terça-feira, 26 de julho de 2016

Cânone Muratori

  “A vida só pode ser compreendida olhando-se para trás; mas só pode ser vivida, olhando-se para frente.”
[Soren Kierkegaard]
_________________________________________________________________
Parábola do trabalhador de última hora.

   Tendo chegado os que trabalharam 1 hora, receberam 20 reais.      
   Os que trabalharam 8 horas pensavam que haviam de receber mais; porém receberam igualmente 20 reais.
  Ao receberem murmuravam contra o empregador.

 - Estes últimos trabalharam somente uma hora e os igualaste a nós, que suportamos o peso do dia e o calor extremo.

  Mas o empregador disse a um deles.

 - Meu amigo não te faço injustiça, ajustaste comigo 20 reais e estou lhe pagando 20 reais.
   Toma o que é teu, e vai-te embora; pois quero dar a este último tanto como a ti.
  Não me é lícito fazer o que me apraz do que é meu?
  Acaso o teu olho é mau, porque eu sou generoso?
  Assim os últimos serão primeiros, e os primeiros serão últimos.
__________________________________________________________________

  Deus de Abraão no Novo Testamento dá privilégios para quem ele quer, não há mérito.
  Deus é todo poderoso e faz o que lhe dá na cabeça, não cabe a nenhum de nós contestar.
  Mas é se contestarmos?

  Antes é preciso adquirir conhecimento:

   “O Cânone Muratori, é uma cópia da lista mais antiga que se conhece dos livros do Novo Testamento.
  Na lista figuram os nomes dos livros que o autor (desconhecido) considerava admissíveis, com alguns comentários.
  A lista está escrita em latim e encontra-se incompleta, daí ser chamada de fragmento.
  Apesar de ser consensual datar o manuscrito como sendo do século VII, ele é cópia de um texto mais antigo, datado como tendo sido escrito por volta do ano 170.
  Os livros canónicos mencionados na lista são aproximadamente os mesmos que se consideram hoje como canónicos.
  O Cânone de Muratori aceita quatro evangelhos, dos quais dois são o Evangelho de Lucas e o Evangelho de João. “

Evangelho de Mateus.

  “Alguns estudiosos acreditam que o Evangelho de Mateus foi composto na parte final do primeiro século por um judeu cristão, o período mais aceitável por evidências históricas é entre a queda de Jerusalém 70 D.C. e de Inácio de Antioquia escrever a Epístola aos Esmirniotas ao redor de 115 D.C.”

  Em meus debates com ateus fica claro que muitos não acreditam em Deus porque não acreditam na Bíblia.
  Para eu isso é estranho porque eles limitam a “ideia de Deus” ao que está escrito na Bíblia.

  Para ateus Deus é o que está descrito na Bíblia ou não existe.

  Para evangélicos limitar Deus a Bíblia faz um “lamentável" sentido.
  Afinal eles tem a certeza que Deus existe e escreveu a Bíblia, ela é 100% a palavra do Deus de Abraão.
  A parte lamentável é que o Deus que vemos na Bíblia é terrível, impossível de qualquer um com o mínimo de bom senso adorar.

  “Samuel disse que Deus ordenou que Saul destruísse totalmente o povo amelequita, não poupasse mulheres, crianças ou animais.
  Sabem porque Deus ordenou o tal massacre?
  Porque há 400 anos atrás os antepassados dos amelequitas fizeram mal ao povo de Israel.
  Isto mesmo! O Deus da Bíblia esperou 400 anos para se vingar nos descendentes do povo amelequita.” [Positivo ou Negativo]

  Ateus limitarem a ideia de Deus a Bíblia é ... incoerente ao extremo.
  Se você tem certeza que Deus não existe então a Bíblia só pode ter sido escrita por homens.
  E que homens seriam esses?
  Pessoas que viveram do século 100 ao 200.
  Atribuímos a Igreja Católica a confecção da Bíblia e de uma certa forma foi, mas ela apenas organizou escritos que circulavam na época.
  Não é que Papa e Bispos se reuniram em um concilio e “escreveram” a Bíblia.

  Tanto ateus quanto evangélicos deveriam analisar a ideia de “deus/ deuses/espíritos” com o conhecimento que dispomos hoje.
  Limitar a ideia da existência de outras formas de vida ao conhecimento do ano 200 ... não tem lógica para mim.

  Vamos analisar a parábola do trabalhador de última hora com uma visão atual do que foi proposto há mais ou menos 1900 anos...
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  “Não me é lícito fazer o que me apraz do que é meu?
  Acaso o teu olho é mau, porque eu sou generoso?
  Assim os últimos serão primeiros, e os primeiros serão últimos.”
 
  Sem dúvida foi muito generoso com o trabalhador da ultima hora, mas se você fosse o trabalhador da primeira hora não se sentira muito injustiçado?
  Você vai dizer que não houve injustiça porque foi pago o combinado.
  Então no mínimo houve privilegio dado a alguns de trabalharem menos. Houve uma acepção de pessoas.

  “Se, porém, fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado.”
[Tiago 2,9]


  Para defender que não a contradição na parábola em questão, na igreja nos é dito que ela se refere a salvação e nosso lugar no “paraíso”.
  Não importa para Deus se sua conversão ocorreu na adolescência ou na terceira idade o prêmio é o mesmo.

   Se o prêmio é o mesmo compensa você pensar em conversão só lá pelos 40 anos e tomar cuidado para não morrer antes.
  Até uns 35 você peca tudo que tem direito, nessa idade já deve ter encontrado alguém legal para casar.
  Case e viva a vida de um cristão exemplar.

  Eu conheço e você também deve conhecer muitas pessoas com mais de 45 anos que são membros dedicados da igreja.
  Você olha para pessoa e pensa: “que ser humano exemplar coisinha bonitinha de Deus.”
  Entretanto de algumas pessoas eu conheço a história e quando jovem era uma coisinha bonitinha do capeta.

  Tem pessoas que você não conhece o passado, mas é cada testemunho...
  Dos bebuns e usuários de drogas são os mais bizarros.

  Tem também aquelas senhoras que nos parece tão respeitáveis e atualmente até são, mas no passado se fossem protagonista de alguma novela seria “Fogo no Rabo.”

  Já conversei com muitas dessas pessoas e vou reproduzir aqui a resposta padrão que elas usam para os jovens não ficarem no “mundo.”

  “A vida na igreja e tão boa que quanto mais cedo você estiver em comunhão melhor.”

  Muitas nos falam do seu enorme arrependimento de não ter se convertido antes ... me engana que eu gosto.

  Quanto a vida na igreja é boa para um jovem?

  A juventude é uma época de experimentações.
  Eu nunca senti vontade de fumar, beber ou usar drogas, mas sei que muitos jovens experimentam essas coisas.
  Quanto ao namoro você não pode ficar testando parceiras, bom para Igreja é que seja só uma e sexo só depois do casamento.
  Sem dúvida a conversão desde a juventude possibilita uma vida mais segura.
  No entanto uma juventude sem aventuras não agrada a maioria das pessoas.
   Deve ser chato envelhecer tendo na sua lembrança só cultos de louvores e adoração, mas cada um é cada um, respeito quem faz essa opção.

  Conversando com pessoas que tiveram uma vida “do mundo” e depois viveram para Igreja não consigo notar arrependimento de fato.

  [Esse assunto e delicado não me faltam exemplos, mas eu indelicadamente exporia pessoas próximas e isso não é legal.
  Eu não sou um bom exemplo para esse texto porque sempre fui bem careta, mas vamos tentar.]

  Quando morava no bairro São Bernardo por um tempo havia em um barracão onde é o atual Objetivo uma espécie de discoteca.
  Aquelas músicas bonitas chegavam até em casa e eu via aquelas pessoas muito bem arrumadas e felizes indo para o baile.
  Eu queria tanto estar no lugar delas, saber como era dentro daquele barracão.
  Meus primos mais velhos iam na Assampi.
  Associação de amigos do Parque Industrial, tudo parecia tão lindo tão divertido.
  Entretanto minha adolescência foi de muitas dificuldades.
  Toda aquela agitação seria só um sonho que nunca se realizou.
  Seria...
  Eu fiz um curso de modelo e manequim entrei em um mundo de gente muito bonita e fazia desfiles em boas casas noturnas de Campinas.
  Conheci ambientes muito mais requintados que o barracão perto de casa ou a Assampi.
  Não tenho como dizer que estou arrependido da minha fase de “mundo.”
  Para ser franco lamentaria que isso fosse apagado da minha vida/memoria.

  Se hoje consigo ser sereno é porque sei que lá fora não tem nada que me interesse.

  E se tivesse eu faria com comedimento.

  Suponhamos que um grande prazer na vida fosse tomar cerveja com amigos no bar ... não vejo nada de terrível nisso.
  Problema seria beber até cair ou dirigir embriagado.

  Suponhamos que eu gostasse demasiadamente de sexo.
  Eu não teria me casado ou já estaria separado.
  Se uma mulher de livre espontânea vontade aceita transar comigo, qual o problema?
  Problema é eu estuprar, fazer sexo sem o mínimo de proteção ou colocar filhos no mundo que não pretendo criar.


  Para entender essas coisas foi importante sair no mundo.
  Se não saísse eu ficaria com ilusões sobre muitas coisas que poderiam afetar minha serenidade.
  Eu saí no mundo e vi pessoas bêbadas e drogadas e elas ficavam muito alegres/descontraídas, mas um tanto bobas rindo de qualquer coisa.
  Essa desconexão seria tolerável e até desejável, entretanto vi também muita vida destruída, porque correr esse risco desnecessário?

   Se eu tivesse me casado cedo com a primeira mulher que quisesse namorar comigo não seria o fim do mundo, conheço pessoas que isso aconteceu e a sua maneira vivem bem.
  Mas sei lá, minhas experiências me deixaram tão maduro.
  De certo minha esposa não seria a Mara, só a conheci quando já estava um tanto entediado com o mundo das “agitações”.

 Entretanto em algumas igrejas atuais está bem mais fácil passar a juventude porque elas não cobram um comportamento padrão recatado.

  Fale com uma moça da igreja Católica ou da Universal do Reino de Deus.
  Não há um patrulhamento rigoroso da comunidade em volta dela.
  Roupas, ela pode usar as do mundo.
   Em várias denominações ninguém vai isolar uma evangélica só porque ela trocou de namorado pela terceira ou quarta vez, no máximo vai haver muita fofoca.
  Atualmente muitas religiões o jovem pode frequentar sem necessariamente perder os prazeres e experimentações da juventude.
  É até bom que o jovem frequente uma igreja para que adquira um certo freio moral, viver as experimentações sem descuidar da segurança.
  Se minhas filhas frequentassem alguma igreja evangélica light ou fossem católicas não me preocuparia nem um pouco.
  Se frequentassem bailes funk ou baladas sertanejas haveria alguma apreensão.

  Ficaria igualmente apreensivo se entrassem em alguma igreja rigorosa, daquelas que saem evangelizando de porta em porta ou gritando versículos na rua.
  Não gostaria de ver minhas filhas fanáticas religiosas ... de qualquer religião.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Se você estiver em uma igreja com padrões morais muito elevados convém pensar se quando estiver mais velho não ficará amargurado por tudo que deixou de fazer.

  Se o prêmio é o mesmo porque ficar enfurnado desde cedo nos trabalhos da igreja?
  Isso serve para qualquer doutrina.

  Se o jovem Islâmico lesse de maneira light o Corão e frequentasse a Mesquita como uma atividade a mais e não como a maior razão de sua vida muitas frustações não ocorreriam.
  Será que o cara iria levar a sério essa história de 72 virgens?
  E a mulher islâmica, qual o prêmio dela?
  Ser uma escrava sexual no céu!?
  Vire uma prostituta aqui mesmo vem para o Ocidente e ganhe uma grana.

  Senhoras e senhores, esse texto não é para colocar em dúvida sua fé ou falta dela.
  Não é para agradar ou desagradar crentes ou ateus.
  É só para desabafar uma dúvida.

  Porque concedemos a palavra definitiva sobre o que é ou não é “Deus/Espíritos” a pessoas que viveram séculos, milênios atrás e nem sabiam da existência de vírus e bactérias?


  E agora, quem poderá me responder...


Anterior          <>        Próximo 

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Jesus vs Buda

   O que você FAZ diz mais sobre você do que o que sai da sua boca.


  “Sidarta (Buda) foi educado pela irmã mais nova de sua mãe, Maha Pajapati.
   Por tradição, ele deveria ter sido destinado por nascimento para a vida de um príncipe, e tinha três palácios construídos para ele.
  O seu pai, Śuddhodana, desejando para o seu filho o destino de ser um grande rei e preocupado com extravio do filho desse caminho, tentou proteger o filho dos ensinamentos religiosos e do conhecimento do sofrimento humano.
  Quando chegou a idade de 16 anos, seu pai arranjou-lhe um casamento com uma prima da mesma idade chamada Yashodhara .
  Ela deu à luz um filho, chamado Rahula.
  Sidarta teria passado então 29 anos de sua vida como um príncipe em Kapilavastu.
  Embora seu pai garantisse que Sidarta fosse fornecido com tudo o que ele poderia querer ou precisar o futuro Buda sentiu que a riqueza material não era o objetivo final da vida.” [Wikipédia]

  A história de Buda lembra a de algum riponga filhinho de papai.
  Você pode verificar roteiro semelhante em muitas famílias ricas.
  O pai prepara o filho com tudo do bom e do melhor para que ele um dia assuma as empresas da família, mas o filho quer mais é curtir a vida como bem entender.

  Qual o grande feito de Buda?

  Buda poderia usar a fortuna para ajudar desafortunados, mas preferiu por um longo tempo ser um mendigo a mais!

 Sei lá, se alguém me pede um prato de comida e eu tenho para dar é mais lógico eu dar o alimento ou ficar sem comer também?
  A riqueza material pode até não ser o objetivo final da vida, mas faz parte da vida que temos aqui na Terra.
  Além do mais se você gosta de uma vida simples e tem uma alta renda sobra ainda mais dinheiro para ajudar outras pessoas.
  Eu gosto de conforto, mas dispenso excessos.
  Não me vejo com muitos carros mesmo que fosse bilionário, não vejo sentido em ter mais de um carro só para mim.
  Não entendo morar em uma casa enorme, nunca foi um sonho meu.
  Se eu tivesse algum grande negócio herdado do meu pai faria tudo para que ele continuasse próspero gerando empregos e tendo lucro.
  O que eu faria com o excesso de dinheiro?
  Ajudaria o máximo de pessoas possível.
  Praticaria a Caridade Racional.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Buda saiu em sua jornada com 29 anos, Jesus saiu em sua jornada com 30 anos e ambos fizeram uma certa exaltação a pobreza.

  Com relação a Buda a ideologia que o influenciou foi o Hinduísmo.
  O Hinduísmo é de um sincretismo tão grande que não dá para dizer que exaltava a pobreza, tem um sistema de castas onde alguns tem quase obrigação de serem ricos enquanto outros tem que se conformar com a extrema pobreza.
  No entanto lembremos que o hinduísmo é uma religião reencarnacionista e isso dá uma certa coerência a essa ideologia.
  O pobre se conforma com a extrema pobreza na esperança que em outra vida mude para uma casta melhor.
  A coerência na crença hinduísta que serviu de base para o budismo está na observação que para a sociedade funcionar precisamos de pessoas desempenhando as mais variadas tarefas.

  Cada casta/classe cumpre o papel que lhe cabe e na outra vida o indivíduo será recompensado se mantendo na casta alta ou mudando para uma casta melhor.

  Esse trecho é importante porque podemos traçar um paralelo com o Capitalismo.
  Como nascemos em situações familiares das mais diversas e com habilidades pessoais das mais diversas, NATURALMENTE surgem as mais diferentes classes sociais.
  O bom do Capitalismo é que você não precisa esperar uma outra vida para melhorar de classe.
  Com trabalho, estudo, disciplina/juízo pode conseguir um grande avanço em vida, seja em termos de conhecimento ou dinheiro.
  Eu nasci em uma família bastante desestruturada, mas consegui acumular grande conhecimento.
  Dinheiro não consegui muito, mas sem dúvida estou bem melhor que no começo da minha jornada.
  Se com meus 14 anos eu olhasse para alguém que tem tudo que eu tenho ... consideraria uma pessoa rica.

  Filosoficamente gosto mais de Buda que de Cristo.
  Se pegarmos os pensamentos creditados a Buda são muito mais defensáveis que os pensamentos creditados a Jesus.
  Não podemos esquecer que Buda nasceu 500 anos antes de Jesus, quero dizer que mesmo os bons pensamento de Jesus ... não dá para afirmar que não sejam um “plagio” dos de Buda.

  No entanto, como nasci no Ocidente, sentimentalmente sou mais ligado a Jesus.
  Se em uma situação surreal competissem o time de Jesus contra o time de Buda, eu torceria para Jesus.
  Mas é aquela situação.
  Em um jogo Ponte Preta vs Corinthians sentimentalmente eu torço para Ponte, mas racionalmente eu sei que o Corinthians vai levar a melhor na grande maioria das vezes.

  É o caso dessa nossa meditação.
  Na “minha opinião” o Budismo no geral tem uma certa coerência, é uma ideologia/doutrina/filosofia melhor amarrada.
  Mas paradoxalmente o Cristianismo está ganhando o jogo.
  É a Ponte dando uma goleada no Corinthians

  Vamos audaciosamente a incoerência e sucesso do Cristianismo...
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  A base do cristianismo é o judaísmo e no judaísmo NÃO há uma exaltação a pobreza.

  Muito pelo contrário, Deus de Abraão promete aos Judeus terras, riqueza, prosperidade, vitória sobre os inimigos.
  De onde Jesus tirou a exaltação a pobreza?
  Do judaísmo não foi.
  Dizem que Jesus em parte de seu longo sumiço [A Bíblia não fala dele dos 13 até os 29 anos] peregrinou pela região da Índia.

  Será que a exaltação da pobreza no Cristianismo veio do contato de Jesus com alguma corrente do Hinduísmo?

  Na Índia é comum “grandes mestres” viverem com total desapego a bens materiais, vivem do que dão para eles.

  Jesus dizia que devemos dar tudo aos pobres.
  O cristão que nasce rico tem que dar tudo aos pobres e ficar pobre também!?
  Qual a vantagem?
  O Cristianismo nos diz que a salvação não é por obras!
  Então por que eu não posso ter uma vida de fartura se isso para o bem ou para o mal não muda o resultado final?
  Sei lá, uma boa pregação cristã seria cada um buscar prosperidade sem esquecer a fraternidade.

  Lembrei da parábola do trabalhador de última hora:
 (Fiz alguns ajustes)

  “Tendo chegado os que trabalharam 1 hora, receberam 20 reais.       
   Os que trabalharam 8 horas pensavam que haviam de receber mais; porém receberam igualmente 20 reais.
  Ao receberem murmuravam contra o empregador.

 - Estes últimos trabalharam somente uma hora e os igualaste a nós, que suportamos o peso do dia e o calor extremo.

  Mas o empregador disse a um deles.

 - Meu amigo não te faço injustiça, ajustaste comigo 20 reais e estou lhe pagando 20 reais.
   Toma o que é teu, e vai-te embora; pois quero dar a este último tanto como a ti.
  Não me é lícito fazer o que me apraz do que é meu?
  Acaso o teu olho é mau, porque eu sou generoso?
  Assim os últimos serão primeiros, e os primeiros serão últimos. (Mateus 20:1-16) “

  Essa parábola merece um texto ... fica para outro dia.

  Deus de Abraão no Novo Testamento dá privilégios para quem ele quer, não há mérito.
  Deus é todo poderoso e faz o que lhe dá na cabeça, não cabe a nenhum de nós contestar.
  Na igreja é nos dito que isso se refere a salvação e nosso lugar no “paraíso”.
  Não importa para Deus se sua conversão ocorreu na adolescência ou na terceira idade o prêmio é o mesmo .... mas essa seria uma outra meditação...
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Se o Budismo tem uma Filosofia mais “coerente” porque o Cristianismo se saiu melhor?

  Por algum motivo [Acaso ou vontade de Deus ... como preferir] os Cristãos foram mais eficientes em ignorar as incoerências do Cristianismo.

  Começa pela Igreja Católica Apostólica Romana.
  Se Abraão, Jacó, Salomão, Davi eram muito ricos porque o Papa não poderia ser?
  A Igreja Católica começou acumular poder e riqueza de uma forma ... que possibilitou a ela resistir a invasão de outras crenças e até ampliar seus domínios.
  Uma Igreja pobre não teria sido páreo para os ricos e poderosos muçulmanos ou outras correntes religiosas e ateias.

  Mais tarde surgiu o Protestantismo, se o Papa (membros da igreja) podia ser rico porque o cristão comum não podia ao menos tentar ser?
  Se Deus é dono do ouro e da prata porque nega-las a seus filhos?
  Que pai amoroso submete os filhos a uma vida de miséria?

  Com o sucesso da “Burguesia Protestante”, os católicos cristãos não quiseram ficar para traz e passaram a ignorar as restrições da Igreja Católica quanto a ter lucro.

  Mais tarde surge a Teologia da Prosperidade.
  Se Deus é dono do ouro e da prata porque os que tem fé nele tem que viver na pobreza?
  Os cristão (principalmente na cultura anglo saxã) visivelmente abandonaram o culto a pobreza.
  E mais que isso defenderam o direito do indivíduo em vida tentar uma mudança de classe social sem que isso interfira na qualidade da vida pós morte.

  SIM, a maioria dos cristãos são hipócritas quando falamos de dinheiro.

  Condenam a riqueza da boca pra fora, mas em seu “coração” a desejam intensamente.
  Em países latinos você não precisa nem ser rico, basta ser “classe média” para ser odiado.
  O cristão da boca pra fora é “Socialista”.

- Devemos dividir tudo com todos igualmente.
(Sociedade “igualitária”)

 - Ninguém é dono de nada nessa Terra.
 (Fim da propriedade).

  Mas vai mexer no que o cristão herdou dos pais ou conquistou por esforço próprio ...
 
  Meu irmão e irmãs são evangélicos, tem boas casas e carros, são classe média, orar e participar da Igreja isso eles fazem bastante, mas dividir seus bens com os mais pobres ... estou para ver.
  Claro que eles fazem alguma caridade, mas se destinam ao menos 10% dos seus rendimento a isso eu já ficaria surpreso.

  Tem aquele antigo pensamento o qual eu concordo:

  “O que você faz diz mais sobre você do que o que sai da sua boca.”

  Não importa muito o que os cristão falam, historicamente tem importado como agem.
  Embora Jesus tenha nascido no Oriente Médio o Cristianismo ganhou força mesmo na Europa.
  O Império Romano tinha como base o que conhecemos hoje por Itália.
  E na Europa pós feudalismo surgiu na França o movimento que chamamos de:
 
  ILUMINISMO despertado pelos filósofos Baruch Spinoza (1632-1677), John Locke (1632-1704), Pierre Bayle (1647-1706) e pelo matemático Isaac Newton (1643-1727).
  O iluminismo floresceu até cerca de 1790-1800, após o qual a ênfase na razão deu lugar ao ênfase do romantismo na emoção e um movimento contra iluminista ganhou força.

  Se pesquisarem verão que Friedrich Engels e Karl Marx nasceram depois do Iluminismo, são pensadores “românticos” “contra iluministas”, deixaram a razão de lado e exaltaram os sentimentos.
  De 1850 até os dias de hoje aquela racionalidade surgida no Iluminismo foi deixada de lado... ainda bem que não por todos os povos.
  Boa parte da humanidade passou a imaginar um mundo “John Lenon.”
 
  Quer saber de uma coisa?
  Eu perdi totalmente o controle desse texto, ás vezes acontece.
  Cada parágrafo que escrevo surgem outros textos na minha mente, não controlo mais o flutuar pelo abismo.
  A provocação era comparar superficialmente Budismo e Cristianismo e fui parar em Iluminismo vs Romantismo 😲!
  O jeito é forçar o desligamento...
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  O importante é você perceber que já em 1600 boa parte dos cristãos passaram a ser mais pragmáticos ou “hipócritas” ... como preferir.

  Falavam uma coisa, mas agiam de outra forma.

  Católicos e Protestantes decidiram limitar os poderes de qualquer família real fomentando o surgimento da Republica.

  Católicos e Protestantes decidiram limitar o poder da Igreja desenvolvendo o Estado Laico.

 Os Árabes e Persas vinham bem até 1400, poderiam ser os “donos do mundo”, mas surgiu Maomé com seu “romantismo” e no Oriente Médio não surgiu um movimento como o Iluminismo.
  Os Islâmico tem uma grande dificuldade CULTURAL com a Democracia e o Estado Laico.
  Quem sabe a Internet leve algum iluminismo para eles...

  Os países Budistas tem forte influência hinduísta e o problema dessa doutrina é o sistema de castas “imutáveis nessa vida”, só agora isso está sendo melhor atacado através de leis.
  Boa sorte a eles e que sejam mais rápidos nesse processo.

  A base do Cristianismo é o judaísmo e os judeus nunca veneraram a pobreza.
  A sorte dos cristãos foi ter uma base melhor?
  Se adaptaram a natureza humana do desejo de vida longa e próspera nessa existência porque o futuro...
  A D’us pertence.




Anterior          <>        Próximo

segunda-feira, 11 de julho de 2016

História NÃO Contada na Escola

  “A mais grave consequência da colonização europeia na África foi o fato de que as fronteiras estabelecidas pelos poderes imperiais não levaram em consideração as divergências tribais, resultando até hoje em guerras tribais e campanhas de genocídio.” [EducaBras]


  Em geral é isso que as crianças aprendem na escola, foi o que eu aprendi.

  É sugerido que todos os povos que vivem em conflito ou com baixa qualidade de vida é fruto da ganância e incompetência dos europeus.

  Mais tarde foi acrescentado o “Imperialismo Americano”, mas para não complicar o texto, vamos deixar isso em suspenso.
  Apenas é bom lembrar que Europeus também colonizaram Estados Unidos, Canada e Austrália nações com boa qualidade de vida.
  Para brasileiros e outros povos latinos os grandes vilões foram espanhóis e portugueses.

  Lembrei de um debate:
_________________________________________________________________
  “Fomos roubados por portugueses, espanhóis, franceses, holandeses...”
 [Comentarista no G+]
________________________________________________________________

  E nós brasileiros não “roubamos” ninguém!?
  Como explicar nosso território tão grande!?

  “Desde meados do século 19, migrantes brasileiros, vindos principalmente dos estados do Nordeste, ocuparam o Acre, oficialmente sob controle boliviano, trabalhando na extração da borracha.
  No final daquele século, a Bolívia tentou implantar um sistema que lhe permitisse a manutenção daquele território, mas eram muitas as suas dificuldades, pois o Estado boliviano não tinha presença efetiva na região.” [Mundo Estranho]

  Essa justificativa que tudo é culpa de uma colonização portuguesa é uma das maiores bobagens que aprendemos na escola e saímos repetindo feito papagaios.
  Em 1822 já éramos independentes e fazíamos o que nos desse na telha.
  Dom Pedro II era tão brasileiro quanto qualquer um de nós e todos os governos da republica que o sucederam foram de brasileiros.
  A nação que temos é a nação que nosso povo construiu.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
Adquira Conhecimento:

  “A civilização persa foi uma das mais expressivas civilizações da Antiguidade.
  Conquistou o reino da Lídia, a Fenícia, a Síria, a Palestina, as regiões gregas da Ásia Menor e a Babilônia. (550 anos antes do nascimento de Cristo)
  Os povos dominados pelos persas podiam conservar seus costumes, suas leis, sua religião e sua língua, mas eram obrigados a pagar tributos e a servir o exército persa.
  Dario procurou organizar o império dividindo-o em províncias e nomeando pessoas de sua confiança para governá-las.” [Só História]

 Você viu a data?
 O domínio persa aconteceu há mais de 2500 anos.
 Para você se localizar os persas são os atuais iranianos.
 O mundo não começou há 516 anos atrás com o descobrimento do Brasil.

 “Novas interpretações sobre Zumbi e os quilombos constatam que em Palmares havia uma hierarquia entre os integrantes que dividia os negros em servos e reis, sistema que já era adotado na África pelo mesmo povo.
  Zumbi era um chefe e tinha seus escravos.
  É uma mistificação dizer que havia igualdade em Palmares.
  Zumbi e os grandes generais do quilombo lutavam contra a escravidão de si próprios, mas também possuíam escravos.
  No século XVII, época em que os ideais de liberdade e igualdade ainda não haviam sido consolidados na Europa, não seria possível que, entre os negros, tais conceitos fossem a força e ideal da formação dos quilombos e das atividades de Zumbi.
  Após os árabes conquistarem o norte africano, os próprios negros vendiam negros nas caravanas que cortavam o Saara.
  O jornalista Leandro Narloch cita o caso de um escravo brasileiro que, após conseguir sua libertação pela Lei Áurea, virou traficante de escravos da África para o Brasil e esta era a forma como se sustentava.
  Narloch mostra diversas facetas dos quilombos, mostra a falsificação histórica da vida de Zumbi, que o fez se tornar num mito nacional da cultura negra, entre outras supostas verdades históricas.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Conflitos entre povos sempre existiram.

  Para muitos pensadores é como se o mundo tivesse começado com o apogeu de Portugal, Espanha, França e Inglaterra.
  Essas nações constituíram muitas colônias mundo a fora.

  A crítica primeira é que as colônias tiveram suas riquezas exploradas.

  Mas transportando sua mente para aquela época como poderia ser diferente?
  Historicamente o povo conquistado paga algum tributo ao povo que o conquistou.
  Em nome do que a atitude dos europeus dessa época tinha que ser diferente?

  A segunda crítica frequente é que os conflitos na África e Oriente Médio são fruto da divisão de fronteiras feita pelos europeus quando eles dominavam essas regiões.

  Querem nos fazer acreditar que africanos e árabes viviam na mais perfeita paz e harmonia até que a chegada de europeus acabasse com esse paraíso.
  Depois quando os europeus se afastaram ainda deixaram como herança fronteiras que até hoje provocam instabilidade na região.

  Primeiro esse tal paraíso nunca existiu.
  A história da África é igual da China Japão e outros povos, CONFLITOS A PERDER DE VISTA.

  E o que falar dos árabes.
  Lembremos que o Império Persa foi muito poderoso é ingenuidade acreditar que os persas conquistavam os povos de maneira muito mais civilizada que os europeus.
  E o Império Otomano que dominou boa parte de Europa por séculos?

  “O Império Otomano foi um Estado turco que existiu entre 1299 e 1922 e que no seu auge compreendia a Anatólia, o Médio Oriente, parte do norte de África e do sudeste europeu.
  Foi estabelecido por uma tribo de turcos oguzes no oeste da Anatólia e era governado pela dinastia Otomana.”

  Uma coisa importante para entender é que a História ocorre independente de ser registrada ou não.
  Se um carro me atropela o fato disso não ser filmado em nenhuma câmera ou publicado em nenhum jornal não anula a ocorrência.
  Eu fui atropelado mesmo que isso não fique para os anais da história.
  Digo isso porque tribos indígenas não registravam com eficiência a própria história.
  Eles transformavam o ocorrido em uma narrativa que ia passando de geração em geração, e como sabem, quem conta um conto aumenta ou exclui um ponto.
  É certo que se toda história da humanidade tivesse sido registrada pelo menos em escrita encontraríamos conflitos entre tribos indígenas tão intensos quanto qualquer outra cultura.

  Logo, não entendo muito bem o que cobram tanto dos europeus.
  Eles não respeitavam nossos direitos humanos de hoje lá em 1400!
  Eles saqueavam terras por onde passavam?
  Mas isso não era uma pratica comum na humanidade?

  É tão entediante que nem acredito que tenho que escrever esse tipo de texto.

  É como se quiséssemos julgar as ações feitas por espanhóis e portugueses em 1400 com nossos conceitos atuais.

  Já pensou.
  De repente você tem sua árvore genealógica muito bem pesquisada e descobre que em 1700 um familiar seu tinha escravos.
  E daí!?
  Era algo de acordo com a época.
  Porque você tem que responder por isso ou se envergonhar?
  Porque tem que se sentir culpado e aceitar uma dívida a pagar a algum povo?

  Mas vamos seguir adiante para outro tédio...
  Portugal dividiu o Brasil em 13 capitanias hereditárias, não importa aqui seus motivos.
  O que importa é que aquelas divisões deixaram de existir.
  Organizamos outras fronteiras entre os estados.
  Tivemos no Brasil levantes de regiões que queriam se separar, até hoje temos alguns movimentos nesse sentido.
  A própria Europa tem regiões como a da Catalunha que querem se separar.
  O Reino Unido é a junção de vários povos [Escócia, Inglaterra, Irlanda do Norte e País de Gales] que vira e mexe falam em separação.
  A Alemanha por muito tempo ficou dividida em duas.

  A pergunta que não quer calar é:

  O que impede africanos e árabes estabelecerem novas fronteiras?

  Se eles não concordam com a divisão feita pelos europeus porque não voltam a suas raízes pré colonização?
  É porque antes da colonização europeia aquilo já era uma zona.
  Se depois da colonização árabes e africanos continuam em conflitos tribais intermináveis isso só pode ser atribuído a cultura desses próprios povos.

  Aqui na América Latina fomos submetidos as mesmas divisões de fronteiras e não temos ocorrência de graves conflitos.
  Eu sou crítico da nossa cultura latina, mas prefiro ter nascido aqui que na África ou Oriente Médio.

  Esse tema não é tão complexo, mas precisa de um bom conhecimento de história, por isso para aproveitar esse texto é necessário clicar nos links.
 
  Como última provocação...

  Demonizam a colonização europeia, mas não há sinais que o padrão de colonização tenha sido tão diferente na África, América e Oriente Médio.
  O que observei é que aqui na América a “cultura” era mais rudimentar e fragmentada.
  Temos o exemplo de povos mais organizados como Incas e Astecas, mas suas culturas foram mais facilmente anexadas/moldadas a cultura europeia.

  No caso da África [onde provavelmente originou a espécie humana] a cultura já era milenar, mesmo com incontáveis tribos e povos, o “africanismo” tem suas características muito bem enraizadas.
  Os europeus não conseguiram moldar a cultura que já estava muito bem solidificada.

  Os povos do Oriente Médio remontam a história mais antiga da humanidade, quem não sabe do domínio egípcio e suas histórias de sultões e faraós.
  Os árabes e persas tinham uma herança cultural muito mais poderosa que Incas e Astecas.
  A cultura europeia também não os mudou em essência.

  Os povos asiáticos como Japão e China são quase uma outra história da civilização, são culturas fortíssimas que em contato com a cultura europeia pouco mudaram.
  Todos que tentaram subjugar a China foram subjugados culturalmente por ela.

  Quero dizer que o que vemos nos povos é muito fruto de suas Culturas Ancestrais.
  Culturas estão em constante mudanças, mas geralmente são lentas.

  Mais uma vez eu digo que “no momento” a melhor Cultura é a Anglo Saxã, pela minha vontade todos caminharíamos para ela.
  Em segundo lugar (bem colado) eu aprecio a cultura japonesa.
  Se países como Holanda e Japão fossem nossa maior fonte de inspiração cultural a humanidade evoluiria muito.

  NÃO! Não estou falando para aniquilarmos outras culturas.
  Estou falando para preservarmos apenas o que for bom/eficiente de cada cultura.
  E visivelmente as culturas “holandesa e japonesa” são as que tem mais pontos bons.
  [Entenda aqui cultura holandesa como uma referência anglo saxã e cultura japonesa como uma referência asiática.]

  Esse texto não ficaria completo se eu não falasse um pouco mais do “antiamericanismo”, vou terminar por ele...

  Pregam que os Estados Unidos são o grande satã que explora e desagrega nações em proveito próprio.
  Nós temos uma experiência “histórica cientifica”.
  No norte os Estados Unidos tem a nação Canadá de forte cultura Anglo Saxã.
  No sul tem a nação México com forte cultura latina.
  O Canadá é o 9º país em qualidade de vida.
  O México está na posição 74º.

  O problema do México é os Estados Unidos ou a Cultura Latina?


  “Decifra-me ou te Devoro!”


Anterior          <>        Próximo 

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Emburrecimento das Empresas

  “Eu já acreditei na previsão esquerdista que as empresas grandes “canibalizariam” as pequenas.
  Como se não bastasse a pregação Marxista ainda temos Hollywood.
  Nos filmes em geral alguém rico representa todo o mal, contra alguém pobre que representa todo o bem.” [William Robson]


____________________________________________________________________
  “Não é coerente um trabalhador, micro ou pequeno empresário defenderem o Liberalismo Econômico, pois logo que esse sistema fosse implantado, rapidamente eles seriam dissolvidos pelos grandes monopólios.”  [Comentarista no G+]
_____________________________________________________________________

  Essa é outra previsão/falácia da esquerda.
  Aqui próximo de casa tem vários mini mercados, eu deixo boa parte do meu vale alimentação no JL.
  Outra parte fica com o Enxuto, é um mercado maior, mas não faz parte das grandes redes.
  De vez em quando vou ao Walmart.
  Carrefour, Extra e Walmart já são hipermercados há tanto tempo que pela previsão dos esquerdistas pequenos comércios já deveriam estar extintos.

  A maior parte da minha vida profissional passei em uma pequena fábrica de óculos, nosso maior problema não foram as grandes empresas, nosso maior problema foi competir com os “comunistas chineses” e o contrabando.

  Os Estados Unidos é um dos países mais liberais economicamente, está cheio de pequenas empresas e também empresas gigantescas que foram a falência.
  Empresas pequenas que eram desconhecidas como a Google, hoje dominam o mercado.
 
  Aqui em Campinas a gigantesca Mesbla fechou e a pequena Topic Modas continua.

  Ainda não está convencido da falácia esquerdista sobre o domínio inexorável das grandes empresas inviabilizando a existência de pequenas empresas!?

  “NA INGLATERRA, ABRE-SE EMPRESA EM 40 MINUTOS. NO BRASIL, CERCA DE 90 DIAS.” [Instituto Millenium]

  A Inglaterra é o berço do Capitalismo, Será que lá só empresas grandes são abertas!?
  Sei lá, pelo menos nessas economias mais abertas já deveríamos estar observando o fim das pequenas empresas.
  Os marxistas dizem que assim que o Liberalismo é implantado rapidamente pequenas empresas são dissolvidas.
  Caraca, esse rapidamente esta demorado.

  Eu já acreditei nessa previsão esquerdista que as empresas grandes “canibalizariam” as pequenas.
  Como se não bastasse a pregação Marxista ainda temos Hollywood.
  Já notou que na maioria dos filmes o vilão é um grande empresário frio, egoísta?
  Alguém rico que representa todo o mal, contra alguém pobre que representa todo o bem.

  Mas porque o domínio total das grandes empresas não acontece?

  Vamos audaciosamente onde nenhuma mente jamais esteve...
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Uma empresa por ser grande está imune a falência?

  Se olharmos a História veremos que não.
  Grandes empresas também quebram ou mudam de mãos.
  Isso acontece por vários motivos eu elegi um principal.

Administrar empresa é uma arte.

  A maioria das empresas começam familiar acontece que se o pai é talentoso para negócios não significa que o filho também seja.
 Claro que por sua vez o filho pode suplantar a competência do pai.
 Em geral se o fundador conseguiu montar um bom negócio e algum familiar continua administrando de maneira competente, a empresa vai se fixando no mercado.
  Se presta um bom serviço cativa clientes fiéis que trazem novos.

  “No dia 20 de março de 1963, chegava a Campinas-SP, o empreendedor João Batista.
      Instalou-se em um imóvel alugado, local que também sediava sua empresa.
     Um ano depois, devido ao sucesso já estava em imóvel próprio, também casa e salão, na Rua João Batista Alves de Souza, no Parque Industrial.
      Foi assim que, em 1967, Sr João fundou na cidade o “Comércio de Cereais Arroz Enxuto Ltda.”, com o nome fantasia de “Cerealista Alvorada”, que atuava área de Secos e Molhados.
      A empresa comercializava no varejo aproximadamente 100 (cem) itens e no atacado brilhava e padronizava o famoso arroz enxuto.” [Enxuto]

  Eu ouço esse nome “Enxuto” desde que me conheço por gente, a marca fixou na minha mente.
  Mas isso não quer dizer muita coisa, o importante é que quem administra a empresa HOJE mantem um padrão de qualidade satisfatório.
  É limpo, organizado, atendimento rápido, boa variedade.
  E o preço?
  É igual outros mercados do tipo, você tem que ficar atento as promoções e pesquisar preços.
  Por esses dias quase cai de costas.
  Vi uma maionese bonita no Enxuto, distraído nem olhei o preço, pedi a atendente um potinho de 500 gramas.
  Coloquei no carrinho e só fui olhar a etiqueta de preço no caixa.
  Acredite, 15 reais!!
  Caraca! O que tinha nessa maionese!?
  [Me recuso a fazer mais uma piada com feijão]
  Comprar maionese no Enxuto ... só quando baixar muito de preço.
 
  O fato é que a previsão da esquerda que poucas empresas dominarão tudo no mundo sempre está longe de acontecer.

  Vamos a mais alguns exemplos.

  Muitos criticam a poderosa Globo mas sabiam que antes dela havia a toda, poderosa Tupi?
  Se você pesquisar ainda encontrará outras emissoras que eram igualmente poderosas Record e Excelsior.
  A Record ainda existe, mas totalmente sob nova direção.
  O Edir Macedo comprou, manteve a marca e injetou muito dinheiro dos fiéis da Universal.

  A Globo será poderosa para sempre?
  Com o surgimento da internet a TV Globo nunca mais será poderosa como foi um dia.
  Eu passo mais tempo na Internet que assistindo TV e não sou um caso à parte.
  Se você me perguntar os nomes das atuais novelas da Globo eu tenho que pesquisar na Internet

  Eu acreditava que empresas super poderosas um dia imporiam sua vontade ao mundo, mas hoje acho pouco provável, praticamente impossível.
  Comecei a analisar a dinâmica das empresas e não encontrei nenhum padrão que aponte para o domínio mundial de algum grupo empresarial.
  Todos querem dominar o mundo, mas é uma empreitada grande demais para qualquer um.

  O padrão que encontrei me surpreendeu, não sei nem como expor.

  As empresas que crescem muito passam por um emburrecimento, acabam quebrando ou mudando de mãos.

  Vou citar três casos atuais do que eu considero emburrecimento das empresas tirem suas conclusões.

1 - A Microsoft é uma empresa que marcou minha geração.
  Sua capacidade de inovação e linha de produtos dominavam o mercado, me levava acreditar que a Microsoft seria a primeira grande empresa a cumprir a profecia esquerdista [Hollywdiana] de uma empresa que domina governos e dita os rumos da humanidade...
  A Microsoft passou por um emburrecimento tão grande que não consegue nem fazer um navegador que preste. 😲!     
  Eu usava o Internet Explorer, faz tempo que migrei para o Chrome.
  Lembro que as páginas na Internet demoravam para abrir e não raro travavam.
  Acreditei que era meu computador que já tinha uns 4 anos de uso, comprei um bem mais potente ... o problema persistia.
  Eu tinha o Speed tentei aumentar a velocidade pagando mais, mas o emburrecimento da Telefônica não me permitiu.
  Assinei com a NET, 10 megas (pelo menos nominais) e o problema persistia.
  Mudei para o navegador Chrome da Google e todos meus problemas “acabaransese”.

  A Microsoft fez diversas versões do Windows e a maioria delas pouco funcionais.
  Fiquei anos com a versão XP por ser mais confiável.
  Hoje uso o Windows 8 sem motivação para migrar para o 10.
  Gosto da Microsoft, torço para que ela continue grande e poderosa, mas quem aposta que ela possa dominar o mundo?

2 - A HP era uma marca que eu respeitava bastante, para eu era garantia de qualidade e bom custo benefício.
  A primeira impressora que comprei durou anos.
  Era enviar e imprimir.
  Minhas filhas eram bebês e imprimi muitos desenhos para colorir.
  Escrevi um rascunho para livro com centenas de páginas.
  Eu tinha um restaurante e imprimi muitos documentos.
  É evidente, um dia a impressora tinha que quebrar.
  Mesmo fazendo um barulho alto e estranho ela imprimia bem.
  Resolvi aposenta-la, doei e comprei outra HP sem fio ... uma droga de impressora, era enviar e torcer para imprimir.
  Por vezes gastava 3 folhas de Sulfite para aproveitar apenas uma.
  Choque maior foi quando acabou a tinta, um mísero cartucho 60 reais!
  Não adianta recarregar o cartucho, ela não o reconhece.
  Mesmo o cartucho original por vezes ela não reconhecia, imagine você pagar 60 reais em um cartucho e não conseguir usá-lo.
  Mandei para assistência, me cobraram 90 reais e os mesmos problemas persistiam.
  Acabei jogando uma impressora cara no lixo.
  Pensei ... foi azar.
  Comprei outra HP mais simplesinha.
  Acreditam que não tinha cabo para eu conecta-la ao computador!?
  Li o manual de instruções e realmente o cabo eu teria que comprar a parte.
  Você compra um produto que só funciona conectado ao computador e a HP não te manda o cabo de conexão!
  A nova impressora funciona, mas não tem a qualidade da primeira que eu tive.
  Minha próxima impressora de certo não será uma HP.
  Os caras emburreceram.

3 -  Eu compro umas balas da Arcor as quais acho de boa qualidade, mas elas tem um defeito grave, as embalagens são bonitas mas uma porcaria.
  Fico surpreso como a empresa não percebe e se percebe não resolve.
  Eu compro de pacote para economizar e o que vem de bala mal embalada é um espanto.
  Além de você perder a bala mal embalada ela ainda mela todas as outras.
  Você pega a bala e a mão fica desagradavelmente grudenta.
  Porque não colocam uma embalagem mais moderna po##a!?
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Enfim, as empresas não são perfeitas porque as pessoas não são perfeitas.

  Uma equipe competente não fica reunida para sempre e quando ela sai não há garantias que a qualidade e eficiência irão continuar.
  Também acontece a obsolescência.

  Obsolescência é a condição que ocorre a um produto ou serviço que deixa de ser útil, mesmo estando em perfeito estado de funcionamento, devido ao surgimento de um produto tecnologicamente mais avançado.

  Faz muito tempo que não uso um Compact Disc para nada, assistir filme, ouvir música, gravar arquivos.
  Meu computador tem 2 anos e ainda não utilizei o compartimento para CD.
  CDs ficaram obsoletos.
 
  Fora esse ciclo natural de eficiência e obsolescência que as empresas passam, ainda resta considerar que as empresas quando crescem muito se tornam Sociedades Anônimas com ações na Bolsa de Valores.
  Isso quer dizer que elas passam a ter inúmeros donos, não tem mais aquele empresário senhor de tudo.
  Até você com algumas economias pode comprar ações da empresa e ser um pouco dono.

  Se quiser ir além...

  “Você que fica repetindo feito papagaio que tudo pode naquele que te fortalece prove sua Fé, inicie uma empresa e com a bênção de Deus seja um grande empresário.”




Pessoal da Arcor, a embalagem da direita é muito mais eficiente.


Anterior          <>        Próximo