segunda-feira, 20 de junho de 2016

Jean Piaget

  “Caminhamos a passos largos para o Comunismo.”
   [Comentarista no G+]    

  Não acho eficiente esse exagero das pessoas.
  Embora a maioria dos partidos no Brasil tenham um viés esquerdista nossa cultura chegou a um ponto que fica incompatível com o Regime Comunista.
  O mais perto que chegamos foi quando João Goulart assumiu a Presidência.
 
  Somos capitalistas e vamos permanecer capitalistas acontece que com tantos ideais marxistas/socialista contaminando nossa sociedade praticamos um capitalismo capenga, de má qualidade.
  O Governo militar que sucedeu Goulart foi basicamente um Governo de Esquerda com intervenção desmedida do Estado na economia.
  Como se não bastasse o modelo estatizante imposto pelos militares os que tentavam derrubar o militarismo queriam ainda mais Estado!
  Tentaram através da guerrilha nos aproximar da URSS e transformar o Brasil em uma grande Cuba, fracassada essa tentativa se voltaram para nossas crianças.

  Se o método rápido Guevara de implantar o Comunismo pela força não deu certo ainda restava o lento método Gramsci implantar o Comunismo pela educação/cultura


 
 Não sei dizer se nosso método de ensino com fundo marxista é fruto das idéias circulantes na década de 60 ou se por planejamento de algum grupo marxista nosso método de ensino caminhou para essa ideologia.

  O fato é que Jean Piaget e Paulo Freire tornaram-se ícones de nossos métodos de ensino.

Adquira Conhecimento:

  Na educação, enquanto pedagogista, Piaget utiliza sua “teoria dos “estágios” para contrapor o ensino tradicional, autoritário, herdado do século XIX.
  A “Escola Piaget” crítica sobretudo o ensino “tradicional” onde o professor dita e o aluno copia e repete.
  Na medida em que critica essa educação tradicional, Piaget é interpretado por muitos como "espontaneísta".
  O que é isso?
  Não é fácil explicar em poucas palavras, precisa de um grande conhecimento teórico.
  Digamos que na escola tradicional o professor ensina o aluno aprende.
  Suponhamos, eu sou professor e sei que a definição de ilha é:
  Uma porção de terra cercada de agua por todos os lados ... menos em cima
   Eu escrevo na lousa, ou mostro no livro, ou dito para você escrever.
  Eu ensino, você aprende ou ... decora para prova.
 
  O espontaneísmo é fundamentado na observação que aprendemos melhor o que aprendemos com prazer, brincando.
  Então eu professor não lhe dou mais a resposta pronta, não lhe apresento o consenso do conhecimento humano sobre uma definição de ilha.
  Através de atividades variadas, se possível até visitando uma ilha, você chegará na sua própria definição do que seja ilha.

  Entenda que o método tradicional é rápido, barato e objetivo.
  O espontaneísta é ... complicado, subjetivo.

  Em uma sala com trinta crianças pelo método tradicional em poucos minutos você transmite o conhecimento essencial/básico do que a criança deve entender como ilha.
  A maioria não vai se interessar muito mais por esse tema e os que se interessarem podem fazer isso pesquisando em livros/internet.

  Pelo método espontaneísta, como evitamos definir o que é ilha, precisamos incentivar que a criança descubra espontaneamente, aprenda por si mesma, não queremos que ela seja um “robozinho repetindo conceitos”

  Digamos que na “Nova Escola Espontaneísta”:
  O professor NÃO ensina, ele cria condições para que a criança aprenda por si mesma.

  Já sabemos que o prazer é algo muito particular/individual.
  Como descobrir o que dá prazer a cada um dos 30 indivíduos?
  Fazer uma ilha com massinhas pode ser muito divertido para algumas crianças e um tédio para outras.
 
  De qualquer forma o que na escola tradicional você ensina em poucos minutos na “nova escola” pode demorar uma ou duas aulas para que a criança viva a experiência do que seja uma ilha...  
 Convenhamos, entender o que é uma ilha é algo tão importante que vai mudar sua vida!?

IMPORTANTE:
  Se você ler sobre Jean Piaget verá que ele não era tão adepto do espontaneísmo, mas em países como o Brasil ... espontaneísmo e Piaget viraram quase sinônimos.

   Isso se refletiu em uma perda de autoridade do professor em sala de aula.
  Não tem uma padronização do método de ensino.
  Cada aula tem que ser diferente então o professor perde um enorme tempo “preparando a aula”.
  Mas como nossos professores idolatram “o que acreditam que sabem” sobre Piaget ... a falha em nossa escolarização não está nos professores e muito menos em Piaget, está no pai, mãe, família ... nada mais freudiano

  O que acontece no Brasil é algo surreal, construímos o pior dos mundos na educação.
  Explico.
  Nos países Comunista/Socialistas vemos a escola tradicional, o professor ensina o aluno aprende.
  Os Comunista acrescentaram a doutrinação ideológica.
  Logo, as crianças comunistas tem uma escolarização eficiente e crescem adorando um pai da Pátria Marxistas/Estatizante.

  Aqui no Brasil temos a nova escola espontaneísta e acrescentamos a doutrinação marxista, esperamos tudo do Deus Estado.
  Nossa sorte é que não chegamos a ter um “pai da pátria”, mas Lula no segundo mandato chegou bem perto disso.
  O resultado é que temos uma péssima escolarização e um capitalismo capenga.

  Hoje em dia alunos invadem escolas e querem falar de homossexualismo, racismo, sexissismo, anular gêneros, Universidade gratuita, transporte gratuito, opressão da mídia, imperialismo americano, não a mercantilização, não a globalização...

  Eu não sei como alguém pode se posicionar de maneira consciente sobre temas complexos se não domina nem conceitos básicos.

  Fala em economia, mas não domina matemática básica.
  Critica a imprensa, mas não consegue interpretar textos.
  Quer falar de sexo, mas não domina conceitos básicos de biologia.
  Quer falar de imperialismo, mas não conhece história...

  Recentemente o Senador Lindbergh disse que o neoliberalismo começou na China com Pinochet.

  O cidadão foi líder da UNE (União Nacional dos Estudantes), confundiu China com Chile?
  Pode ser.

  Confundiu Pinochet com Deng Xiaoping?

  De qualquer forma vamos considerar que Lindbergh sofreu uma falha de memória e ignorar que talvez seu conhecimento de história seja patético.

  Mesmo assim o que ele chama de “neoliberalismo” fez muito bem tanto para China quanto para o Chile.

  Mas em uma coisa eu dou razão ao Senador, um partido com programa Liberal ou “neoliberal” como ele gosta de dizer, não se elegeria nas últimas eleições ... quem sabe na próxima graças à Internet.

  O Gramscismo foi implantado muito eficientemente no Brasil e toda América Latina.
  Demonizamos empresas, Estados Unidos, Capitalismo, responsabilidade individual...
  Queremos um Estado Paizão e acreditamos que podemos ter tudo do bom e do melhor de graça e pagando baixos impostos.
  Ganha o político que mentir melhor... prometendo o impossível.

  “O que os governos latino-americanos desejam é um Capitalismo sem lucros, um Socialismo sem disciplina e investimento sem investidores estrangeiros.” 
[Roberto Campos]

  Na maior parte da América Latina os Governos são eleitos pelo voto, logo, não existe povo inocente.

  O Governo é o reflexo do povo que o elege.

  Se temos muitos corruptos e socialistas ... nosso povo/cultura precisa mudar.

  Essa lógica entra em sua mente?




To be continued...


Anterior          <>        Próximo