segunda-feira, 27 de junho de 2016

Encher de Fantasias

  “Por vezes a beleza é um canto de sereia que nos arrasta para a insensatez”
[William Robson]

Meu pai um dia me falou pra que eu nunca mentisse
Mas ele também se esqueceu de me dizer a verdade
Da realidade do mundo que eu ia saber
Dos traumas que a gente só sente depois de crescer

Minha mulher em certa noite ao ver meu sono estremecido
Falou que os pesadelos são algum problema adormecido
Durante o dia a gente tenta com sorrisos disfarçar
Alguma coisa que na alma conseguimos sufocar

Meu pai tentou encher de fantasia e enfeitar as coisas que eu via
Mas aqueles anjos agora já se foram depois que eu cresci
Da minha infância agora tão distante aqueles anjos no tempo eu perdi
Meu pai sentia o que eu sinto agora depois que cresci
Agora eu sei o que meu pai queria me esconder
Às vezes as mentiras também ajudam a viver

Talvez um dia pro meu filho eu também tenha que mentir
Pra enfeitar os caminhos que ele um dia vai seguir
Meu pai tentou encher de fantasia e enfeitar as coisas que eu via
Mas aqueles anjos agora já se foram depois que eu cresci.

  Meu pai tentou me encher de fantasias e enfeitar as coisas que eu via.

  Acho essa música do Roberto muito bonita, mas muito antes de ser pai eu já a via como um paradoxo futuro em minha vida.
  Eu acho bonito um pai enfeitar a vida de seu filho com ilusões/fantasias, mas eu nunca seria esse tipo de pai.
  Por vezes a beleza é como aquelas frutas feitas de plástico.
  Na hora da fome é melhor a fruta real mesmo que não esteja nas melhores condições.
  A fruta de plástico só enfeita a paisagem não sustenta o corpo.

  Vou tentar dar um exemplo.
  Seu pai morre e você enfeita o acontecimento para seu filho, diz que o avô dele foi para um lugar melhor, que está com anjinhos no céu...
  É uma cena bonita, comovente.

  Eu nunca disse coisas assim a minhas filhas.
  Nunca passei nenhuma fantasia a elas com relação a morte ou qualquer outra coisa.
  Nunca disse que Papai Noel existia, sempre ficou bem claro que eu e minha esposa comprávamos os brinquedos.
  Nunca amedrontei minhas filhas com o homem do saco que pega crianças.
  Nem com crendices de espelho quebrado ou sapatos virados.

  Crianças naturalmente fantasiam as coisas tem a imaginação fértil, não precisam que ampliemos esse processo.

  NÃO, eu não fui aquele pai chato que cortava a brincadeira das meninas.
  Apenas “se perguntado” eu prefiro falar a verdade, se não sei digo que não sei.
  Veja o caso da morte, porque minhas filhas não podem entender o ciclo da vida desde cedo?
  Nascemos, vivemos e morremos.

  Quem definiu que é melhor enchermos desde cedo nossas crianças com mentiras?

  Sempre fui bem realista com minhas filhas, elas conhecendo a realidade desde cedo ameniza decepções, espero que elas estejam vacinadas por toda vida.
   Minha esposa voltou a trabalhar após a licença maternidade, minha cunhada cuidou de cada uma das meninas até uns 2 anos de idade.
  Elas já tinham algum entendimento e falei para elas da importância de ir para escolinha.
  Falava que para nós termos boas coisas em casa papai e mamãe precisavam trabalhar e a parte delas era se comportar direito na escolinha era o “trabalho” delas.
  Na primeira semana foi aquela choradeira das meninas e da minha esposa, é sempre difícil para uma mãe deixar as crianças na creche.
  Mas na segunda semana tudo já estava bem ajustado.
  Eu e minha esposa fazíamos nossa parte e as crianças as delas.
  Acordavam no horário e cumpriam seus compromissos.

  E aqui amarramos essa sequência ao texto anterior.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  A “Escola Piaget” crítica sobretudo o ensino “tradicional” onde o professor dita e o aluno copia e repete.
  Na medida em que critica essa educação tradicional, Piaget é interpretado por muitos como "espontaneísta".
 Digamos que na escola tradicional o professor ensina o aluno aprende.
  Na “Nova Escola Espontaneísta” o professor NÃO ensina, ele cria condições para que a criança aprenda por si mesma.

  Eu defendo que a criança tem que saber que a escola não tem que ser divertida, a escola é um compromisso sério com o futuro da criança, é uma realidade que desde cedo precisa ser introduzida.
  O espontaneísmo prega que o professor deve desenvolver meios para que a criança aprenda por ela mesma.
  Eu acho uma teoria bonita [Canto de Sereia], romântica, mas pouco eficiente no ensino fundamental.

  Como é possível tornar a matemática tão agradável a todos de forma que a criança aprenda brincando?
  Sei lá, isso pode até ser feito pelos pais em casa, mas no ensino fundamental acho que a educação não tem como ser tão...artesanal.
  Prefiro a escola tradicional.
  Não vejo decorar tabuada como algo que prejudique a criança.
  Nem todos tem dom para a matemática assim como nem todos tem dom para pintura ou música.
  Acontece que conhecer o básico de matemática é importante mesmo para o pintor e o musico.

  O ensino fundamental deve ser uma base para que a criança tenha condições de optar por coisas que lhe agradem.

  No segundo grau ela poderia montar sua grade disciplinar, mas no ensino fundamental tem que ser “linha de montagem”, transmitir conhecimentos básicos sem viés ideológico de nenhum tipo.
 Quanto é 9 X 9?
 81
 Quanto é 5 X 7?
 35

  Sabem que eu nem penso nesses resultados, eles vem automaticamente em minha mente, consequência de muita repetição.
  Imaginem o tempo economizado.
  Foi divertido fazer lição de casa?
  Não.
  Foi divertido dominar esses cálculos para prova?
  Não.
  Mas eu sempre tive consciência que adquirir conhecimento seria bom para minha vida adulta.

  Não defendo que a escola deva ser um campo de concentração, mas não vejo como pode ser um campo de diversão.

  A escola deve ser o primeiro compromisso sério do indivíduo.
  Brincadeira fica para antes ou depois da aula, devemos conscientizar nossas crianças que estudo é coisa séria.

  Você trabalha porque gosta?
  Pode até ser, mas em geral trabalhamos porque precisamos.

  Pelo menos no ensino fundamental, a base do conhecimento humano, a criança tem que fazer porque precisa.

  O que eu considero básico?
  Ler e escrever bem, isso exige muita repetição.
  Não defendo como importante a “gramática profunda” tão chata e tão exigida por nossos educadores.
  Meu lema é menos gramática e mais interpretação de texto.
  Não sei qual a importância de saber a sílaba tônica ou o adjunto adverbial de lugar, deixemos isso para quem desejar no futuro se desenvolver no estudo do idioma.
  Ler bem/interpretar textos é fundamental para adquirirmos novos conhecimentos.

  Matemática seguiria a mesma linha.
  Dominar de cor e salteado as operações básicas, repeti-las a exaustão.
  No ensino fundamental nada daquela álgebra pra lá de complicada.
  No futuro se o aluno tiver aptidão matemática poderá se aprofundar optando por uma profissão na área de “exatas”.
  Ciências, geografia, história, geometria...
  Enfim, definiríamos um currículo que serviria de base para o indivíduo optar por coisas de seu interesse.

  O espontaneísmo vem da constatação que aprendemos melhor o que aprendemos brincando.
  Acontece que a vida não é brincadeira, logo não dá para todo aprendizado ser prazeroso.

  Não adianta fantasiar que a vida é uma festa, viver não é brincadeira.
  Por cerca de 4 horas defendo que a criança deva ser introduzida nessa parte séria da vida, que ela desenvolva responsabilidade e aprenda a importância de adquirir conhecimento nem que seja o básico
  Sou a favor até de separar meninas e meninos.

  O espontaneísmo pode ter espaço em alguma atividade extra escolar.
  Não sou radicalmente contra o espontaneísmo apenas defendo que a base da escolarização deve ser a linha tradicional.
  Sabiam que no Japão os livros de matemática são os mesmo há mais de 100 anos?

  Enfim, precisamos resgatar a disciplina na sala de aula.
  Chega de colocar em nossas crianças a fantasia que elas podem aprender tudo com prazer, que o professor tenha que preparar uma aula que se adapte a cada indivíduo.
  Sempre passei a minhas filhas que são elas que devem se adaptar ao ambiente escolar.
  É a qualidade de vida futura delas que está em jogo e não a do professor.
  Minhas filhas podem contar com o apoio da família e da escola, mas as principais responsáveis pela vida delas são elas mesmas, essa é a realidade.

  “Apenas quando somos instruídos pela realidade é que podemos mudá-la.”
[Bertolt Brecht]

  Minha ressalva a esse pensamento é que a realidade muitas vezes não pode ser mudada.
  No caso desse texto ... aprender tudo com prazer considero uma utopia (sonho impossível).
  Mesmo que você goste muito de mecânica ou medicina sempre haverá matérias ou situações que você gostaria de pular, mas não pode.

  E também ...

  ANTES DE QUERER MUDAR A REALIDADE SE PERGUNTE SE VAI FICAR MELHOR.

  Na realidade as pessoas que mais querem e constroem uma boa qualidade de vida para os filhos são os pais.
  Você acha bom mudarmos essa realidade e transferir a responsabilidade para o Estado?


  “Decifra-me ou te Devoro!”







▬▬▬//▬▬▬
William Robson vs Paulo Freire 

  “Ensinar NÃO É transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção.”
[Paulo Freire]
▬▬▬▬▬▬▬▬

  Não vejo necessidade da Escola ter “ideologia”, “formar cidadãos”.
  Me basta que ela TRANSFIRA CONHECIMENTOS.
[William Robson]

  Ensine matemática, química, física, português, geografia... transmita CONHECIMENTO.

  Escolarizar é com a Escola, Educar é com a Família.

   Se sou judeu não me interessa que a escola passe valores cristãos ou de qualquer outra religião.
  Se sou ateu não me interessa que a Escola passe valores de qualquer espiritualidade.
  Se sou hétero não me interessa que a escola induza meu filho ao homossexualismo.
  Se sou marxista não me interessa que a escola passe valores capitalistas.

  Enfim, cada pai que passe para seu filho os valores que acredite.
  E depois os filhos que façam suas próprias escolhas.

  A escola deve ser o mais neutra possível, deve focar em ESCOLARIZAR.

___________________________



Anterior          <>        Próximo 

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Jean Piaget

  “Caminhamos a passos largos para o Comunismo.”
   [Comentarista no G+]    

  Não acho eficiente esse exagero das pessoas.
  Embora a maioria dos partidos no Brasil tenham um viés esquerdista nossa cultura chegou a um ponto que fica incompatível com o Regime Comunista.
  O mais perto que chegamos foi quando João Goulart assumiu a Presidência.
 
  Somos capitalistas e vamos permanecer capitalistas acontece que com tantos ideais marxistas/socialista contaminando nossa sociedade praticamos um capitalismo capenga, de má qualidade.
  O Governo militar que sucedeu Goulart foi basicamente um Governo de Esquerda com intervenção desmedida do Estado na economia.
  Como se não bastasse o modelo estatizante imposto pelos militares os que tentavam derrubar o militarismo queriam ainda mais Estado!
  Tentaram através da guerrilha nos aproximar da URSS e transformar o Brasil em uma grande Cuba, fracassada essa tentativa se voltaram para nossas crianças.

  Se o método rápido Guevara de implantar o Comunismo pela força não deu certo ainda restava o lento método Gramsci implantar o Comunismo pela educação/cultura


 
 Não sei dizer se nosso método de ensino com fundo marxista é fruto das idéias circulantes na década de 60 ou se por planejamento de algum grupo marxista nosso método de ensino caminhou para essa ideologia.

  O fato é que Jean Piaget e Paulo Freire tornaram-se ícones de nossos métodos de ensino.

Adquira Conhecimento:

  Na educação, enquanto pedagogista, Piaget utiliza sua “teoria dos “estágios” para contrapor o ensino tradicional, autoritário, herdado do século XIX.
  A “Escola Piaget” crítica sobretudo o ensino “tradicional” onde o professor dita e o aluno copia e repete.
  Na medida em que critica essa educação tradicional, Piaget é interpretado por muitos como "espontaneísta".
  O que é isso?
  Não é fácil explicar em poucas palavras, precisa de um grande conhecimento teórico.
  Digamos que na escola tradicional o professor ensina o aluno aprende.
  Suponhamos, eu sou professor e sei que a definição de ilha é:
  Uma porção de terra cercada de agua por todos os lados ... menos em cima
   Eu escrevo na lousa, ou mostro no livro, ou dito para você escrever.
  Eu ensino, você aprende ou ... decora para prova.
 
  O espontaneísmo é fundamentado na observação que aprendemos melhor o que aprendemos com prazer, brincando.
  Então eu professor não lhe dou mais a resposta pronta, não lhe apresento o consenso do conhecimento humano sobre uma definição de ilha.
  Através de atividades variadas, se possível até visitando uma ilha, você chegará na sua própria definição do que seja ilha.

  Entenda que o método tradicional é rápido, barato e objetivo.
  O espontaneísta é ... complicado, subjetivo.

  Em uma sala com trinta crianças pelo método tradicional em poucos minutos você transmite o conhecimento essencial/básico do que a criança deve entender como ilha.
  A maioria não vai se interessar muito mais por esse tema e os que se interessarem podem fazer isso pesquisando em livros/internet.

  Pelo método espontaneísta, como evitamos definir o que é ilha, precisamos incentivar que a criança descubra espontaneamente, aprenda por si mesma, não queremos que ela seja um “robozinho repetindo conceitos”

  Digamos que na “Nova Escola Espontaneísta”:
  O professor NÃO ensina, ele cria condições para que a criança aprenda por si mesma.

  Já sabemos que o prazer é algo muito particular/individual.
  Como descobrir o que dá prazer a cada um dos 30 indivíduos?
  Fazer uma ilha com massinhas pode ser muito divertido para algumas crianças e um tédio para outras.
 
  De qualquer forma o que na escola tradicional você ensina em poucos minutos na “nova escola” pode demorar uma ou duas aulas para que a criança viva a experiência do que seja uma ilha...  
 Convenhamos, entender o que é uma ilha é algo tão importante que vai mudar sua vida!?

IMPORTANTE:
  Se você ler sobre Jean Piaget verá que ele não era tão adepto do espontaneísmo, mas em países como o Brasil ... espontaneísmo e Piaget viraram quase sinônimos.

   Isso se refletiu em uma perda de autoridade do professor em sala de aula.
  Não tem uma padronização do método de ensino.
  Cada aula tem que ser diferente então o professor perde um enorme tempo “preparando a aula”.
  Mas como nossos professores idolatram “o que acreditam que sabem” sobre Piaget ... a falha em nossa escolarização não está nos professores e muito menos em Piaget, está no pai, mãe, família ... nada mais freudiano

  O que acontece no Brasil é algo surreal, construímos o pior dos mundos na educação.
  Explico.
  Nos países Comunista/Socialistas vemos a escola tradicional, o professor ensina o aluno aprende.
  Os Comunista acrescentaram a doutrinação ideológica.
  Logo, as crianças comunistas tem uma escolarização eficiente e crescem adorando um pai da Pátria Marxistas/Estatizante.

  Aqui no Brasil temos a nova escola espontaneísta e acrescentamos a doutrinação marxista, esperamos tudo do Deus Estado.
  Nossa sorte é que não chegamos a ter um “pai da pátria”, mas Lula no segundo mandato chegou bem perto disso.
  O resultado é que temos uma péssima escolarização e um capitalismo capenga.

  Hoje em dia alunos invadem escolas e querem falar de homossexualismo, racismo, sexissismo, anular gêneros, Universidade gratuita, transporte gratuito, opressão da mídia, imperialismo americano, não a mercantilização, não a globalização...

  Eu não sei como alguém pode se posicionar de maneira consciente sobre temas complexos se não domina nem conceitos básicos.

  Fala em economia, mas não domina matemática básica.
  Critica a imprensa, mas não consegue interpretar textos.
  Quer falar de sexo, mas não domina conceitos básicos de biologia.
  Quer falar de imperialismo, mas não conhece história...

  Recentemente o Senador Lindbergh disse que o neoliberalismo começou na China com Pinochet.

  O cidadão foi líder da UNE (União Nacional dos Estudantes), confundiu China com Chile?
  Pode ser.

  Confundiu Pinochet com Deng Xiaoping?

  De qualquer forma vamos considerar que Lindbergh sofreu uma falha de memória e ignorar que talvez seu conhecimento de história seja patético.

  Mesmo assim o que ele chama de “neoliberalismo” fez muito bem tanto para China quanto para o Chile.

  Mas em uma coisa eu dou razão ao Senador, um partido com programa Liberal ou “neoliberal” como ele gosta de dizer, não se elegeria nas últimas eleições ... quem sabe na próxima graças à Internet.

  O Gramscismo foi implantado muito eficientemente no Brasil e toda América Latina.
  Demonizamos empresas, Estados Unidos, Capitalismo, responsabilidade individual...
  Queremos um Estado Paizão e acreditamos que podemos ter tudo do bom e do melhor de graça e pagando baixos impostos.
  Ganha o político que mentir melhor... prometendo o impossível.

  “O que os governos latino-americanos desejam é um Capitalismo sem lucros, um Socialismo sem disciplina e investimento sem investidores estrangeiros.” 
[Roberto Campos]

  Na maior parte da América Latina os Governos são eleitos pelo voto, logo, não existe povo inocente.

  O Governo é o reflexo do povo que o elege.

  Se temos muitos corruptos e socialistas ... nosso povo/cultura precisa mudar.

  Essa lógica entra em sua mente?




To be continued...


Anterior          <>        Próximo 

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Empresa Estatal vs Empresa Particular

  O brasileiro tem a percepção que o Governo é um bom empregador e a iniciativa privada uma exploradora.

  O que observo é que a grande maioria dos trabalhadores garantem “condições especiais” a servidores públicos sem ter nada que justifique essa atitude ... é mais uma falha da nosso cultura.
  “Na Câmara Municipal de São Paulo, técnicos administrativos, garagistas, auxiliares e assistentes ganham até R$ 24 mil brutos por mês.
  O salário médio é de R$ 8,9 mil por mês, sem contar gratificações pagas a guardas civis e policiais militares da Casa com vencimento mensal bruto de R$ 9.288,05. (Ano 2012)
  Um manobristas da garagem, ganha R$ 11.431,45.” [Rede TV/UOL]
  Quando o trabalhador da iniciativa privada conhece as condições de trabalho em alguma Estatal fica maravilhado.
  Geralmente para mesma função os salários e benefícios são bem maiores, ainda tem a desejada estabilidade, você sai se quiser ou aprontar algo gravíssimo.
  Por isso os concursos públicos são tão concorridos.

  Logo, o brasileiro tem a percepção que o Governo é um bom empregador e a iniciativa privada uma exploradora.

  Todos querem as condições de trabalho oferecidas pelo Estado então quanto mais estatais melhor. Certo?
  Errado, muito errado.
  Os administradores das estatais não se interessam em eficiência se interessam pela política.
  É a política que os coloca nos altos cargos não o mérito ou a competência.
  O administrador tem que ficar na boa com o político que pode lhe indicar e com os subordinados.
  Como vimos no texto anterior funcionários públicos e seus sindicatos são super poderosos o controle efetivo sobre eles é mínimo.
  O administrador ocupa o cargo por indicação política do primeiro escalão, mas nos outros escalões há outras indicações políticas e se o administrador não satisfazer minimamente a todos ele fica vulnerável.
  Vamos esquecer todas as maracutaias possíveis em licitações e contratos vamos nos concentrar em salários.
  Para satisfazer a todos o administrador paga o máximo de salários possível sempre encosta no teto.
  Porque?
  O dinheiro não é dele é dos impostos.

  Suponhamos que você tenha uma empregada em casa e de acordo com sua renda de vereador você possa pagar 1 mil reais a ela.
  É o que você faz, se ela quiser ganhar 1,5 mil reais não cabe no seu orçamento então você terá que demiti-la ou contratar outra que aceite o que você pode pagar.
  Mas e se essa empregada for paga pela Prefeitura da sua cidade?
  É só coloca-la como funcionaria comissionada.
  A situação muda de figura.
  Você dá o aumento, não vai sair do seu bolso e fica na boa com a empregada.

  Mais ainda, você é vereador e ganha 10 mil, mas as leis do país permitem que você ganhe 15 mil, qual de nós iria ignorar essa lei?
  Eu não iria. [Profissão de Fé]

  Fica claro que em Estatais os interesses políticos vem em primeiro lugar de uma maneira inevitável.
  Por isso nações mais eficientes privatizam o máximo que podem e focam a atenção nas poucas Estatais que sobram por necessidade ou “tradição”.
  "Margaret Thatcher privatizou muitas empresas na Inglaterra, mas não tocou na estatal de serviços postais que tem como logotipo a coroa da Rainha" [Diário do Comércio]
  De qualquer forma sobram menos empresas para o contribuinte acompanhar de perto a administração.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Por vezes vejo pessoas elogiarem os grandes feitos da Petrobras, Eletrobrás, Banco do Brasil, Caixa Econômica, Correios...

  É evidente que a estatal tem que funcionar ela não pode perder a razão de ser.
  Se a Petrobrás não produzir petróleo, qual a razão de existir!?
  Se a Eletrobrás não produzir eletricidade, qual a razão de existir?

  Se a Caixa não financiar nem imóveis para pessoas de baixa renda, qual a razão dela existir?
  A Caixa já fica com nosso FGTS pagando rendimentos abaixo da inflação 😲!

   A Estatal funciona e até realiza grandes feitos, mas com tanta política no meio a eficiência de uma Estatal dificilmente se compara a de uma empresa particular.

  Quanto mais Estatais menor e eficiência e menor eficiência se traduz em menor produção de riqueza

  “Produção de riqueza” esse é o nosso X da questão.

  Se você olhar para países que estatizaram bastante a economia não verá autos salários a não ser na elite do partido comunista.

  “O governo cubano reconhece que os salários baixos são um problema "geral" na ilha, mas enfatiza que os cubanos não pagam por serviços básicos como saúde e educação, enquanto muitos outros têm preços subsidiados.” [UOL]

   Por outro lado:

  “Fortuna de Fidel Castro supera de algumas realezas, segundo Forbes”
 
  Fidel paga bem também para os generais que cuidam da sua proteção.
  Fora a cúpula do partido, os cubanos em geral não tem muito o que comemorar.
  Não passam fome, não falta moradia, tem bom nível educacional, bom acesso a saúde ... para os que gostam de uma vida “franciscana” é o paraíso.
  Prefiro que a vida franciscana seja uma opção não uma imposição de algum sistema.
  Eu sou pobre, tenho acesso a tudo que os cubanos tem e muito mais.
  Não me vejo como uma grande exceção entre os brasileiros.
  Em reportagens vemos regiões de muita pobreza em nosso país e claro que elas tem que ser mostradas, mas você sabia que apenas 6% da nossa população mora em favelas e que nem todos que moram em favelas vivem na extrema pobreza?

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Voltando a essência dessa meditação...

  Fica fácil concluir que quem banca a festa nas estatais é a iniciativa privada que paga doses cavalares de impostos.

  Me parece obvio que o objetivo de qualquer nação que pretenda a eficiência deve ser privatizar ao máximo a economia.
  O Estado deve focar em saúde, segurança educação ... eu acrescentaria fiscalização do Mercado.

  Essas áreas de atuação do Estado demandam muita gente então mesmo que o Brasil foque em áreas essenciais ainda assim teremos um contingente enorme de funcionários públicos.
  Não basta privatizar temos que acabar com a cultura de privilegiar servidores públicos em detrimento dos demais trabalhadores.

  Vamos a uma ilustração
  O prefeito da sua cidade gasta 1 milhão com merenda escolar por mês.
  É bastante dinheiro, mas se na sua cidade tem muitas escolas e crianças não é um número que a princípio chame atenção.
  No entanto você pega uma planilha de custo da prefeitura e vê que o leite que você paga 2,50 no mercado a prefeitura está pagando 4 reais.
  Caraca!
  Como a prefeitura compra em grande quantidade seria esperado até algum desconto, pagaria alguns centavos a menos do que você paga no supermercado.
  É natural que você fique indignado se sinta roubado.

  Vamos para outra situação
  A secretária administrativa de uma escola particular ganha 2500.
  A secretária administrativa da escola pública ganha 4000.
  Porque sua indignação não acontece!?

  Salários serem diferenciados por qualidade, produtividade eu entendo, mas a pessoa ganhar mais só por trabalhar para o Governo ... não entra na minha cabeça.

  Uma colega (Islaine) me perguntou:

  “Se não tiver uma grande vantagem porque que eu vou prestar concurso?”

  Em primeiro lugar se o Estado pagasse igual a iniciativa privada os concursos não seriam tão concorridos
  Você iria trabalhar para o Banco do Brasil em condições semelhantes ao trabalho no Bradesco, o importante para você seria estar empregado sem deixar de buscar melhores condições de trabalho e salários é evidente.

  A utilidade dos concursos seria de diretores/políticos  NÃO tomarem posse de uma empresa que é pública.

  Explico.
  Suponhamos que eu seja diretor do hospital Mário Gatti e tenha poder para contratar quem eu bem entender, na pratica eu viro dono da empresa.
  Sem licitações para fornecedores ou concursos públicos para funcionários eu mando e desmando, viro o Rei do pedaço com poderes quase absolutos.

  Todo cidadão deve ter igualdade de condições para ingressar em uma empresa pública e o único jeito de garantir isso é com a realização de concursos.

  O “Dono” do Bradesco contrata quem ele quiser, a empresa é dele.
  O BNDES é uma empresa estatal não podemos permitir que alguém tome posse como se fosse dono.

  "BNDES empresta 102 Milhões de maneira irregular a amigo de Lula." [Folha/UOL]
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Não é possível que continuemos a ter duas classes de trabalhadores onde o servidor público seja muito melhor tratado que todos os outros.

  Não proponho mudanças radicais não gosto de revoluções.
  Nesse momento o mais importante é que percebamos a imbecilidade da situação.
  Você servidor que vive a festa continue com seus direitos adquiridos, não estou propondo mudar as regras do jogo para quem já está em campo.
  Eu mesmo, depois de toda luta para entrar não quero perder meus benefícios.

  Eu joguei pelas regras e quero que elas sejam respeitadas.

  Precisamos mudar as regras para novos contratados.
  Uma legislação que obrigue o Estado a pagar salários de acordo com o mercado.
  Mas cabe aqui uma observação.
  Se mudarmos apenas as novas contratações em bases mais racionais só vamos ter alguma melhora daqui a décadas, precisamos de ações mais urgentes.
  Privatizar o que for possível é uma medida de efeito rápido.
  O serviço público já está bastante terceirizado e deve continuar assim.
  Todas as Estatais poderiam terceirizar até 50% da mão de obra.

  Sei, sei, você está achando que eu caí em contradição separando trabalhadores em duas classes distintas.
  Essa seria uma medida de transição para aliviar nossos problemas atuais.
  Sem mexer com quem já está em campo, terceirizar, é um jeito de garantir o serviço sem redução de pessoal.
  Lembre-se que os novos servidores serão contratados com salários e benefícios a nível de mercado.
  No futuro os terceirizados seriam substituídos por concursados, mas com salários e benefícios como qualquer outro trabalhador.

  IMPORTANTE:
  Entenda que a terceirização no serviço público dá brecha a enormes falcatruas.
  A terceirizada que quiser participar pode ter que pagar propina ou ser empresa de fachada de “interesses políticos”.
  Sabe aquele prefeito que contrata a empreiteira do irmão, amigo ou dele mesmo, mas o próprio nome fica oculto...

  Fica claro que em se tratando de Estatais devemos ficar atentos a qualquer irregularidade.
  E se as Estatais não forem muitas fica mais fácil manter a transparência.
 
 “A diferença entre a empresa particular e a Estatal é que a particular é controlada pelo Governo, e a Estatal por ninguém.”
[Roberto Campos]

 Precisamos mudar isso!



Texto Complementar:  Por esses dias foi me dito que a “prova” que o Governo é melhor empregador é que todos querem trabalhar nele por suas condições de trabalho.
  O local não era adequado para o debate e preferi ficar em silêncio.
  Mas entenda que essas condições melhores são bancadas pelos impostos que recolhem da iniciativa privada.
  Se todas as empresas fossem estatais sem dúvida os salários seriam achatados e as condições de trabalho não seriam tão boas.
  Nos países comunistas como não tem empresas privadas para serem “vampirizadas” todos são funcionários do Estado e você não vê excelentes salários e condições de trabalho a não ser para a elite política.
  Muito do dinheiro que entra em Cuba vem de cubanos morando em países Capitalistas...eles mandam dinheiro para os parentes que ficaram em Cuba.
  A “exportação de médicos” para outros países lhes rendem um bom dinheiro.

  Entendam que os médicos cubanos que trabalham no Brasil são pagos com nossos impostos, não considero forçar a barra dizer que nossa iniciativa privada é vampirizada indiretamente por Cuba no programa mais médicos. [ kim-jong na USP]


Anterior          <>        Próximo 

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Inimigo “Publico”

  Não se iludam, vocês trabalhadores comuns são reféns de nós trabalhadores diferenciados.

Esquerda vs Direita

  Estou animado com a atual “guerra civil” no Brasil.

  De um lado temos a Esquerda que é hegemônica desde ... sempre.

  O "udenismo" caracterizou-se pela defesa do liberalismo clássico e da moralidade, e pela forte oposição ao populismo.
  Além disso, algumas de suas bandeiras eram a abertura econômica para o capital estrangeiro e a valorização da educação pública
  Concorreu às eleições presidenciais de 1945, 1950, e de 1955 postulando o brigadeiro Eduardo Gomes nas duas primeiras e o general Juarez Távora na última, perdendo nas três ocasiões
  Como todos os demais partidos, a UDN foi extinta pelo governo militar que assumiu o poder em 1964, através do Ato Institucional Número Dois. [Wikipédia]

  Os militares nos livraram de males maiores.
  Jânio Quadros queria ser um “ditador democrático” como foi Getúlio no Brasil e Peron na Argentina (Lula também tentou isso).
  João Goulart quis aproveitar o fracasso de Jânio para implantar o Comunismo, se ligar a URSS.
  Como o Brasil tinha uma direita forte os cidadãos resolveram se proteger de Goulart junto aos militares, que já tinham nos protegido de Jânio.
  É evidente que Jânio e Goulart contavam com grande apoio da população, a sociedade estava dividida e o fiel da balança sem dúvida foram os militares.
  O problema é que os Liberais (A Direita) esperavam que os militares intervissem por no máximo 2 anos, até as próximas eleições democráticas... o que obviamente não aconteceu.
  O mais triste é que os militares estatizaram tanto a economia quanto os Comunistas fariam.
  Os militares não nos levaram para a URSS, mas também não nos aproximaram do USA e outras nações ocidentais desenvolvidas, os militares fecharam nosso mercado nos levando a um isolamento econômico.
  Fica claro que o milagre econômico da década de 70 foi fruto de algum liberalismo depois do fim da Segunda Guerra.
  A Direita plantou, os militares estatizadores colheram, até falir o país.
  Muito parecido com o que ocorreu recentemente.
  FHC introduziu algum Liberalismo de 1994 a 2002 principalmente desestatizando um pouco a economia, o PT colheu os frutos até falir o Brasil.

  Os militares demoraram 20 anos para acabar com o sopro saudável do liberalismo, os petistas conseguiram em 13 anos “energizados” pela corrupção desmedida.
  Infelizmente a Direita nunca esteve no poder, por isso continuamos subdesenvolvidos.
  No Brasil só tivemos esquerdismo, militarismo e populismo.
  Depende de você voarmos como águias e abandonarmos os voos de galinha.

  Do outro lado temos o ressurgimento da Direita que turbinada pela Internet pode vir a ser hegemônica e levar o Brasil para o primeiro mundo.

  Esse texto é para você decidir de qual lado irá ficar.
  Eliminemos desse texto desde já os extremistas de Direita ou Esquerda.
  Comunismo/Marxismo 100% é uma utopia altamente destrutiva.
  Liberalismo/Capitalismo 100% é uma utopia altamente destrutiva.

  Eu sou de Direita uns 80%, logo me considero centro direita, mas na banda mais alta.
  Longe do extremismo de Direita e mais longe ainda da Esquerda.

  Pela enésima vez entenda que:
  Esquerda: Meios de produção nas mãos do Estado, intervenção máxima desse na economia.
  Direita: Meios de produção nas mãos do cidadão, intervenção mínima do Estado na economia.

  Existe um índice que mede o grau de Liberalismo ou Comunismo de várias nações.

 Index of Economic Freedom (Índice de Liberdade Econômica) avalia o grau de liberdade econômica de 178 países.
   São consideradas dez categorias de liberdade econômica na pesquisa: nos negócios; no comércio; liberdade fiscal; de intervenção do governo; monetária; de investimentos; financeira; de corrupção; do trabalho; e direitos de propriedade. [Wikipédia]

  A Cultura Latina privilegia o Estado Paizão, o Estado provedor de tudo, isso explica a hegemonia do Socialismo e nosso subdesenvolvimento.
  Um país latino que desafia a cultura latina é o Chile, vamos analisar esse fenômeno.

  O Chile está entre os 7 países mais Liberais do Mundo.
  Estados unidos é o 12
  O Brasil é o 118

  Incluí os Estados Unidos porque não gosto de comparar pequenas populações com grandes populações.
  Chile ►   18 127 498 de habitantes.
  Brasil►  209 652 607
  USA  ►  324 059 200

  Temos um outro índice interessante para nossa Filosofia Matemática.
  IDH – Índice de Desenvolvimento Humano, basicamente mede a qualidade de vida, expectativa de vida, qualidade da saúde, educação e segurança.

USA   ►   8
Chile   ► 42
Brasil ► 75

  A Filosofia Matemática nos sugere que o Liberalismo Econômico é muito mais eficiente na melhora da qualidade de vida.
  Mas não se iludam que basta uma guinada a Direita para tudo melhorar no Brasil.
  A guinada à direita precisa de uma guinada CULTURAL.
  A melhora da qualidade de vida vai muito além do sistema econômico adotado.
  O Chile é bastante capitalista, mas não escapa da nosso Cultura Latina.
  O Liberalismo indiscutivelmente deve ser a base, mas e depois?
  Aqui começa a Terapia da Lógica...
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Nós brasileiros (Latinos em geral) temos culturalmente 3 tumores malignos.

Empresários que querem viver de financiamentos do Governo/Sociedade.

  Vou separar apenas 3 empresas para não complicar o raciocínio:

Contribuição campanha 2010 para Dilma:
Itaú 4 Milhões
Votorantin 1,46 Milhão
Hypermarcas 1,34 milhão

Contribuição campanha 2010 para José Serra:
Itaú 4 Milhões
Votorantin 1,63 Milhão
Hypermarcas 1,5 milhão

  Caraca! Qual a ideologia do Itaú para economia do país!?
  A diferença na contribuição das outra empresas é irrisória e nem sabemos o que foi para o caixa 2...
  Os empresários chutam para todos os lados, na dúvida apostam em todos os cavalos (candidatos) que tenham chance de ganhar as eleições.
  Não importa quem ganhe desde que o empresário consiga algum privilégio com o Governo eleito. 

  Esse tumor está sendo bem atacado pela Lava Jato, precisamos continuar dando apoio a operação, forçar os empresários brasileiros a primar pela honestidade, transparência, chega de “Bolsa Empresário”.

Indivíduos que são pais irresponsáveis, procriam e querem que o Governo/Sociedade cuide.

  Em uma manifestação em frente ao colégio os alunos diziam:

  "O Governo tem que cuidar da gente."

  O conceito que passo para minhas filhas é diferente:

  "NÓS temos que cuidar do Governo."

  Enquanto minhas filhas forem crianças quem tem que cuidar delas sou eu e minha esposa.
  Prestem atenção que a diferença nos resultados são gritantes.
  O Brasileiro tem essa crença que ele fez um grande favor ao Estado ao nascer e esse favor tem que ser retribuído com um Governo que cuide dele.
  É algo muito estranho porque o "Estado" não existe como ser, ele é uma idealização das pessoas.
  Você nasce pela vontade [ou descuido] de seu pai e de sua mãe, logo, são eles que devem cuidar de você até que possa se sustentar e cuidar de si mesmo.
  As crianças que nascem em família pobre olham seus pais como vítimas do Estado como se algum Governo obrigasse as pessoas a transar e ter filhos!!

  Se uma cidade não tem escolas suficientes para seus cidadãos, todos temos que cuidar para votar em prefeitos e vereadores que construam essas escolas. (Só um exemplo)
  Você não pode eleger qualquer um e esperar que ele se preocupe com o bem estar do seu filho.
  Na outra ponta temos que desenvolver a consciência que crianças não são uma folha em branco totalmente ignorantes e indefesas.
  Você pode ser um bom pai, mas seu filho ter nascido com um gênio difícil.

  A natalidade diminuiu bastante no Brasil.
  O número de filhos por mulher caiu 26% nos últimos 14 anos, passando de 2,39 filhos por mulher para 1,77, entre 2000 e 2013.
  É uma taxa muito baixa.
  O bom é que isso está acontecendo também nas classes mais baixas, casais com menos filhos cuidam deles melhor.
  A irresponsabilidade ao colocar filhos no mundo ainda persiste, mas é um tumor que está regredindo.

☠ ☠ Funcionários públicos que se acham melhores que todos os outros trabalhadores, querem sugar o máximo do Governo/Sociedade.

  Esse é o grande tumor que por enquanto só faz crescer.
  Esse texto é para tentar mudar isso.
  Temos uma clara divisão de classes de trabalhadores.
  O Funcionário público com todos seus benefícios e privilégios e o funcionário “comum” que paga a conta.
 
  Gasto com servidor dobrou em nove anos.
  Entre 2003 e 2011, quase todas as categorias tiveram aumentos reais. [Globo]

Vejam esse comentário no Google+
__________________________________________________________________ 
  “Enquanto a Nação do Brasil esperava redução de gastos e cortes em pagamentos de altos valores monetários nos salários para redução dos gastos Governamentais!
  O Governo deixa que seja aprovado um aumento sem justificativa diante da situação do Capitalismo monetário Brasileiro.
  Á minha nota para este Presidente ainda continua 0,0 “
  [Comentarista no G+]
__________________________________________________________________

  Observem que é colocado a palavra “Capitalismo” no comentário negativo porque “culturalmente” tudo que é negativo ou parece negativo está ligado ao Capitalismo
  Mas vamos seguir para a grande provocação...

  Precisamos considerar que o funcionalismo público “como está” é um verdadeiro câncer para nosso país.

  Somos reféns deles.
  Se o trabalhador “comum” fizer greve pode acontecer de ser demitido.
  O funcionário público é um trabalhador “diferenciado”, tem estabilidade.
  Como o funcionalismo opera em setores básicos sua capacidade de fazer estrago é enorme.

  Não vejo como Michel Temer nesse momento pode ir para uma queda de braço com os servidores sem levar a pior.

  Aqui em SP os metroviários exageraram em ações de greves e alguns foram demitidos ... por pouco tempo, porque por lei foram reintegrados.

  Professores podem ficar meses sem dar aulas e fechando avenidas, não podem ser demitidos e nem deixam de receber salários, todas tentativas nesse sentido fracassam.
  Dizem que farão reposição de aulas, mas se limitam a dar alguns trabalhos para os alunos fazerem em casa.

  Na área da saúde quase dispensa comentários.
  Se os servidores de um PS resolvem cruzar os braços as cenas que se seguem são dantescas ... mais do que o habitual.

  Sou servidor público e digo a vocês que optei por ser esse “trabalhador diferenciado” porque não aguentava mais fazer papel de otário e ver o apoio total da sociedade a essa categoria.

  Eu já fui sondado para ser chefe e recusei, é muito trabalho por alguns trocados a mais.
  Felizmente a maioria dos servidores tem bom senso, respeitam a hierarquia, mas os cerca de 20% que não respeitam tocam o horror.
  Se especializam em conseguir atestados médicos.
  Me surpreendi ao ver na lista dos funcionários do meu setor o nome de uma pessoa que em 5 anos nunca vi.
  Perguntei aos mais antigos que função aquela pessoa desempenhava ou se era funcionária fantasma.
  Acreditem se quiserem, mas de atestado em atestado faz mais de 5 anos que a funcionária não trabalha um dia.
  Nem sei se é estatutária, mas se for vai se aposentar com salário integral... alguém que pouco trabalhou e dá um gasto enorme ao sistema de saúde.
  Não estou falando de alto escalão não.
  É do mesmo baixo nível que eu.
  Mas ser baixo nível no “funcionalismo público” é muito acima do trabalhador da iniciativa privada.
  Nós servidores somos de outra classe, nem proletários nem camponeses, somos da “corte”.

  Servidores são os reis do “jeitinho”, seguem as normas apenas quando querem e não tem nada que você como chefe possa fazer.

  Mandar embora? Nem pensar.
  Dar carta de advertência? É só gastar papel e tinta.
  Dar gancho não remunerado? A batalha é grande, o sindicato vai te devorar.
  De gancho o funcionário vai ficar, mas sem receber ... difícil, muito difícil.

  Faz algum tempo que ser “chefe” se tornou ainda mais difícil.

  [Isso não só no funcionalismo, mas aqui temos a estabilidade que multiplica qualquer problema.]

  Você chefe tem que tomar muito cuidado com o que vai falar para o funcionário, qualquer coisa é assédio moral.
  Se o funcionário for negro, pardo ou gay, processos por racismo ou preconceito serão inevitáveis.
  Se você é homem, qualquer advertência a uma mulher pode ser considerado machismo.


Se a pessoa for mulher, negra e lésbica ... trate de Vossa Excelência
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Agora que você adquiriu esse conhecimento:

  Michel Temer nem Presidente de fato é.
  O Impeachment ainda rola no Senado.
  O PT, pelo menos até o resultado final do Impeachment, é oposição com grande capacidade de mobilização dos esquerdistas.
  Tudo que a esquerda quer é tocar horror no país, inviabilizar o Governo Temer ... inviabilizar qualquer Governo que não seja claramente de Esquerda.

  Dar o aumento para o funcionalismo não foi bom, mas e se não desse?

  Não se iludam, vocês trabalhadores comuns são reféns de nós trabalhadores diferenciados.

  Se os funcionários públicos do Judiciário começarem greves intermináveis quem você imagina que será o principal prejudicado?
  Se por qualquer motivo “geralmente urgente” você precisar da conclusão de um processo saiba que ele ficará paralisado.
  Na nossa cultura a culpa é sempre do “Governo” ... entenda-se Prefeito, Governador e Presidente.

  A educação cruza os braços e seu filho fica sem aulas por meses.
  Como você santifica funcionários públicos da educação toda falha é do “Governo”.

  Recentemente toda sociedade aplaudiu de pé 30 horas semanais para o setor da saúde.
  Isso é maravilhoso ... para os funcionários públicos da Saúde.
  Se por falta de aumento os Hospitais começarem a parar, você vai apoiar Michel Temer, Dilma ou qualquer outro presidente?
  Está certo disso?

  Militares são servidores públicos, você está preparado para ficar sem polícia?
  Está preparado para um exército descontente que se anime a dar um golpe?

  Não se esqueça que o próprio político é Servidor Público.
  Todo o Congresso é de servidores públicos.
  A câmara de vereadores da sua cidade é de funcionários públicos.
  Está dominado, está tudo dominado.

  Pelo menos o político é um servidor que você pode mandar embora depois de 4 anos ou 8 anos no caso de Senadores.
  Quero dizer que nossa sociedade tem poder sobre os Políticos.
  O Renan é senador porque os Alagoanos o mantem no cargo.
  Eduardo Cunha é deputado porque cariocas o mantem no cargo.
  Tiririca e Marquito são deputados porque paulistas os mantem nesse cargo.
 
  Nós não temos poder sobre o funcionalismo público.
  No próximo texto vou sugerir o óbvio, que tenhamos mais poder sobre todo o funcionalismo, deixemos de ser reféns dessa classe de trabalhadores.

 Trabalhador da Iniciativa Privada X Servidor Público
 Atualmente é a única “luta de classes” que eu defendo não para destruir o funcionalismo, mas para iguala-lo aos demais trabalhadores.
  
  Para essa situação mudar é preciso o despertar da maioria... precisamos perseguir a verdade.
  Tem trabalhador que é Cego
   I’ll be back...




Funcionário público: servidor público investido em cargo público. Possui regime de cargo, com possui vínculo com estatuto é chamado de estatutário e servidor público strictu sensu.

Empregado público: servidor público detentor de emprego público, regido pela CLT.  Possui regime de emprego, chamado de celetista e servidor público latu sensu.

Servidor público: engloba todo aquele que presta serviço para a administração pública independente de seu regime jurídico.”

  Rombo da previdência dos funcionários públicos chega a 51 bilhões.
 Déficit do regime de servidores é maior do que o do INSS, que ficou estável em 2010; para secretário da Previdência Social, ‘situação é insustentável’
  Enquanto o déficit da previdência do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) ficou praticamente estável entre 2009 e 2010, o rombo do regime de previdência dos servidores públicos da União ultrapassou a marca dos R$ 50 bilhões ao apresentar crescimento de 9% de um ano para o outro. A tendência, se não houver mudanças no sistema do servidor público, é que essas despesas continuem subindo e pressionando os gastos públicos. [Jusprev]
  [Pensõese Aposentadoria Integral]



Anterior          <>        Próximo