sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Dicionário Engajado

  Dizemos que alguém é engajado quando adere ideologicamente a uma causa.

  Dicionários são feitos por pessoas, elas podem ser engajadas em qualquer causa, vivemos em um país livre, o problema é quando elas levam esse engajamento para os dicionários.
  Infelizmente é algo que tenho observado atualmente.

  Até pouco tempo atrás os dicionários eram bem confiáveis.
  Conseguíamos uma boa definição sobre o significado das palavras, os dicionários eram mais “científicos” ... no sentido de uma pesquisa séria com o máximo de isenção possível respeitando as observações empíricas.

  Os dicionários se sustentavam em duas bases.
  A origem da palavra no latim (língua base de nosso idioma) ou de onde ela supostamente surgiu.
  Uma palavra indígena que foi assimilada ao cotidiano, uma palavra estrangeira que começou a ser usada.

  Exemplo rápido e atual.​​

  A palavra “deletar” não existia na língua portuguesa.
  Se você procurar em dicionários de 15 anos atrás não vai encontrar.
  Com o aumento do uso de computadores e a tecla “delete” nós brasileiros começamos usar a palavra delete como apagar.
  Ficou algo tão corrente que criamos o verbo deletar.

  Um dicionário “atualizado sério/cientifico” vai registrar a origem dessa palavra no inglês e o aportuguesamento dela dando o significado de apagar.
  Um dicionário “atualizado engajado” vai ignorar essa palavra por considera-la um “estrangeirismo”, uma concessão ao “imperialismo inglês/americano”.

  Vejam bem que os dicionários eram confiáveis porque traziam uma pesquisa sobre a origem da palavra e como ela se transformou/adaptou na linguagem corrente, nas conversas sociais.
  Delete NÃO passou por uma transformação além das conjugações verbais.
  Delete significa apagar em inglês e manteve seu significado no português.
  Vamos ao que provocou esse texto.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Hoje em dia alguns decidem qual significado a palavra vai ter e atualizam os dicionários segundo suas ideologias.

  Veja o caso do sufixo ismo.

Homossexualismo era definido assim:

Substantivo masculino
1 - Prática de relação amorosa e/ou sexual entre indivíduos do mesmo sexo.
2 - HOMOSSEXUALIDADE.


Está sendo “atualizado” assim:

Homossexualismo -  Termo em desuso que costumava definir a relação afetiva e amorosa entre pessoas de mesmo sexo como uma doença (através do sufixo "ismo").
  Hoje em dia o termo correto é homoafetividade ou Homosexualidade.

"Homossexualismo não é crime"



  O termo “homossexualismo” está em desuso!?
  Nosso povo em geral é tão culto que “sabe” que o sufixo “ismo” se refere a doença.
  Ateísmo, cristianismo, islamismo, budismo, feminismo ... são doenças!?
  Chega a ser hilário.
  No final é colocado a frase:
                                                    
  "Homossexualismo não é crime"

  Caraca!
  Seguindo a definição desse dicionário a palavra homossexualismo nem existe mais (ou vai desaparecer).
  Se o termo homossexualismo se refere a uma “doença” que não existe ... o próprio termo vai para o “museu das palavras”, sai do nosso cotidiano.
  Se o termo está tão em desuso porque foi usado na frase final!?
  O certo seria:
  “Homossexualidade não é crime”.

  Fica absolutamente claro o engajamento contaminando nossos dicionários.

  Agora como as consultas são online, nossas crianças e adolescentes ao pesquisarem vão encontrar uma verdadeira lavagem cerebral “progressista”.
  Ficou muito fácil atualizar dicionários segundo uma ideologia.
  E não adianta procurar em outros sites, acontece uma contaminação do “politicamente correto”.
  Quem se atrever a ser “didático/cientifico” é taxado de reacionário, retrógrado, coxinha, neoliberal...

  Algum grupo decidiu que o sufixo “ismo” se refere necessariamente a doença.
  Então estamos proibidos de escrever homossexualismo porque estamos necessariamente classificando a homossexualidade como doença.
  Estamos ofendendo os "homoafetivos."

  Adquira conhecimento:

  “O sufixo de origem grega ‘ismo’, além de denotar “condição patológica”, é o mesmo que usamos para indicar “doutrina, escola, teoria ou princípio artístico, filosófico, político ou religioso”; “ato, prática ou resultado”; “peculiaridade”; “ação, conduta, hábito, ou qualidade característica”.
  Como se vê, o termo homossexualismo pode soar inocente e até positivo, como turismo, patriotismo, lirismo, escotismo etc”


  Na origem do sufixo não vemos que ele se refere necessariamente a doença, mas o politicamente correto não se importa com a origem das palavras.

  E na linguagem corrente?
  No meu cotidiano aqui em Campinas as pessoas entendem (corretamente) a palavra como o namoro entre duas pessoas do mesmo sexo. 
  Nos meus debates na Internet com o Brasil inteiro em geral as pessoas usam a palavra homossexualismo como sinônimo de comportamento homossexual.

  Percebam que estão atualizando os dicionários online segundo o “desejo” de uma minoria.

  Não tem a ver com a origem da palavra, com o linguajar e nem entendimento corrente.

  É o dicionário usado não para registrar o uso de um verbete, mas engajado em uma causa ideológica.
😞











---------------------------------------------------------------------------------------- 😞



sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Estatísticas

 “Muitos usam a estatística como os bêbados usam postes, mais para apoio do que para iluminação.”
 [Andrew Lang]

  Gosto de ler dados estatísticos, são mais confiáveis que a “psicologia” ... o que não é um grande feito

   


  Estava lendo uma matéria na Veja sobre a morte de policiais no Rio de Janeiro.
  Foram 97 mortos em 2017 ...até Agosto!
  Toda reportagem gira em torno desse número, realmente é uma tragédia.
  Aqui no Blog gosto de ir nas entrelinhas que ninguém lê.
  Lá no meio da reportagem tem o número de pessoas mortas pela polícia do Rio, cerca de 500 pessoas!!
  Gente, gente, gente é uma situação de guerra civil.

  Evidente que no meio desses 500 civis mortos há gente inocente que estava no lugar errado na hora errada.
  Porém acredito (quero acreditar) que 99% realmente sejam bandidos que entraram em confronto com a polícia e felizmente levaram a pior.

  Boa parte dos brasileiros são contra a pena de morte sem perceber que ela é aplicada de maneira selvagem no Brasil.

  Se a pena de morte fosse aplicada de maneira civilizada contribuiria para redução da criminalidade no Brasil?
  Aposto que sim.
  Com ela eliminaríamos os generais, aqueles que (dentro das prisões) comandam a guerra civil contra a Sociedade de bem. 
  Isso é uma tática básica de guerra, tentar atingir a liderança do exército inimigo, a cabeça.
  Imaginem a segurança super reforçada do líder da Coréia do Norte ou do nosso vizinho Nicolas Maduro.
  Imaginem a segurança em torno de Trump ou Putin.
  Todo tipo de organização tem uma cúpula ditando a direção (boa ou má).
  Eliminar a cúpula não elimina necessariamente a organização, mas a desarticula bastante.
  Eliminar um general da bandidagem evita que eliminemos 500 soldados do tráfico.
  Se Hitler tivesse sido morto em 1940, dificilmente teríamos uma guerra mundial que se estendesse até 1945.
  Comando Vermelho ou PCC seriam tão articulados se sistematicamente, por motivos legais, eliminássemos seus líderes?
  O exército de bandidos que promove essa guerra civil estaria tão poderoso?
  Minha aposta é que não.
 
  Paralelo a isso precisamos construir presídios, pelo menos 2 milhões de vagas.
  Para uma população de mais de 200 milhões é uma projeção bastante otimista.
  Prenderíamos menos de 1% da população.
  Hoje as vagas em presídios não chegam a 700 mil.

  Tudo isso foram só preliminares, vaselina, a provocação desse texto começa agora, vou colocar a cabecinha pra pensar.

  Vamos audaciosamente onde nenhuma mente jamais esteve ...
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  COTAS:  “Passados quinze anos do empurrão inicial e cinco da obrigatoriedade por lei, as previsões catastróficas não se confirmaram, e o balanço é mais positivo do que se imaginava.”

  Na revista Veja li outra matéria exaltando o sucesso da adoção das cotas no Brasil.
  Mostrou pessoas que graças a ter frequentado uma Universidade melhoram bastante de vida.
  Sem sistema de cotas as boas oportunidades não teriam surgido para elas.
  No final só falta a reportagem escrever em letras garrafais uma mensagem as pessoas que iguais a mim são contra as cotas.

CHUPEM SEUS REACIONÁRIOS!

   Antes de prosseguir deixo claro que aceito cotas em Universidades públicas para pessoas que estudaram em escolas públicas até o máximo de 50% das vagas.
   Fora disso não consigo defender argumentativamente nenhum outro tipo de cota. ​​
   Seria mais ou menos assim, só para visualização.
   50% das vagas ficariam com os melhores classificados independente de qualquer coisa.
  A outra metade seria reservada para os melhores classificados da escola pública.

  Acompanhem meu raciocínio, vamos a uma Filosofia Matemática.

  Cursos universitários custam caro por isso, com raras exceções no mundo, quem pode pagar, paga mesmo em universidades públicas, até na China é assim.

  Nos países mais “civilizados” o aluno esforçado, talentoso que através do mérito tem boa pontuação consegue bolsa de estudos na medida da sua necessidade.

  No Brasil não, universidade pública é sinônimo de universidade “grátis” [paga pela sociedade].
  Com isso o número de vagas fica ainda mais limitado uma vez que depende diretamente da arrecadação de impostos.
  Vamos trabalhar com números bem reduzidos para facilitar a visualização.

  Temos 100 vagas anuais em nossas universidades públicas e 500 pessoas dispostas a cursa-las.

  Não tem jeito, 400 terão que tentar no próximo ano.

  É colocado uma cota racial.
  30% das vagas são separadas para cor de pele.

  No geral a vaga por mérito é reduzida para 70.

  O garoto branco, esforçado, competente tinha em disputa 100 vagas agora tem 70.
  As coisas ficaram bem mais difíceis para ele.

  O garoto conseguiu a colocação de número 80 o que lhe daria direito a vaga, mas um índio ou negro que foi menos bem no teste vai ficar com ela.
  As variáveis são muitas, mas para nossa meditação vamos dizer que 15 bons alunos brancos e pobres perderam a vaga só por sua cor de pele.

  Preste atenção na minha pergunta:

  Quem está entrevistando esses garotos brancos excluídos ou os familiares deles?

  Depois de 2 anos de tentativa sem sucesso e altos gastos essas pessoas podem desistir de cursar uma faculdade.

  A garota branca que sonhava em cursar medicina vai continuar balconista.

  O garoto branco que sonhava em ser engenheiro, vai continuar repositor de supermercado.

  O “loirinho” diante de tanta dificuldade pode seguir pelo caminho “mais fácil” da criminalidade.

  Veja bem, 15 estudantes pobres brancos foram melhor no teste, mas tiveram seu “destino” alterado em nome de uma “dívida histórica”.

  Quem tem 18 anos (2017) nasceu em 1999.
  Lembremos que a abolição dos escravos ocorreu em 1888.
  O jovem branco está sendo penalizado por uma situação ocorrida 1 século antes do seu nascimento!

  Lembremos também que a escravidão não foi uma “invenção” brasileira nem portuguesa.
  Africanos tinham essa cultura, árabes tinham essa cultura ... o hebreu Abraão tinha escravos com a benção do Deus Bíblico.

  Nós brasileiros poderíamos simplesmente corrigir a ineficiência cultural do passado, mas “inteligentíssimos” queremos criar sistemas de “compensação”.

  O bisneto pagando pelas “falhas” do bisavô!
  (Certas meditações me dão vontade de chorar.)

  A matéria alardeia estatisticamente que quem ganhou um benefício indevido está melhor...
  Como poderia ser diferente!?
  Minha filha por ter pai negro estuda medicina de graça.
  O filho do vizinho por ser branco perde a vaga na Universidade.

  Daqui 5 anos minha filha é médica formada pela Unicamp e o filho do meu vizinho ... quem se importa com ele, quem vai ser o chato de colocá-lo em alguma estatística reacionária?


 Essas são colegas de trabalho, Nitty e Alessandra.

  A revista Veja colocou muitos rostos em suas “estatísticas” eu também quis colocar um na minha.
  Alessandra é pobre, tem um filho adolescente, quando a mídia vai entrevistar seu filho branco e pobre sobre o sucesso das cotas?
😞




Textos complementares:

Ser Conservador



Homens Meninos do Rio


História NÃO Contada na Escola


Complexo de Vira-Lata


Universidade Paga



-------------------------------------------------------------------------


quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Vicentinos

  Será que é tão importante fazer caridade só pensando em Deus?


 👨 “Se um indivíduo pratica sua caridade visando retirar proveito, esperando com isso ganhar um estado de pureza, será que perante Deus isso tem valia?”
[E-mail]
▬▬▬▬▬▬▬
  Sei lá! 
  Tive uma infância muito pobre e muitas vezes só comia alguma coisa porque os “Vicentinos” (um movimento de caridade católico) davam para minha mãe uma cesta básica.
  Eram só gêneros de primeiríssima necessidade, arroz, feijão, açúcar...
  Não sei qual a intenção das pessoas que contribuíam, nunca nem cheguei a conhecer nenhuma, minha barriguinha infantil só queria tapar aquele buraco no estômago.
  Se eles agradavam ou não a Deus, não sei, a comida que eles davam me agradava.
  Sei o que é fome e agradeço até ao mais vaidoso que deu alguma coisa a minha família.
  Não me importa se foi só para se destacar diante de algum grupo.

  Palavras bonitas não enchem o estômago não aquecem o corpo, não protegem do relento.

  Não tenho esperança de ir para algum céu [Caso o que esteja na Bíblica tenha alguma validade]

  Mas desejo de todo coração que mesmo o mais vaidoso dos Vicentinos tenha um lugarzinho no paraíso por ter dado o que comer a quem tinha fome e de beber a quem tinha sede.

  Fazer algum bem é melhor que não fazer bem nenhum ... não me importa o motivo.





----------------------------------------------------------







quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Para Henrique Meirelles

  O Brasil tem hoje 370 Bilhões de dólares em reservas internacionais.
  Uma “poupança” bem gorda.

  Por vezes eu acho que simplifico as coisas demais, logo, acredito que as outras pessoas complicam demais.
  Talvez você que ler esse texto chegue ao “caminho do meio”.

  Minha especialidade é a simplificação, o caminho do mínimo esforço e máxima eficiência.

  Depois que Michel Temer teve essa vitória no Congresso [rejeição da denúncia contra o presidente] está se achando o rei da cocada preta.
  Eu no lugar dele transbordaria humildade.
  Até porque todos sabemos que ele é culpado, ninguém o declarou inocente, apenas em nome de uma estabilidade aceitamos que ele seja julgado após o fim do mandato.

  Esse é um momento para aliviar as tensões, o Presidente deveria adotar uma postura de conciliação, de colocar panos quentes.
  Pensar mais no Brasil e menos nessa batalha de egos.

  Acirrar a briga com Rodrigo Janot, por exemplo, é uma atitude pra lá de questionável, o risco de ser um tiro no pé é muito grande.
  “SE” Temer estivesse coberto de razão seria uma boa estratégia.
  Entretanto, se Janot errou ao dar benefícios em demasia a Joesley, Temer não tem desculpa aceitável para seu assessor ter sido flagrado com mala de dinheiro pouco tempo depois.
  Qualquer um de bom senso NÃO pode negar que houve armação.
  Da mesma forma sabemos que se Michel Temer tivesse um caráter melhor NÃO cairia na armação.
  Se os dois lados erraram o que vai pegar?
  Nessa questão Janot é o lado mais fraco, a população tem uma tendência natural a ficar do lado mais fraco, a não ser o que o lado mais forte esteja coberto de razão...


▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  As reformas necessárias mexem com a Constituição precisam de muitos votos para serem aprovadas.

  Os parlamentares daquela esquerda mais radical não são poucos, já mostraram que farão de tudo para tumultuar o processo.
  A estratégia de liberar emendas parlamentares tem seu limite porque o orçamento tem limite.

   A distribuição de cargos também chegou ao limite ... pelo menos até onde consigo enxergar.

  “Sem receber os cargos prometidos pelo Palácio do Planalto, partidos da base de Michel Temer ameaçam impor uma derrota ao governo já na semana que vem, quando deve ocorrer a primeira votação importante da pauta econômica depois da rejeição da denúncia contra o presidente.”


  Não é mais tão interessante para os partidos, até o PSDB quer entregar os cargos.
  Se tudo der certo o cidadão fica no cargo comissionado até o fim de 2018, não é muito tempo.
  E tem que trabalhar “direitinho”, os tempos são outros, toda mídia está atrás da mínima falcatrua, qualquer incorreção pode cair na Internet e ser um deus nos acuda.
  Quem não lembra do recente caso Geddel.

  Fica claro que o momento no Congresso é de muito, muito diálogo, sem grande capacidade de barganha por parte do Governo.

  Depois do caso Joesley é mais eficiente Temer tirar da cabeça essa ilusão de grande comandante e ser mais o “Temerzinho Paz e Amor.”
  Assim “talvez” consigamos um bom avanço nas reformas, principalmente da previdência.
  Depois é passar a bola para outro governo.

  Entenda que as reformas são muito necessárias, justamente para que o próximo Governo tenha alguma possibilidade de sucesso.

“O governo federal incluiu políticos na reforma da Previdência.
  PELA PROPOSTA, OS TITULARES DE MANDATO VÃO SEGUIR AS MESMAS REGRAS DO REGIME GERAL DA PREVIDÊNCIA SOCIAL, com idade mínima de 65 anos e 25 anos de contribuição.”


 Essa matéria é de Dezembro de 2016.
  A equipe do Governo quer as mesmas regras para todos, eu quero as mesmas regras para todos, mas vivemos em uma democracia.
  Michel Temer, Henrique Meirelles, Ministros ... não tem como impor as regras, é preciso negociar com todo o Congresso
  Eu votei no Carlos Sampaio como Deputado federal, ele é da minha região.
  Participo do Face dele, exponho a minha opinião, faço a minha pressão.
  Cada eleitor deve fazer o mesmo com o político no qual votou.
  Se não votou em ninguém ou concorda com os privilégios dos políticos ... é um direito democrático seu.
  Mesmo que você tenha anulado o voto ou votado em alguém que não conseguiu se eleger ... o deputado que se elegeu na região onde você mora representa a sua região ... não apenas quem votou nele.
  Você tem todo direito democrático de inquirir seu representante no Congresso, faça isso.
  Entenda que é vontade do Governo Temer ter as mesmas regras para todos; políticos e todas categorias de servidores públicos (municipais, estaduais, federais)
  Mas ele não tem como fazer isso arbitrariamente, sem o apoio da população e de nossos representantes no Congresso.

  Cada um tem que fazer a parte que lhe cabe.

  “Não se iludam, vocês trabalhadores comuns são reféns de nós trabalhadores diferenciados do serviço público.”


“Gasto com 980 mil servidores é igual ao de todo o INSS.”

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Vamos falar de economia?

1) Há um consenso que já pagamos impostos demais, por isso a necessidade das reformas.

2) Sabemos que o rombo herdado pelo atual governo é bem maior do que todos pensávamos.

3) O mundo não está crescendo a grandes taxas, logo, o Brasil não tem como se descolar do mundo, crescer muito mais que outras nações.

4)  Se tudo der “mais ou menos” certo encontraremos equilíbrio fiscal lá por 2019.

  Juntando tudo isso o que eu sugiro?

  Não entendo porque tornamos nossas reservas internacionais um dinheiro sagrado, “imexível” !?

  Ao invés do governo se desgastar e tornar a vida de todos mais cara, mais difícil, traga a reserva necessária para esse momento de transição.
  Se tudo for feito de maneira transparente, não há motivo para colapso no Mercado.
  Vamos dizer que precisemos de 40 bilhões para fechar as contas desse ano e 30 Bilhões para fechar 2018
  Ainda nos restariam 300 bilhões, uma reserva razoável, uma vez que a dívida externa “da União” está por volta de 50 Bilhões.

  Retornar esse dinheiro seria nefasto se NÃO tivéssemos a compreensão da necessidade de reformas.
  Fossemos gastando as reservas irresponsavelmente como se não houvesse o amanhã.

  Todos sabemos o que é poupança de reserva e que não podemos ir gastando esse dinheiro de maneira irresponsável.

  Vamos trazer exatamente o que precisamos para fechar as contas nesse momento de transição.

  NÃO devemos nos desviar do objetivo de equilibrar as contas públicas, mas com uma reserva de 370 Bilhões não vejo motivo para o Governo impor maiores sacrifícios a população.
  Isso vai criar revolta, fragilizar ainda mais um governo que já é bastante impopular.
  Ano que vem tem eleições a “base aliada” não vai resistir às pressões populares.

  “Os parlamentares daquela esquerda mais radical não são poucos, já mostraram que farão de tudo para tumultuar o processo.”

  Os “gênios” do Banco Central dizem que devemos usar as reservas só quando passar o “período de incertezas”.

  Eu digo que se não usarmos as reservas o período de incerteza será um período de TERROR.

  O Governo não tem força para lutar contra o corporativismo do funcionalismo público.
  Presidente e Congresso precisam do apoio da população para “tentar” equilibrar a situação.

  Se persistirem nessa “saída fácil” de aumento de impostos ... vai ser o estopim de grandes manifestações.

  Sou funcionário público (Traidor da raça) , assisto tudo de camarote, mas em caso de revolta generalizada claro que serei atingido pelo caos. Não quero isso!


  Se eu fosse trabalhador ou “desempregado” da iniciativa privada também enlouqueceria vendo ajustes serem feitos só do meu lado.

  A maioria da população é o lado mais forte e está coberta de razão.






 Não, militares NÃO são solução.
 São outro bando de chupins...

  MILITARES ESTÃO FORA DO PROJETO do governo de reforma da Previdência, que muda regras para aposentadoria de trabalhadores do setor privado.

  Entretanto:

 Gasto com militar inativo é 17 vezes maior que com aposentado comum.
  De acordo com o documento do TCU, enquanto a despesa com cada beneficiário do regime geral custou no ano passado ao governo R$ 5.130,66, na média, com cada militar inativo ou pensionista de militar foi de R$ 89.925,30, também na média.



Nota: Henrique Meirelles é um dos poucos no Governo inteligente o bastante para entender esse texto ... eu “espero”.

  (Latinos sempre me surpreendem no esforço para serem eternamente republicas das bananas.)


___________________________________________

  NÃO ENTENDO PORQUE TORNAMOS NOSSAS RESERVAS INTERNACIONAIS UM DINHEIRO SAGRADO, “IMEXÍVEL” !?
 .
  Ao invés do governo se desgastar e tornar a vida de todos mais cara, mais difícil, traga a reserva necessária para esse momento de transição.
  Se tudo for feito de maneira transparente, não há motivo para colapso no Mercado.
  Vamos dizer que precisemos de 40 bilhões para fechar as contas desse ano e 30 Bilhões para fechar 2018
  Ainda nos restariam 300 bilhões, uma reserva razoável, uma vez que a dívida externa “da União” está por volta de 50 Bilhões.
 .
  Retornar esse dinheiro seria nefasto se NÃO tivéssemos a compreensão da necessidade de reformas.
  Fossemos gastando as reservas irresponsavelmente como se não houvesse o amanhã.
 .
  Todos sabemos o que é poupança de reserva e que não podemos ir gastando esse dinheiro de maneira irresponsável.
 .
  Vamos trazer exatamente o que precisamos para fechar as contas nesse momento de transição.
 .
  NÃO devemos nos desviar do objetivo de equilibrar as contas públicas, mas com uma reserva de 370 Bilhões não vejo motivo para o Governo impor maiores sacrifícios a população.
  Isso vai criar revolta, fragilizar ainda mais um governo que já é bastante impopular.
  Ano que vem em eleições a “base aliada” não vai resistir às pressões populares.
.

_________________

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

STEPHEN HAWKING

  Uma coisa entediante em meus debates com ateístas é a repetida citação sobre o fato de Stephen Hawking ser ateu.
  Como se isso fosse algo muito importante, “um grande argumento”.


  Isso me provocou a escrever esse texto, depois é só copiar e colar.

  Não entendo porque “endeusam” tanto" Hawking!
  É muito marketing.
  Já analisei o trabalho dele, não tem nada de tão genial, algo que tenha mudado os rumos da ciência.
 (NÃO estou reduzindo a zero, não sejam radicais.)
  “Parece” que seu grande feito é ser um deficiente físico inteligente...

   Hawking escreveu um livro que vendeu mais de dez milhões de cópias, “Uma Breve História do Tempo”.
  No livro ele apenas explica algumas teorias cientificas, não cria nada, não desenvolve nada.

  A principal proposta científica de Hawking é a radiação que leva seu nome como homenagem.
  É uma radiação térmica que “SE ACREDITA” ser emitida por buracos negros devido a efeitos quânticos.
  “AINDA NÃO SE SABE” como a gravidade pode ser incorporada à mecânica quântica.

  Notem que “por enquanto” é uma teoria que liga nada a lugar nenhum.
  Tem pessoas que acham “chic” qualquer coisa que leve a palavra “quântica”.

  Explicar física teórica é pra lá de difícil quando o individuo não tem conhecimentos ... um pouco mais que básicos.
  Vou tentar.

  Buracos Negros são estruturas existentes no espaço que sugam tudo em sua proximidade.

  


  Imagine que o espaço é uma piscina, o buraco negro é um ralo sugando tudo.
  Os Buracos Negros não são visíveis porque sugam até a luz.
  Sabemos que estão lá pela deformação causada no entorno.

  Pois bem, muitos acreditam que nada escapa dessa estrutura.
  Outros como eu e Hawking não estamos certos disso.
  Hawking propôs isso através de cálculos matemáticos.    
  Eu uso a observação lógica.

  Aqui no abismo dos pensamentos ainda não encontrei uma estrutura que sugasse elementos e não expelisse nada.

  [Se eu encontrasse seria uma “singularidade” ☻]

  O que a estrutura expele geralmente é muito diferente do que entrou.
  VOCÊ é uma estrutura biológica existente no Universo, quando consome uma saborosa feijoada expele urina e fezes.

  Sua TV recebe energia elétrica, expele som, luz, calor.

  Os oceanos recebem água dos rios, evaporam para o céu.

  Não sei se na “natureza” nada se cria, mas tudo se transforma.

  Se Buracos Negros sugam tanta massa, tanta energia "eu" aposto que alguma transformação acontece e alguma partícula é emitida.

  É nesse ponto que outros cientistas discordam de Hawking e de mim.

  Há um certo consenso científico que nada escapa de um Buraco Negro devido seu enorme poder de atração.
  O que acontece com a massa absorvida?
  O Buraco Negro vai inflando, fica cada vez maior.

  Podemos ter certeza absoluta que de todas as interações que ocorrem no Buraco Negro não surje nenhum subproduto?
  Podemos afirmar “dogmaticamente” que nenhuma partícula é produzida ou escapa dessa estrutura?

  Entenda que os cálculos são muito difíceis.
  Se pudéssemos quantificar tudo que está sendo absorvido por um Buraco Negro e medir seu aumento de massa/tamanho saberíamos se algo está sendo perdido/transformado no processo.
  Entretanto são estruturas descomunais as quais só “enxergamos teoricamente”.

  Se os buracos negros NÃO estiverem crescendo o esperado, algum subproduto está escapando, talvez a Radiação Hawking.

  Em caso de não observarmos o crescimento tem outra possibilidade.

  Buracos negros funcionam como portais, o que entra é expelido para um Universo paralelo ou outra dimensão, tamanha a distorção do espaço tempo ... aí já complicou né?
  Volte naquela imagem do ralo na piscina.
  A água que entra é expelida para a rede de esgoto ou rede de tratamento, um “outro Universo” diferente da piscina.

  Vamos audaciosamente onde as mentes se recusam a ir...
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Suponhamos ocorra a comprovação que tudo que é sugado pelo Buraco Negro é desintegrado e expelido em forma da radiação ou partícula Hawking.

  O que isso muda em sua vida?
  NADA!

  E só uma curiosidade astronômica ... Buracos Negros produzem alguma coisa.

  Por favor, não seja trágico, claro que é uma descoberta importante.      
  Por vezes um dado irrelevante nesse momento tecnológico pode ser a peça chave para resolver um problema futuro.

  Tales de Mileto nasceu 600 anos “antes” de Cristo, foi o primeiro a registrar o que chamamos hoje de eletricidade.
  Demorou milênios até conseguirmos uma utilidade pratica.
  Naquele momento da humanidade não havia motivos para ficarmos tão entusiasmados com “elektron”.

  Quero dizer que mesmo que tudo que Hawking propõe estiver certo não há razão para muito entusiasmo da humanidade a não ser nos meios acadêmicos de física teórica.

  Nada contra a física teórica, ainda bem que há pessoas pensado grande, olhando para o Universo, tentando criar meios da humanidade sobreviver ao inevitável fim do planeta Terra.

  Entretanto ...

  Diante do exposto, que relevância tem a opinião de Hawking sobre “espiritualismo”?

  “Decifra-me ou te Devoro!”

  Vamos para um Universo paralelo ...

  


  O gordo consome toda comida disponível a sua volta.

História da Cirurgia Bariátrica

  A primeira operação realizada para redução de peso foi o by-pass (desvio) do intestino, idealizado por Kremen e Liner em 1954.
  Retiravam mais de 90% de componentes do intestino fino, ocasionando uma má absorção intestinal, levando o paciente a evacuar fezes com altos índices de gordura.

  O cirurgião Dr. Payne, em 1963, realizou uma cirurgia que promovia um desvio de parte do intestino delgado e do intestino grosso, com área de desvio superiora aos desvios anteriores.

  Estas cirurgias conseguiam a perda de peso sem a necessidade de mudança dos hábitos alimentares, porém ocasionavam complicações graves como: 

 Insuficiência hepática
 Cirrose
 Nefropatia por oxalato (problemas renais)
 Artrite e deficiências metabólicas
 Urgência para evacuar.

 As complicações fizeram com que essas operações não fossem mais realizadas atualmente.   
  Esse tipo de intervenção hoje fazem parte da História da Cirurgia Bariátrica.

  Em 1982, Mason introduziu uma técnica cirúrgica, que se tornou a mais empregada nas décadas de 80 e 90, a gastroplastia vertical com bandagem, sendo está bastante simples e rápida, com baixos índices de complicações imediatas e tardias e com mortalidade cirúrgica quase nula.


  

    
  A obesidade mórbida, só recentemente, passou a ser tratada como uma doença de saúde pública, devido ao aumento dos gastos do sistema de saúde e dos convênios médicos com complicações como diabetes, hipertensão, problemas ósseo-articulares, depressão e outros problemas emocionais graves, além de fatores econômicos como ausências no trabalho.
  Começou-se a falar cada vez mais em cirurgia de redução do estômago, principalmente na mídia, embora esse procedimento seja conhecido há quase meio século.
  A técnica mais utilizada surgiu há 20 anos, mas as cirurgias de obesidade são realizadas desde a virada para os anos 1960, com sucesso relativo.
  A cirurgia não é simples.
  Sempre advertimos os pacientes de que não se trata de uma cirurgia plástica, estética, mas de uma intervenção drástica que implica em retirar a maior parte do estômago, o que pode trazer complicações.
   Na técnica adotada pelo Ambulatório de Obesidade Mórbida do HC, o estômago, cujo volume médio nestes obesos é de 3.000 mililitros, tem esta capacidade reduzida para somente 30ml, o tamanho de um copo de café; além disso, é colocado um desvio no intestino, que perde três de seus oito metros de comprimento.   
  Reduzimos não apenas a capacidade de ingerir, mas também de absorção dos alimentos”.

   Existem outros tipos de cirurgia e de tratamento amplamente oferecidos por serviços particulares, já que se trata de uma patologia freqüente, mas que exigem boas condições financeiras.
 
  Apesar dos preços, os resultados das demais técnicas não são melhores do que a aplicada na Unicamp.   
  Nosso programa é excelente e barato, assegurando o atendimento da população pobre”.
 [Élinton Adami Chaim]


   




A primeira Touchscreen

  Era o ano de 1965 quando o inventor britânico E. A. Johnson descreveu seu trabalho em torno de uma tela sensível ao toque capacitiva em um pequeno artigo — dois anos depois, ele descrevia o seu conceito em um texto mais completo.
  Em 1968, um novo artigo do mesmo cientista é publicado, desta vez tratando das possibilidades da tecnologia.

  No final dos anos 1990, uma nova revolução esteve a caminho das touchscreen.
  Estudante da Universidade de Delaware, Estados Unidos, Wayne Westerman apresentou a sua dissertação de doutorado “Rastreamento de mão, identificação de dedo e manipulação de acorde em uma superfície multitoque”.

  Na publicação, Westerman detalha melhor os mecanismos que atualmente são aplicados às telas que suportam vários toques, utilizadas em praticamente todos os smartphones e tablets.
  O estudante e seu orientador acadêmico criaram uma empresa chamada FingerWorks, na qual exploraram melhor os seus conceitos.
  

   


 Esse complemento é para ressaltar a importância da ciência pratica que nos ajuda a viver melhor aqui e agora.
 Aumenta nossa longevidade, eficiência ou qualidade de vida.

 Kremen e Liner, Dr. Payne, Mason, E. A. Johnson, Wayne Westerman ... para “eu” são cientistas “mais importantes” que Hawking.

  Aproveito esse texto para parabenizar a Unicamp e o Dr. Chain pelo excelente serviço prestado a sociedade.
  (Serviço que espero nunca precisar usar)
  Observo a diferença que esse tipo de ciência faz na vida das pessoas.

    Para concluir:

  Stephen Hawking é um cientista brilhante, de jeito nenhum minha intenção é denegrir sua imagem, eu não suportaria viver na condição que ele vive e ainda continuar sendo produtivo, inspirando pessoas.

  O problema sou eu ... não consigo idolatrar nada nem ninguém ... sou uma falha genética, uma singularidade ... todos não somos?

  O Buraco Negro da existência suga a tudo e a todos, nada escapa ... ou alguma consciência sobrevive ao fim da estrutura biológica que chamamos ser humano?

  Eu aposto que sim, Hawking aposta que não.

  Entre eu e Hawking ...
  FIQUE COM VOCÊ MESMO.

  Você é a pessoa mais importante, a maior “celebridade” da sua vida.


  Saudações Democráticas!


----------------------------------------------------------