito manada ficarão mais difíceis de acontecer.
  Porque?
  Hoje em dia dispomos de uma quantidade brutal de informações.
  O sistema econômico mundial está muito mais precavido quanto a concessão de créditos, não só para pessoas, mas também para países.
  Os indivíduos e as instituições estarão mais cautelosos sobre promessas de lucro fácil.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
   Nessa parte do texto eu vou tratar de um mundo "ideal", suponhamos que nesse ano a humanidade tenha a maior parte dos indivíduos inspirados pela lógica, pela eficiência.

  O que deveríamos fazer?

1 - O crescimento populacional deveria ser desencorajado em qualquer nação.
  Com 7 Bilhões de humanos somos uma verdadeira infestação maligna nesse planeta.
  Claro que não proponho que nos suicidemos, se cada casal tiver no máximo 2 filhos iremos caminhando para uma redução natural.


2 - Os países subdesenvolvidos deveriam abrir mais seus mercados atraindo empresas e trabalhadores dos países desenvolvidos.
  Vou focar no Brasil, mas isso serve para a grande maioria dos países subdesenvolvidos que eu conheço.
  Meu outro escolhido será o Japão, mas vários outros países desenvolvidos cumpririam bem o papel.

  A economia do Japão está “pausada” há anos, porque isso acontece?
  Eles cresceram e se desenvolveram com a própria população até onde foi possível, depois cresceram mais um pouco com a velha fórmula de captar mão de obra estrangeira.
  O Capitalismo foi criando riquezas, as negociações foram acontecendo e a qualidade de vida aumentando.
  A qualidade de vida aumenta basicamente de duas maneiras:

a) Melhora da infraestrutura, água, esgoto saneamento básico, estradas, telefonia ...

  Melhorar a infraestrutura aumenta muito a atividade econômica.
  Asfaltar ruas, construir estradas, metrôs, ferrovias, portos, aeroportos, Universidades ... gera muitos empregos, estimula produção e consumo.
  Se essas obras são feitas de maneira “planejada e honesta” é tudo de bom para qualquer nação.
  Se são obras super faturadas e sem uma utilidade clara só geram endividamento.
  Os brasileiros acreditam que o grande mal de nosso país é a corrupção e realmente ela é algo terrivelmente nefasto, mas nossa maior perda de eficiência é nossa incompetência para administrar e votar.

  Mesmo feito de maneira inteligente e honesta, o grande crescimento proporcionado pela melhora da infraestrutura tem um limite.
  Se você já tem metrôs suficientes não faz sentido construir mais metrôs.
  Se já tem rede de esgoto em 100% das casas não faz sentido construir mais rede de esgoto.
  Pense na sua casa, no começo você gasta bastante dinheiro com reformas, mas depois basicamente é só manutenção.
  Vamos supor que você chegou a ponto de construir uma grande piscina, depois de 5 anos vai construir outra!?
  Vamos supor que a OAS instalou um elevador privativo no seu apartamento, depois de 10 anos ela pode dar uma redecorada, mas construir outro elevador privativo não faz sentido.
  Uma Inglaterra não tem muito o que investir em infraestrutura, é mais manutenção.
  Seu limite para crescer investindo em infraestrutura já foi atingido.

b) Ganho real de salários em função do aumento da produtividade.

   O aumento de salários tem uma consequência inevitável.
   Quando um país progride a ponto de pagar bons salários ele deixa de ser competitivo em relação aos países que pagam baixos salários.
  Porque um investidor constrói uma fábrica na Índia e não no Japão?
  Não é preconceito contra os japoneses que são bons trabalhadores é que na Índia os salários serão menores reduzindo o preço final do produto.
  A Índia não é um bom exemplo porque os caras procriam feito ratos e mão de obra vai ser barata ali por muito tempo.
  A Índia hoje está com as portas abertas para o capital estrangeiro e enquanto ela estiver assim receberá bons investimentos.

  Sei, sei, não é “ético” se aproveitar da cultura ineficiente de um povo para aumentarmos o lucro e diminuirmos o preço do produto.

  Mas antes de condenar os grandes empresários porque você não medita sobre sua própria atitude?
  Suponhamos que você vai comprar um celular.
  O mesmíssimo aparelho na mesma loja tem duas etiquetas de preço.
  Um custa 600 e o outro 800.
  Você pergunta ao vendedor porque a diferença de preço.
  Ele diz que um foi feito na Índia e outro no Japão.
  A diferença do preço é porque os japoneses tem uma qualidade de vida melhor, os salários são maiores e isso reflete no preço do produto.
  Fala sério, você vai comprar o de 800?
  Eu iria comprar o de 600, seria hipócrita se eu dissesse algo diferente.
  Eu tenho comprado produtos made in China porque tem qualidade e são mais baratos.

  Não importa o país não importa a cultura todos querem o melhor e mais barato, os empresários se esforçam para atender esse desejo constante do Mercado que no final das contas é você.

  Se a Índia fosse um país “normal” a população iria reduzir o número de filhos, a qualidade de vida iria subir, os salários aumentariam e lentamente sua economia iria perdendo competitividade.

  É o que está acontecendo na China e que de certa forma aconteceu no Brasil na década de 60.
  O Brasil tinha muita gente no campo e abriu seu mercado para multinacionais que trouxeram muitos empregos e tecnologia, o nosso famoso milagre econômico.
  Daí os militares começaram a fechar a economia em paralelo veio a crise do petróleo e nós só fomos retomar algum rumo em 1994 com algumas privatizações.

  Se continuássemos nosso caminho rumo ao Capitalismo/Liberalismo hoje poderíamos ter nossa economia estagnada, mas com um IDH de Japão.
  Se bem que japoneses tem uma cultura muito diferente da nossa, uma comparação melhor seria a Austrália.
  O Brasil poderia ser a Austrália da América Latina.
  A Austrália é o quarto país com melhor liberdade econômica do mundo.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Se os países desenvolvidos não tem mais como ser a locomotiva econômica do Mundo, qual será o futuro do Capitalismo?

  O melhor caminho é tornar os cidadãos dos países subdesenvolvidos consumidores de amplo espectro.

  Isso já aconteceu no passado.
  A Revolução Industrial aumentou tanto a produção que faltavam consumidores.
  Naqueles tempos havia no mundo todo muitos escravos (no sentido literal) escravos são consumidores de baixíssimo espectro, a solução foi combater a escravidão, cidadãos livres são consumidores de melhor qualidade.

  Nesse século acontece algo semelhante.
  Japoneses tem uma alta capacidade de produção, mas poucos consumidores para o que eles produzem.
  O Japão pode investir em infraestrutura no Brasil e a melhora da qualidade de vida dos brasileiros criaria mercado para os produtos altamente tecnológicos dos Japoneses.
  O enrosco nessa equação não são os Japoneses, mas os brasileiros.
  Somos “escravos” de ideologias ineficientes.

  Se nos recusamos a praticar uma economia de mercado, se demonizamos o capital estrangeiro, se nossos custos de produção são altos em função dos altos impostos e leis trabalhistas cada vez mais protecionistas e inflexíveis ... não tem como os japoneses investirem aqui seguramente.
  Porque construir uma indústria aqui se pode simplesmente emprestar dinheiro para o Governo Brasileiro se endividar cada vez mais e receber juros de 14% ao ano?

  Os ingleses optaram por afundar navios negreiros que vinham para o Brasil, e fomentar movimentos abolicionistas.
  Para os japoneses não tem uma ação clara e permitida nos dias de hoje a fazer.
  É respeitar a soberania do povo brasileiro e ficar na torcida para que seu povo se liberte das ideologias marxistas de 1917.
 
  O futuro da Capitalismo é basicamente esse aí.

  Países liberalistas fazendo acordos comerciais e progredindo lentamente em conjunto.

  Do outro lado estarão países presos a ideais marxistas que ficarão eternamente deitados em berço esplêndido.
  Se tem um território rico em recursos, vai sobrevivendo toscamente.
  Se tem um território não muito rico, veremos cenas de miséria e selvageria.

  Eu acredito que a próxima bolha econômica seja a corrida espacial, mas é impossível dizer quando ela irá acontecer, depende de algum grande avanço cientifico.
  Quem sabe nós brasileiros melhoremos nossa cultura e sejamos integrantes da próxima bolha e não meros expectadores do que acontece nos povos mais desenvolvidos.

  O Capitalismo retribui a nação de acordo com o que o povo faz, e lhe dá o que a sua conduta merece.
  Fora do Capitalismo e da Democracia não há grande evolução.
[William Robson]




Textos Complementares:

   Então temos esse problema da concentração de renda.
  Nesse momento para esse texto fazer sentido você tem que saber que concentrar renda é característica de todo sistema econômico que “eu” conheço.
  Em todos os impérios, monarquias, teocracias, nas mais diversas formas de administração sempre ocorreu concentração de renda.
  O que você vê em filmes sobre reis e rainhas cercados de camponeses pobres é bem real.
  Quer falar da Bíblia? Tudo bem.
  Qual a diferença de renda de um Rei Salomão e um camponês de Israel? [Concentração de Renda]
▬▬▬//▬▬▬

  Uma coisa muito boa que o Governo FHC deixou foi a regulamentação do PLR, esse instrumento seria muito melhor para distribuição de renda que o Bolsa Escola, não estou dizendo para acabar com o Bolsa Escola, estou dizendo que o PLR é mais eficiente para a distribuição de renda, deveria ser prioridade do Governo e das Empresas.

  A adoção do PLR em todos os países Capitalistas seria a maior evolução desse sistema de todos os tempos.



Anterior          <>        Próximo