sexta-feira, 30 de junho de 2017

Eutanásia

  Quando sacrificar seu animal de estimação?

  “Qualquer dono de cães, gatos ou outros animais de estimação, podem passar por estar dolorosa experiência de ter que escolher pelo sacrifício de animal.
   Certamente é uma decisão bastante difícil, principalmente quando a relação com o seu animal de estimação é muito forte.

  O pior de tudo é que esta escolha é única e exclusiva do dono do animal, o veterinário estará sempre pronto para lhe orientar sobre a situação e o estágio da doença.
  Quando as chances de cura são mínimas ou inexistentes, ele pode sugerir o sacrifício do animal.

  O dono deve pensar que na hora da decisão, ele vai precisar deixar de lado a paixão para somente assim poder enxergar a qualidade de vida que o animal terá dali pra frente.
  Mas isso tudo é muito relativo, existem casos em que um cão perde completamente a mobilidade das patas traseiras.

  Alguns donos creem que o cão viver se arrastando durante o resto da vida, seja uma vida muito sofrida para seus animais e optem pelo sacrifício.
  Em contra partida, existem donos que consideram o sacrifício de animais como crime, e acham que devem cuidar do cão, e ajudando-o em todas as suas necessidades até o dia final natural de sua vida.      
  Apesar de serem visões diferentes, o respeito deve prevalecer em ambas.

  Apesar de sempre existir uma esperança de ver o animal curado novamente, deve haver um cuidado extremo para que este amor não se torne uma obsessão.
   Esta obsessão certamente vai fazer o animal sofrer muito e o dono sem perceber, poderá fazer seu animal sofrer bastante em situações irreversíveis com condições inimagináveis.”



  Quando sacrificar o animal humano?

 [Vou apenas “plagiar” o texto considerando uma “Sociedade Evoluída” onde a eutanásia seja permitida.]

   Qualquer pessoa pode passar por esta dolorosa experiência de ter que escolher pelo sacrifício de alguém querido.
   Certamente é uma decisão bastante difícil, principalmente quando a relação com o indivíduo doente é muito forte.

  A escolha é única e exclusiva do familiar, o médico estará sempre pronto para lhe orientar sobre a situação e o estágio da doença.
  Quando as chances de cura são mínimas ou inexistentes, ele pode sugerir o sacrifício do humano.

  O familiar deve pensar que na hora da decisão vai precisar deixar de lado a paixão para somente assim poder enxergar a qualidade de vida que o humano doente terá dali pra frente.

  Evidente que o paciente estando consciente a decisão deve ser dele, estou falando nos casos que o paciente está vegetativo ou com o cérebro degenerado, não responde mais por si.

  Em contra partida, existem pessoas que consideram o sacrifício de humanos como crime, e acham que devem cuidar do parente o ajudando em todas as suas necessidades até o dia final “natural” de sua vida.     
  [O natural seria não depender de remédios anestésicos ou de maquinas]
 
  Apesar de serem visões diferentes, o respeito deve prevalecer em ambas.

  Apesar de sempre existir uma esperança de ver o humano curado novamente, deve haver um cuidado extremo para que este amor não se torne uma obsessão.
   Esta obsessão certamente vai fazer o paciente sofrer muito e o familiar sem perceber, poderá fazer aquela pessoa muito querida sofrer bastante em situações irreversíveis com condições inimagináveis.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Como é feita a Eutanásia?

  O CFMV estabelece como aceitáveis cerca de 20 técnicas de eutanásia, entre métodos físicos ou químicos.
  Especificamente para cães e gatos, a forma mais comum é pela injeção letal, que é um método químico.
  Esta injeção letal, na verdade, não é uma droga especificamente; existem diferentes drogas que podem ser usadas para este fim.
  A eutanásia feita com agentes injetáveis SEMPRE, sem exceções, inclui o uso de algum anestésico geral.
  O anestésico geral usado, tal como acontece nas cirurgias, deixa o cão inconsciente e livre de dor.


  A grande provocação desse texto é perceber que em nossa sociedade brasileira pouco evoluída somos mais “humanos” com animais que com outros humanos!
  [Não complique, sei que você entendeu]

  Os sites escolhidos por mim são de pessoas que adoram animais então não me venham falar de frieza, materialismo, insensibilidade, assassinato...

  Estamos evoluindo muito lentamente, seria interessante uma acelerada nesse processo.
  Hoje sou um escritor maldito, quem sabe daqui uns 50 anos meus textos sejam infantis/óbvios ... é como eu os vejo daqui do abismo dos pensamentos.
  Nem acredito que preciso escrever certas coisas, sou um “espirito holandês” exilado no Brasil.

  O primeiro país do Mundo a permitir a eutanásia foi a Holanda.

  Saiba quais países já permitem a eutanásia.


--------------------------------------------------------------------------------------------------


quarta-feira, 28 de junho de 2017

Desapego a Matéria

  Escritor maldito é aquele que tem suas obras censuradas em sua época e obtêm reconhecimento muitos anos após sua publicação.

  Sou um escritor maldito?

  Bem, se algum dia depois de minha morte vou ter algum reconhecimento é impossível dizer, provavelmente não.
  Isso me torna ainda mais “maldito” (de amaldiçoado)
  Escritor eu sou, textos me vem fáceis.

  Não escrevo bem?

  É evidente que já fiz uma meditação lógica sobre isso.
  Por vezes gostamos muito de uma atividade, mas infelizmente não a fazemos bem.
  O indivíduo gosta muito de cantar, mas não nasceu com uma voz apropriada.
  Queria ser ... sei lá, um recordista olímpico nadador, corredor ... mas a genética do seu corpo não ajuda.
  A moça gostaria de ser uma Top Model, porém não cresceu mais que 1,65.

  No meu caso eu gosto de escrever e escrevo muito bem.
  Uma coisa comum é alguém me adicionar ou propor amizade no Face para pouquíssimo tempo depois me excluir ou pedir que eu o exclua.
  Sou xingado de muitas coisas a mais suave [que nem chega a ser um xingamento] é que sou “bipolar”.
  Essa “critica” dos leitores considero bastante esclarecedora sobre o porquê da minha maldição.
  O ateu lê um texto meu onde há alguma crítica a religiosidade, gosta tanto que me adiciona instintivamente ... “esse cara é bom!”
  O problema é que ao me adicionar, os textos que criticam o ateísmo começam a aparecer ... “esse cara é um idiota!”

  Minha dedução é que escrevo bem, tão bem que o indivíduo ao invés de defender seu ponto de vista prefere me xingar ou excluir, lhe falta argumento.

  Entretanto “o buraco” é bem mais embaixo.
  Minhas férias foram bem produtivas, consegui publicar muitos rascunhos arquivados.
  Nada melhor que encerrar as férias com uma sequência “daquelas”, muito, muito maldita...
  O texto de ontem foi uma introdução.

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
   Espero que no futuro ocorram muito mais suicídios e mortes induzidas.
[William Robson]

  Em meditação mais profunda encontrei algo que me torna um escritor super maldito.
  Minha solidão filosófica é tão imensa que eu a chamo de “solidão sólida”.

  Em geral meus amigos mortos pregam um desapego a matéria.
  Sócrates pregava uma vida bem frugal, sem muitas posses.

  Meus “inimigos” mortos ... pregavam a mesma coisa.
  Nietzsche, Rousseau, Karl Marx ... maldiziam o consumo de “supérfluos”, a posse de propriedade.

  Eu gosto do conforto, condeno apenas o desperdício e o “consumismo” [no sentido de comprar compulsivamente]

  Gosto de ter propriedade, de tecnologia, de fartura de alimentos.
  Se o cidadão gosta de uma Ferrari e tem dinheiro para comprar ... compre o carro sem culpa.
  Desde que você ganhe o dinheiro honestamente e não gaste mais do que ganha ... para eu tá tranquilo.

  Entretanto eu também defendo o desapego a matéria, mas qual matéria?

  O “corpo físico”, a “maquina biológica” ... como queiram.
  Se você é um filósofo materialista (ateu) não deveria se apegar tanto a máquina biológica.
  Se você é um filósofo espiritualista não deveria se apegar tanto ao corpo físico.

  Na minha visão de mundo viveríamos muito melhor se aceitássemos com mais tranquilidade a morte, até porque isso é muito lógico.

  Enquanto podemos ter uma vida biológica satisfatória compensa estarmos vivos, quando a vida biológica se torna extremamente insatisfatória com probabilidade baixíssima de melhora ... para que continuar vivo!?

  Com essa visão de mundo defendo até o aborto.
  Se é para alguém nascer em um situação tão horrível que nem a própria mãe o quer ... pra que nascer!?

  Imagine você sendo mais uma daquelas crianças subnutridas que aparecem naquelas fotos dantescas, geralmente de regiões da África?
  Eu preferia não nascer.

  Evidente que que meu ideal é que casais planejem os filhos [De preferência tenham no máximo dois], sou contra o aborto diante de tantos métodos anticoncepcionais.
 Mas sem dúvida prefiro a cultura abortiva de Cuba que a paternidade irresponsável africana.

  [É aí que me chamam de “bipolar”, mas tiram a proposta do contexto.]

   Vamos ao debate:

  


 
👨 “Embora eu acredite na reencarnação, acho o suicídio algo e ser estudado, porque não acredito em sofrimento eterno, já li que o suicida não tem o "direito" de reencarnar de novo.
  Se Deus é amor, perdão, claro que ele perdoa as fraquezas humanas.
  Acredito que quando nos arrependemos de fato, somos perdoados, então começamos outra jornada!” 
[Comentarista no G+]          
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  “Focando no Cristianismo.”
  Em caso de doença altamente debilitante não consigo entender o motivo de persistirmos até o final.
  Em que isso apraz a Deus de Abraão!?
  Passar dia e noite com dor, em que melhora o meu caráter ou espirito?
  Ser um fardo pesado para minha família vai melhorar minhas chances de “salvação”?
  É dito que a salvação é um dom de Deus, não conquisto isso sofrendo em uma cama.
  Se Jesus já fez o sacrifício, em que o sacrifício da minha família vai fazer diferença?

  E quanto a Deus “perdoar fraquezas”?

  Não tenho nenhuma ilusão que se matar é fácil, se acontecer comigo sei que será um momento angustiante.
  Acredito que precisamos ser muito fortes, corajosos, para cometer o suicídio.
  Muitos não se matam por não ter essa força.
 
  Se você viveu dignamente e não há nada mais de bom a esperar dessa vida, Deus deve te dar a possibilidade de se retirar dela e viver uma outra ou ser aniquilado.

   Na hora da minha morte quero sair da vida em meu último ato de FORÇA, CORAGEM, NOBREZA.
  Vencer o MEDO.



👩  “Nem sei o que falar, meu irmão se matou ... é uma situação bem difícil, era um jovem de apenas 18 anos que desde os 16, sofria de depressão e transtorno bipolar....então, não sei o que achar!”
 [Comentarista no G+]          
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Se ele tinha graves problemas de transtorno bipolar então ... era um grande “estorvo” para quem estava a sua volta.
  Se percebeu isso em seu momento de lucidez e foi forte para se matar é louvável, muito nobre.

  Sou muito desajustado, mas não atrapalho as pessoas.
  Me isolo bastante, mas me sustento, cumpro com minhas obrigações, na maior parte do tempo fico em silêncio não causo transtorno.
 
  Entretanto eu separo o suicídio...digamos... por necessidade do suicídio por “perspectiva”.

  Tem pessoas que tem uma visão limitada da vida, só veem as coisas pelo ângulo que elas escolheram e se prendem a ele.

  Se matar por amor é bem isso.
  Por mais que você ame uma pessoa, pode se distanciar dela e aparecer um outro amor ou pelo menos perceber que a vida tem outros prazeres, enxergar outras perspectivas.

  Mas se ocorreu uma incontrolável atração, a qual você não consegue viver sem a pessoa...é melhor se matar do que assassinar alguém.

  Temos que tentar mudar a perspectiva da pessoa, mas se ela quiser mesmo desistir da vida arrumará uma maneira.

  Mesmo nesse caso não sei porque Deus não pode dar uma outra chance, precisa nos punir até depois do suicídio!

  Seu filho faz uma traquinagem e quebra o braço, você o leva ao médico ou o deixa agonizando de dor?
  A resposta para nós é fácil/obvia, para Deus deve ser também.

  Se você tinha algo importante para fazer e saiu antes do tempo... descanse um pouco, receba bons conselhos espirituais, depois volte mais preparado para enfrentar o desafio.

 Se é para pensar em algum Deus, prefira pensar em alguém justo e bom.

  Se não tiver nenhum “pós vida” e for só o fim...o suicida não queria mais existir mesmo.

  Já tive muita vontade de morrer, só queria sumir, não existir mais.
  É estranho pensar em um Deus que aprove ou queira tanto sofrimento não é mesmo?
  Desde que me conheço por gente as pessoas tentam me convencer que Deus é sádico.
  Fica colocando provações dolorosas na vida dos indivíduos.
  Trabalho em um hospital e vejo pessoas submetidas a dolorosos tratamentos que só adiam sua morte sem possibilitar uma boa qualidade de vida.
   Se um dia viver essa situação espero ter força e coragem para abreviar meu sofrimento, se algum deus não quiser...depois eu vejo.

  Um deus onipotente, onisciente, onipresente poderia tirar a minha dor, me restituir a saúde, se não fez... deduzo que de certa forma fui induzido ao suicídio, não devo ser punido por isso.

  Eu espero que no futuro ocorra muito mais suicídios ou mortes induzidas/assistidas.
  Há humanidade inevitavelmente vai ficar mais adulta, mais civilizada.
  Esse dogma que a vida pertence a algum espírito e só ele pode tirar não resiste a menor lógica.
  Quando tratamos alguém de uma doença que o levaria a morte não estamos interferindo no seu tempo de vida!?

  Em toda Bíblia “não me lembro” de nenhuma recomendação para procurarmos médicos.

  Se adoecer repouse e ore, que seja feita a vontade de Deus, é o que está na Bíblia.
 
  Não desejo sofrer nenhum acidente que me tire repentinamente da vida, pra falar a verdade não queria nem morrer ☻.
  Ficar para sempre com a aparência e disposição dos 25 anos seria algo muito bom.
  No desejo/imaginação podemos tudo, a realidade não é muito elástica.

  Se nenhum acidente ocorrer a lógica me diz que cometerei suicídio por debilidade física.
  Tenho tudo mais ou menos planejado.
  Não deixarei carta de despedida, todos que me conhecem já sabem meus motivos, minha “visão de mundo”.
  Se tiver algum órgão ainda aproveitável que seja doado.
  Quero ser cremado então deixarei tudo pago, acertado.
  Prefiro morrer dormindo ... humm melhor não dar detalhes, há muitas mentes frágeis.

  Ligarei meu MP3, um bom fone de ouvido ...

  Cheguei chorando sairei cantando e dançando, foi bom, uma experiência fascinante.

  Adeus pessoas amadas, irmãos de humanidade ou ... até a próxima ... fui!






--------------------------------------------------------------------------

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Suicídio

  “Existe apenas um problema filosófico realmente sério, o suicídio.
   Julgar se vale a pena viver ou não, significa responder a questão fundamental da Filosofia.”
[Albert Camus]

  Não acho que seja uma questão fundamental da "Filosofia Geral" (aquela que você analisa a vida holisticamente) tenho como uma decisão fundamental pessoal. (Filosofia Pessoal)

  Filosoficamente não faz sentido viver em condições físicas muito precárias.

  Seja por doença, seja por situação muito difícil de sobrevivência ... fome, tortura, prisão ...

  A Filosofia não tem como ser contra o suicídio, é uma decisão pessoal que na maioria das vezes é a melhor.

  Vou analisar duas questões pessoais.

1 - ESPERANÇA.

  Com base em FATOS, quanto você acredita que pode melhorar suas condições de vida?
  Isso varia infinitamente de pessoa para pessoa.
  A variável complicada é a “ilusão”.
  O indivíduo deturpa os fatos.
  Exemplo rápido:
  Um cidadão depois de anos lutando contra o vício em drogas, já perdeu tudo, vive na rua, faz mal as pessoas praticando furtos é um transtorno para família.
  Diante desses fatos o suicídio é a melhor decisão.

  Entretanto o indivíduo se apega a outro fato.
  Muitos que quiseram realmente deixar o vício em drogas conseguiram.
  Sem dúvida é um fato inquestionável.
  Acontece que estamos falando de um indivíduo que já tentou a reabilitação várias vezes e agora está no fundo do poço.
  É difícil saber onde termina a esperança e começa a ilusão.

  “Minha regra geral” é que quando acaba a esperança o suicídio é a melhor opção.

  Aquela situação a qual você não encontra mais razão para viver.    
  Continuar vivo vai trazer muita dor e sofrimento pra você ou aos que estão a sua volta.

  Você não concorda que o suicídio seja a melhor opção, nesse caso das drogas em que o cidadão visivelmente não tem controle?
  Saudações democráticas, mas...

  “Mais de 60% dos assassinatos ocorridos no Brasil em 2010 tiveram qualquer tipo de ligação com o tráfico de drogas, o número aumenta ainda mais, se excluirmos as mortes e destacarmos apenas os crimes convencionais, como roubos e furtos,eleva o número para mais de 80%.”

  É, o cidadão continua provocando colapsos familiares, e provocando o mal em inúmeras pessoas, inclusive o assassinato.
  Eu particularmente recebo com certo alivio quando um drogado problemático morre por over dose.
  Se comete suicídio ... eu respeito sua decisão.

2 - IDEOLOGIA

  A “crença” do indivíduo é o que mais interfere na sua visão do suicídio.

  “Seguidores de crenças têm taxas mais baixas de suicídio que ateus”.
  
   A maioria das religiões são contra o suicídio, vou seguir por essa meditação vamos focar no Cristianismo.

  “Não lembro” de ter lido na Bíblia nenhuma advertência direta contra o suicídio. ​​
  Os teólogos decidiram que o suicídio é um grande pecado, mas suas bases são muito subjetivas.

  Não matarás é o mesmo que NÃO SE matarás? 

 “Vai, pois, agora e fere a Amaleque; e destrói totalmente a tudo o que tiver, e não lhe perdoes; porém matarás desde o homem até à mulher, desde os meninos até aos de peito, desde os bois até às ovelhas, e desde os camelos até aos jumentos.”

  Leio muitas críticas a Saul por ter praticado suicídio e muita exaltação a Davi por ter cometido muitos assassinatos!
  Lembremos que Davi nasceu muito depois de Moisés.
  Pra você que não lê a Bíblia...
  Moisés foi o cara que esteve na presença do Deus de Abraão e trouxe os Dez Mandamentos cujo o quinto é NÃO MATAR.
  Deus dá um mandamento e ele mesmo contradiz essa lei!

  Pastores e padres dizem que o suicídio é um “auto assassinato”
  O que vai contra nossos dicionários.
   [Assassinato: Ação ou efeito de assassinar; ação de assassinar (matar) uma outra pessoa.]

  A IDEOLOGIA “cria” conceitos e o “crente” não pode pensar/questionar.
  É isso, se você não aceitar vai para os quintos dos infernos...

  Aceito as coisas que fazem sentido, para verificar se faz sentido eu preciso pensar...
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
A vida a Deus pertence.

   Porque não posso devolver a ele se está insuportável!?

  De repente voltamos para aqueles questionamentos básico a respeito da doutrina/ideologia cristã.
  Se Deus está no controle de tudo poderia fazer com que só ótimos governantes fossem eleitos, isso eliminaria as guerras, fome, condições precárias de vida.
  Da mesma forma vírus nocivos poderiam desaparecer da Terra, não ficaríamos doentes.
  Drogas de todo tipo não vieram de outro mundo, foram criados nesse.
  As plantas que formam a maconha, opio, cocaína, álcool, fumo ... não foram criadas por Deus?
  Quem mais tem o poder da “criação”?
  Nós humanos, Lúcifer?
 
  O objetivo desse texto é você entender que “caso” deus/espíritos existam NÃO dá para afirmar o que acontece com um suicida no “pós morte”.

  Tudo não passa de suposições dos antigos propagada por lideres religiosos.





Vamos a um caso prático:

  "Marcelo Rezende fala sobre morte e diz que acredita em cura divina."

  A Filosofia MATEMÁTICA (Ciência) diz que o câncer em Marcelo é muito agressivo, possibilidade de cura ... menos de 5%.
  Os fatos dizem que Marcelo vai morrer, não podemos nem falar em esperança.
  A ideologia de Marcelo o induz a Fé e esta é uma expectativa positiva contra todos os fatos...
  Se ele se curar, realmente pode ser considerado um milagre, uma intervenção espiritual.

  No caso dele “EU” já teria perdido a esperança e o suicídio seria uma boa decisão.
  Geralmente o tratamento de câncer em si é muito dolorido, o câncer dói ainda mais.
  Em estágio avançado são ministrados anestésico fortíssimos que em muitos casos ainda não são suficientes.
 Trabalho em um hospital “vivencio” o que estou escrevendo.

  Marcelo Rezende tem dinheiro, eu não.
  O meu sofrimento seria multiplicado várias vezes.
  E minha família?
  Sem dinheiro para contratar auxiliares minha esposa e filhas ficariam com todo peso do meu tratamento.
  Um desgaste enorme em um “jogo” que eu teria apenas 5% de chances de “sobreviver”.
  Em se tratando de câncer a “reincidência” não pode ser descartada, graves sequelas também não.

  Marcelo Rezende tem 65 anos, hoje em dia uma pessoa “saudável” com essa idade pode produzir muita coisa, os trabalhos não exigem grande esforço físico graças a tecnologia.
  Silvio Santos tem 86.
  Abílio Diniz 80.

  A palavra-chave é “saudável”.
  Depois dos 60 as recuperações do organismo se tornam muito lentas.

  Se eu estivesse fisicamente na situação de Marcelo Rezende e na minha situação econômica ... uns comprimidinhos para dormir eternamente viriam bem a calhar.

  Eu consideraria o suicídio um ato nobre da minha parte.
  Me poupar de uma dor desnecessária e evitar um enorme sofrimento para minha família.

  “Obrigado” Deus pelo “presente”, mas eu não sirvo mais nele ...


  (Se o Senhor está chateado ... imagine eu velho e doente. 😩)


----------------------------------------------------------------------------------------

domingo, 25 de junho de 2017

Fascismo

 Fascismo foi o nome dado a DITADURA de Mussolini na Itália.

  "Tudo dentro do Estado, nada contra o Estado, nada fora do Estado."
[Benito Mussolini]

  


 Não entendo porque essa palavra chegou com tanta força aos nossos dias! 😱

 Desafia qualquer lógica...

  Nazismo foi o nome dado a DITADURA de Hitler na Alemanha.

  Stalinismo foi o nome dado a DITADURA de Stalin na Rússia.
       

  COMUNISMO, no tempo de Hitler e Mussolini, passou a ser “sinônimo” de “Stalinismo”.

  A Rússia fez sua revolução Comunista em 1917 sob o comando de Lenin que morreu em 1924.
  Stalin assumiu com plenos poderes e podemos dizer que a Rússia "cresceu" para "países satélites".

  Comunismo/Rússia/Stalin
  ficou algo como
  Petismo/Corrupção /Lula

  Quando você ler que fascistas e nazistas combatiam comunistas entenda que:

  Fascistas e nazistas combatiam o avanço do domínio russo na Europa, combatiam o STALINISMO.



Você sabe o que é Fascismo?

  Fascismo é uma forma de radicalismo político autoritário nacionalista que ganhou destaque no início do século XX na Europa.

  Os fascistas procuravam unificar sua nação através de um ESTADO TOTALITÁRIO que promove a vigilância, um estado forte, a mobilização em massa da comunidade nacional, CONFIANDO EM UM PARTIDO de vanguarda para iniciar uma revolução e organizar a nação em princípios fascistas.

  Observem que o Fascismo prega uma Intervenção máxima do Estado, coisa radicalmente contraria ao pensamento de DIREITA que prega intervenção mínima do Estado.

  Fascistas e Nazistas permitiam a propriedade privada, mas por uma questão de praticidade.
  São movimentos que surgiram bem depois da Revolução Industrial ocorrida na Capitalista Inglaterra.
  A Revolução Industrial tornou a economia muito farta e complexa, a produção de bens e serviços multiplicou exponencialmente.

  Não dá para o ditador e sua equipe serem entendidos em tudo, da plantação de tomate até a fabricação de aviões.
  Colocar gente de “total confiança” em cada pequena empresa ficou impraticável.
  Estamos falando de grandes cidades não de algumas aldeias.

  Fascistas, Nazistas, Stalinista optaram por colocar gente de total confiança nas empresas que consideravam “estratégicas”.

  Todas as outras empresas/propriedades ficavam com “empreendedores.”
  Enquanto produziam e pagavam impostos não tinha problema.
  Mas se falassem contra o regime seus bens seriam confiscados, a empresa era fechada ou entregue a algum “patriota”.

  Assim, o controle de toda mídia era essencial, imprensa livre nem pensar.

  Também foi essencial criar grupos de repressão, espiões do Governo que se infiltravam nas comunidades e relatavam ações/comentários que questionavam o regime.

  Quando as nações capitalistas entram nessa “novela”?

  Resumindo ao mínimo possível...

  A França já era dominada por uma ideologia “esquerdista”.
  Eles praticamente capitularam diante do avanço nazista.

  O caldo entornou com os ingleses, esses tem raízes “capitalistas” muito profundas.
  Não queriam nada com Stalin, Hitler ou Mussolini.

  Os americanos se mantiveram distantes, o problema era da Europa.
  Winston Churchill pedia insistentemente ajuda, mas o Estados Unidos achavam melhor não se envolver ... politicamente.



  Empresarialmente os americanos se envolveram e muito.
  Seus cidadãos são livres, não havia uma política de Estado proibindo a IBM de ter negócios com os nazistas (só um exemplo entre tantos).

  O caldo entornou quando ocorreu o ataque japonês a Pearl Harbor.
  O ataque danificou ou destruiu 21 navios e 347 aviões, matando cerca de 2403 pessoas e ferindo outras 1178.






-------------------------------------------------------------------------------------------------





sábado, 24 de junho de 2017

Watchman

“Deuses” existirem não é impossível, impossível é a “ideia” que temos deles.
[William Robson]



  Esse filme foi para tela em 2009, só assisti em 2016.
  Não sabia da existência dele, de certo ficou em cartaz no cinema, mas não foi um grande sucesso.

  Na minha caça a filmes na TV a cabo devo ter lido a sinopse e não me interessei.
  Tinha a palavra “super heróis” pensei logo naquele tipo de filme “infantilóide” com personagens da Marvel.

  Outro dia zapeando no controle remoto tropecei no filme.
  Ouvi um diálogo intrigante, tão com a cara da Filosofia Matemática que me interessei pelo filme.

  Daria para escrever uns 10 textos, as provocações são muitas.
  O coloco no mesmo nível de Jornada nas Estrelas, Star Wars, Exterminador, Matrix.

  A principal provocação é:

  Como seria o surgimento de um Deus?

  Eu teorizo que a matéria sempre existiu.

  Em algum momento, com as trilhões de interações nesse Universo infinito, a vida surgiu.

  Substitua “argila” por matéria inorgânica, e “homem” por matéria orgânica e ficamos com uma equação interessante.

  “O homem foi feito da argila.”

A matéria orgânica foi feita da matéria inorgânica.

  As possibilidades são infinitas.
  Aqui na Terra temos as mais variadas espécies com vidas baseadas em carbono e DNA.
  Essa base produziu seres inteligentes, nós humanos [com um QI médio de 100] nos achamos o ápice da evolução.

  E se surgirem humanos ou outra espécie com QI 300?

  No filme vemos o surgimento de uma inteligência muito superior, porém é um acidente único.
  O cientista fica preso em um experimento, recebe alta dose de radiação.
  A base de seu corpo muda e sua inteligência aumenta exponencialmente.
  Surge o Doutor Manhattan.



  Manhattan era muito poderoso podia inclusive ver o futuro com uma considerável precisão, vamos seguir por esse caminho...
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Todos nós somos capazes de prever alguma coisa, antecipar mentalmente um resultado, uma consequência.

  É o que eu chamo de “sequência de eventos”.

  Você coloca uma panela com água no fogão, liga o fogo.
  Sabemos o que irá acontecer.
  A água vai esquentar, depois ferver, evaporar, a panela vai derreter e se tiver algo próximo ao fogão que propague fogo um incêndio pode acontecer.

  Observe que até o derretimento da panela “o futuro” é bem previsível depois disso aparece o “se”.

  Prever o futuro está ligado ao conhecimento e informações que você tem.
  A nossa meteorologia prevê o clima assim.
  Conhecemos as consequências de cada variável e super computadores nos fornecem o máximo de variáveis (informações) possíveis.

  Manhattan conseguia ser “onipresente” desdobrar sua consciência em vários corpos e se desdobrar em vários corpos.
  Em uma cena ele está transando com a mocinha no quarto ao mesmo tempo que está aperfeiçoando um equipamento em seu laboratório.

  Como uma super mente entende tudo de sexo e demais funções biológicas, ele estava proporcionando grande prazer a moça.
  Acontece que ela descobriu que ele estava em dois lugares ao mesmo tempo e não gostou nada daquilo.
  Quis discutir a relação.

  Com quem ela estava transando de fato, com o original ou cópia?

  Como Manhattan poderia explicar que não havia cópia, tudo era ele…
  Eu William, tenho um comportamento no trabalho, sou bem mais formal.
  Em casa sou mais descontraído.
  Se eu me desdobrasse em dois corpos no trabalho eu continuaria formal em casa continuaria descontraído … qual seria a cópia?
  Qual dos dois “willians” não seria eu!?

  Para nós que não conseguimos desdobrar nossa consciência em corpos é algo difícil até de imaginar, mas porque seria impossível?

  O fato é que Manhattan tinha essa habilidade e isso lhe proporcionava conhecimento e processamento de milhões de variáveis possibilitando que ele antecipasse boa parte do futuro.

  Notaram o surgimento de um “deus”?

  Temos um Manhattan onipresente, onisciente, mas ele não é perfeito nem onipotente.
  Sua onipresença e onisciência não é ilimitada, tanto que ele é manipulado no filme.

  E aqui surge outra grande provocação desse ótimo filme.

  Não sei porque imaginamos que alguém muito inteligente se transforma em um ser hiper racional.

  Para sermos 100% racionais temos que ser 0% emocionais.
  Será que isso é possível?
  Para Manhattan não era.
  Ele amava sua primeira companheira, mas começou a se interessar por outra.



  Ele chegou à conclusão que as duas mulheres eram maravilhosas, mas a segunda era mais nova, estava no ápice da beleza.
  Manhattan era muito atraído pela beleza.

  Em uma cena muito impactante a mulher que ele estava deixando gritou com ele.

  “Você está me deixando porque estou ficando velha é isso?”

  Ele não disse nada, sabia das consequências, mas no filme podemos ouvir seu pensamento.

  Sim, é isso.

   Ele não envelhecia.
   Imagine se sua esposa não envelhecesse, ficasse para sempre com o frescor dos 20 anos.
   Por quanto tempo ela suportaria vê-lo envelhecer?
   Envelhecer juntos é uma coisa, só um envelhecer é outra muito diferente, um outro mundo...

  Como alguém pode ser perfeito se tem sentimentos?
 
  Não dá.
  Você sempre acaba se apegando a alguma coisa ignorando a razão.

  A racionalidade plena é a perfeição?
  Não.
  Em muitos filmes vemos que androides muito sofisticados acabam desenvolvendo sentimentos.
  Calma, não estou me baseando em filmes como “prova” de nada, apenas acompanho uma dedução lógica.
  Sigam-me os bons

  Um Androide consciente inevitavelmente vai querer se manter vivo/funcionando e isso já é um sentimento.
  Que outros sentimentos virão depois?
  Ficar mais forte, poderoso, indestrutível.

  É evidente que se androides não tem canais lacrimais nem água em seu interior não irão chorar.
  Se não tem motores e fios para provocar alguma expressão facial não vamos ver alguma emoção ao olharmos para eles.
  Mas ...

  Uma vez com consciências independentes, terão vontades independentes.

  Fica claro que um ser consciente para se manter vivo tem que ter uma razão para viver, um objetivo, esse objetivo quem confere são os sentimentos/emoção.

  Razão a 100% nos conduziria a aniquilação porque não existe nada mais racional que a morte, a não existência. 
  Pense bem, se você não tem sentimento não tem prazer, tudo é tanto fez e tanto faz.

  Se nada lhe interessa, nada lhe importa, para que existir!?



  Vou tentar outra ilustração.

  Eu sei que preciso de 2 mil calorias para me manter vivo, fazendo coisa básicas.
  Eu cientificamente desenvolvo um suco ou pílulas com todos os nutrientes que preciso e consumo 1 litro diário de água.
  Se eu não tenho sentimento, não tenho nenhum prazer em nada, faço apenas o que é preciso fazer.
  Eu durmo, acordo, tomo minha pílulas, bebo a água, faço meus deveres sociais, durmo, tomo minhas pílulas, faço meus deveres sociais, durmo…
  Não tenho um objetivo, não tenho uma vontade, não tenho um plano.
  E fácil concluir que deixar de existir é o mais lógico a fazer.
  Viver pra quê!?

Manhattan passou a admirar a beleza das coisas.
  Embora a espécie humana seja fascinante nossa limitação lógica passou a entedia-lo, decidiu se afastar do convívio humano e explorar o Universo.

  Manhattan optou por nos acompanhar de longe, só intervindo em questões muito complicadas.
  Deixando (quem sabe) que nós atinjamos por nós mesmos uma grande evolução.
  Essa evolução mental cultural tem que vir por nós mesmos, por nossa vontade.
  Cada um de nós tem que ver a beleza da paz, harmonia da evolução tecnológica.

  Muitos perguntam:

  Se deuses/espíritos existem porque não se apresentam em rede nacional, exibem seus poderes?

  Qual conhecimento você tem dessas outras formas de vida?
  Qual a base para acreditar que os padrões da “nossa dimensão” se aplicam em outra?

  [Está complicado né?
  Sabia que seria, por isso esse texto está no arquivo há meses.]

  Vamos a uma ilustração.

  Porque o professor não dá a prova já com os resultados para os alunos?
  Pelo motivo óbvio do “aprendizado” não ocorrer.

  Porque o professor simplesmente não estala os dedos e os alunos passam a ter todo nosso conhecimento acumulado?
  Porque o professor NÃO tem esse poder.


  “Deuses” existirem não é impossível, impossível é a ideia que temos deles.
  Sempre existiram, criaram toda matéria, toda vida, são perfeitos, onipresentes, oniscientes, onipotentes ... ufa!

  Precisamos ser menos infantis e evoluir.

  Talvez estejamos nessa dimensão aprendendo a sermos entidades espirituais.

  Nenhum deus tem poder para introduzir uma grande evolução mental em um estalar de dedos.

  Você terá que fazer sua parte, buscar a beleza.

    Fique com Deus!


  Alcançar a “Iluminação” é entender que todos somos espíritos com potencial para sermos muito evoluídos (deuses).
 O caminho é longo, sem fim.
 Felicidade não existe, só o caminho.
 Trilha-lo com eficiência/sabedoria ... que BONITO!


 Na eterna busca pela “verdade” somos premiados com a BELEZA.


-----------------------------------------------------------------------

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Qualidade da Imigração

   “Maternidades atendem cada vez mais gestantes refugiadas e imigrantes.”




  Grávida de nove meses, Kiazadioko Ngiezi, 29 anos, deixou o norte de Angola, cruzou o Atlântico de avião rumo a São Paulo em março de 2016.

  Vivendo na miséria a mulher não estava, passagens de avião custam caro em qualquer lugar do mundo, em Angola não é diferente.

Em 15 de março deu à luz Ebenezer Sangi Izabel, em um parto normal.
  “O atendimento foi muito bom e não houve nenhum problema com que me preocupar”, diz ela.

  Nada a se preocupar, nem a pagar.
  Ela nunca contribui com o SUS nem pagou IR no Brasil.

  Depois brasileiros perguntam para onde vai o dinheiro dos impostos ... acreditam que todo dinheiro que falta é desviado pela corrupção, mas não é bem assim.
  Combater desvios deve ser uma constante entretanto os maiores rombos são causados pela má administração e “estranhas prioridades”.


Como não têm residência fixa, a menina e a mãe ficarão hospedadas em um centro de acolhida, amparadas por médicos e assistentes sociais. 
  Elas podem ficar por lá até setembro. “Quero trabalhar com estética e criar Ebenezer aqui”, sonha. “Vim sem ter a mínima ideia do que iria encontrar, mas certamente as condições são melhores do que no meu país.”

 Observem que a preocupação em melhorar o próprio país é nenhuma, a solução para muitos imigrantes é “invadir” povos melhor organizados, mesmo que minimamente no caso do Brasil.

  Não tenho notícias de Angola estar em guerra como a Síria ou ter sofrido uma grande catástrofe igual a ocorrida no Haiti.
  
  Islâmicos vivem se matando há século, Xiitas contra Sunitas.
  Ao invés de entrarem em um acordo [como católicos e protestantes] invadem países europeus...

  Haitianos sofreram um forte terremoto igual Chile e Japão, isso foi em 2010!
  Até agora não se recuperaram, são de uma incompetência atroz.
  O chile fica aqui do lado e não somos invadidos por chilenos.

  Sei, sei já estão me taxando de xenófobo.
  Mas digo que não sou contra a imigração, apenas defendo que no “presente da humanidade” (Já somos 7 Bilhões) precisamos nos preocupar com a qualidade da imigração.

Ter um filho nascido aqui agiliza o processo que as famílias do exterior enfrentam para regularizar sua situação.
   Com o registro civil em mãos (feito agora no próprio hospital), as estrangeiras ganham salvo-conduto para não ser deportadas.

  Entenderam o porquê de tantas crianças?

  Se a mulher vem para o Brasil grávida não pode ser deportada, muito pelo contrário, vai receber todo apoio que por vezes falta a nossas próprias “mães solteiras”.
 
  Essas estrangeiras usam a gravidez como salvo conduto em nosso país.
  Como as crianças nascem sem pai, tem só a mãe para sustenta-las, claro que essa infância será de dificuldades em 99% das vezes.
  Sim, precisam de creches ... mais dinheiro dos nossos impostos.
  Crianças criadas em situações tão adversas são muito suscetíveis a criminalidade, elas nasceram aqui, qual Sociedade elas irão culpar?
  A única que conhecem, a “sociedade opressora burguesa brasileira.”

  Vou ficando por aqui, escrever esse tipo de texto me deprime muito.

  Uma Cultura precária como a nossa, recebendo culturas mais precárias que a nossa. 😩

 O Brasil é uma festa, venham mães solteiras de todos os países que não elegem bons governantes.
 Pessoas que só querem revirar o zóinho e depois invadir algum povo mais civilizado ou ... menos selvagem.

  Tudo está tão politicamente correto que parece errado.





  “A pobreza não é, necessariamente, vergonhosa.
   Mas há muito pobre sem vergonha.”



---------------------------------------------------------------------------------